Veredito de Thor: Amor e Trovão

05/07/2022 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Depois de tanta espera, finalmente chega aos cinemas nesta quinta-feira, 7, Thor: Amor e Trovão. Dirigido por Taika Waititi, o filme trouxe de volta para as histórias da Marvel a atriz Natalie Portman, que já havia participado dos dois primeiros filmes do deus do trovão. Conferimos a estreia em uma sessão especial e a seguir contamos as nossas impressões. Cuida!

Amor, trovão e piadas

Após os acontecimentos de Vingadores: Ultimato (2019), Thor (Chris Hemsworth) acaba se entregando a uma vida mais relaxada e ficando fora de forma. Além disso, ele passa a viver com os Guardiões da Galáxia na nave deles. Porém, ele se sente um tanto cansado dessas “férias” e resolve voltar a ser um herói. Enquanto isso, Jane Foster (Natalie Portman) descobre um câncer terminal e recebe um “chamado” do antigo martelo do deus do trovão, o Mjölnir. Ela então acaba se tornando a Poderosa Thor.

O roteiro de Amor e Trovão é talvez o mais simples de todos os filmes da franquia. Assim como em Ragnarok (2017), o novo longa é repleto de piadinhas e alívios cômicos, o que deixa a trama muito mais leve e gostosa. Infelizmente, as piadas acabam sendo bastante repetitivas e cansam um pouco o espectador.

Quanto ao vilão interpretado por Christian Bale, a decisão de dar ao papel um tom sombrio foi uma ótima sacada. Ele contrapõe exatamente com a vibe mais animada que o filme tem. Porém, o final dado ao personagem talvez desaponte o público, sendo uma quebra de expectativa negativa e que deixa a desejar.

Imagem: Divulgação

Uma fórmula cansada

É consenso entre os fãs da Marvel que os filmes do Thor não são lá os melhores. Aliás, apenas o Ragnarok consegue salvar a franquia do herói. Entretanto, esse já é o 29° longa de um universo completamente conectado e cheio de fãs de todas as idades. 

Talvez seja a hora da Marvel repensar a sua fórmula e dar uma inovada maior em seus roteiros. Vale lembrar que antes de Thor tivemos o decepcionante Doutor Estranho no Multiverso da Loucura (2022), que revoltou bastante o público não só pela qualidade técnica de alguns efeitos especiais, mas por prometer um super argumento e entregar algo extremamente raso e cansativo. Para entender melhor sobre isso, veja esse outro texto.

Além disso, as famosas cenas pós-créditos deixaram de ser inovadoras e se tornaram algo batido e compulsório, para que o espectador fique até o final da sessão e veja. 

Imagem: Divulgação

Veredito

Thor: Amor e Trovão é talvez um dos filmes mais divertidos da Marvel. Outro ponto bacana é que você não precisa ver os filmes anteriores para entender a trama. Além disso, o longa tem uma resolução que não pede uma continuação direta. As atuações também são ótimas e conseguem passar as mensagens de forma natural.

O roteiro é bem simples e divertido, mas infelizmente acaba se tornando redundante ao explorar a mesma piada o tempo inteiro. Entretanto, fica claro que Taika sabe realmente fazer filmes capazes de cativar até aquele espectador mais chato. Infelizmente, o final do filme não casou muito bem com o resto do enredo, em especial o desfecho do vilão, que passa por uma mudança questionável de forma muito rápida.

Os efeitos visuais, dessa vez, são impecáveis, sendo um show à parte. Além disso, a trilha sonora repleta de grandes sucessos dos Guns’ n Roses foi outra sacada genial, que casa muito bem com a trama.

Pontos positivos

  • Enredo fechado
  • Trama simples e rápida
  • Trilha sonora

Pontos negativos

  • A fórmula Marvel já está batida
  • Piadas repetitivas
  • Final não condizente com a trama

NOTA: 8