Lista: 10 filmes para celebrar a diversidade no Mês do Orgulho LGBTQIA+

11/06/2021 - POSTADO POR EM Filmes

Com a chegada do Mês do Orgulho LGBTQIA+ diversas empresas se engajaram em ações para promover a diversidade. Para os cinéfilos de plantão, tanto a Netflix como o Prime Video prepararam listas com diversos filmes e séries dessa proposta que estão em seus catálogos. 

Para você entrar nessa onda também, nós separamos aqui dez filmes que abraçam a temática LGBTQIA+ e trazem discussões interessantes para o público que já sabe ou quer entender mais sobre diversidade. Confira agora.

Veja também:

> LISTA: 7 FILMES PARA VER NO DIA DOS NAMORADOS
> VEREDITO DE VERÃO DE 85

1. O Segredo de Brokeback Mountain (2005)

Começando com um clássico tanto do cinema, quanto da temática e que pode ser que muita gente não tenha assistido ainda. Esse longa mostra o relacionamento entre os caubóis Jack (Jake Gyllenhaal) e Ennis (Heath Ledger), que se conhecer em 1963 a partir de um trabalho isolado nas montanhas. Em uma noite os dois se envolvem sexualmente, mas resolvem ignorar o ocorrido e seguir com suas vidas.

O tempo passa, ambos casam e seguem suas vidas. Mas a relação não foi esquecida, pois, eventualmente eles voltam a se encontrar e mantêm um caso amoroso durante muitos anos. O filme foi extramente bem recebido pela crítica e na época esteve em destaque em diversas premiações, chegando a faturar três estatuetas do Oscar: Melhor Direção, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Trilha Sonora.

Onde assistir: Netflix.

2. Você Nem Imagina (2020)

Agora pra balancear, vamos com uma produção mais leve. Você Nem Imagina segue Ellie Chu (Leah Lewis), uma adolescente tímida que evita contato com os colegas do colégio e só interage com eles a fim de trocar trabalhos escolares por algum dinheiro. 

Nisso, ela acaba recebendo um pedindo incomum de Paul Munsky (Daniel Diemer), ele quer que a garota escreva uma carta de amor para a popular Aster Flores (Alexxis Lemire). O problema é que a própria Ellie também é apaixonada pela moça, gerando uma confusão bem típica de comédias românticas, mas com um desenrolar nada típico. Para saber mais veja o nosso veredito.

Onde assistir: Netflix.

3. Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014)

Outra indicação que pode ser mais conhecida, porém vale muito a assistida se você ainda não conferiu. O longa brasileiro mostra Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego que está em busca da sua independência. Ele é muito próximo de sua amiga Giovanna (Tess Amorim), até que a chegada de Gabriel (Fábio Audi) interfere na relação.

O filme aborda tanto o desenvolvimento da relação entre Leonardo e Gabriel, quanto questões que envolvem a deficiência visual do protagonista, como a necessidade de independência e o bullying sofrido pelos colegas de classe. Tudo acaba se encaixando em um filme delicado, que passa com verdade muitos aspectos comuns da adolescência.

Onde assistir: Netflix.

4. Uncle Frank (2020)

Chegando agora em uma produção que se passa durante a década de 70, esta história aborda a visão que a jovem Beth Bledsoe (Sophia Lillis) tem do seu tio Frank (Paul Bettany). A garota percebe ele como um membro meio afastado da família, ainda sem saber o porquê, mas com o qual ela se identifica

Ao entrar na faculdade e ficar mais próxima do tio, Beth descobre que ele é gay e mora com o seu parceiro Wally (Peter Macdissi) há vários anos. Nesse ínterim uma tragédia familiar obriga todos a voltarem para casa, o que faz com que Frank encare alguns traumas do passado que interferem em que ele é e no seu relacionamento.

Onde assistir: Prime Video.

5. Girl (2018)

Este drama belga se inspirou em uma história real para mostrar a vida de Lara (Victor Polster), uma garota transgênero de 15 anos que estuda numa prestigiosa academia de dança da Bélgica. 

O rigor com o treinamento de bailarina se torna ainda mais complicado para ela, que está em processo de preparação para realizar uma cirurgia de redesignação sexual. O longa foi aclamado pela crítica, recebendo o prêmio de Melhor primeiro longa-metragem no Festival de Cannes.

Onde assistir: Netflix.

Imagem: Divulgação

6. Tokyo Godfathers (2003)

Agora uma animação chega à nossa lista. Este longa-metragem é co-dirigido e roteirizado pelo famoso diretor japonês Satoshi Kon (Perfect Blue, Paprika). Aqui acompanhamos três sem-teto que, na noite de Natal, encontram um bebê abandonado no lixo e decidem devolvê-lo os seus pais.

O filme, além de mostrar uma formação diferente de família e levantar diversas questões em torno de problemáticas familiares, também coloca como um dos destaques a personagem Hana. Ela é uma mulher trans e que, por conta da criança, acaba falando bastante sobre o seu desejo de ser mãe.

Onde assistir: Netflix.

Imagem: Divulgação

7. Collete (2018)

Outro filme baseado em uma história real, aqui acompanhamos vários momentos da vida de Collete (Keira Knightley), uma romancista francesa do século XX. Casada desde jovem com o ambicioso Willy (Dominic West), seu marido acaba usando seus dons para a escrita para criar livros de imenso sucesso e lhe negando qualquer crédito.

Presa nesta relação abusiva, Collete encontra uma válvula de escape ao explorar seus desejos sexuais com outras mulheres. Ela até mesmo se envolver com Missy (Denise Gough), personagem que se veste com roupas masculinas e hoje poderia ser considerado como trans. Ele ajuda a escritora a questionar mais sobre a influência do marido sobre si.

Onde assistir: Prime Video.

8. Alice Júnior (2019)

Mais um longa brasileiro para a lista. Alice Júnior é um filme de comédia estrelado por Alice (Anne Celestino), uma youtuber transgênero que se vê bastante frustrada ao se mudar com o pai para uma cidade no interior do Paraná.

A garota encontra algumas dificuldades ao começar a estudar numa escola conservadora, onde a obrigam a utilizar tanto o uniforme como o banheiro masculino. Com uma linguagem dinâmica e bem típica da internet, a produção apresenta essas discussões de uma maneira descontraída, atingindo bem o público mais jovem.

Onde assistir: Netflix.

9. Seu Nome Gravado em Mim (2020)

Este drama taiwanês mostra o desenrolar do relacionamento entre A-han (Edward Chen) e Birdy (Tseng Jing-hua). O longa se passa logo após o fim da lei marcial em Taiwan, no ano de 1988. Neste período o país traçava seu caminho em direção à liberdade de fala e de imprensa, mas ainda via com maus olhos relações entre o mesmo gênero.

A produção foi um sucesso estrondoso em Taiwan, sendo o longa de temática LBGTQIA+ de maior bilheteria do país e também o mais popular daquele ano. Ele recebeu cinco indicações ao Golden Horse Awards, premiação mais importante para filmes de língua chinesa.

Onde assistir: Netflix.

Imagem: Divulgação

10. Revelação (2020)

Para encerrar a nossa lista vamos indicar um documentário. Revelação propõe uma discussão profunda sobre a representação de pessoas transgênero em Hollywood e o impacto de suas histórias na vida daqueles que se espelham nelas e também na cultura americana.

A produção traz entrevistas com mais de 20 pessoas trans presentes no mundo da cultura e do entretenimento. Entre algumas delas podemos citar aqui Laverne Cox (Orange is the new black), Jamie Claiton (Sense8) e MJ Rodriguez (Pose). 

Onde assistir: Netflix.