Análise de Dragon’s Dogma 2

06/04/2024 - POSTADO POR cassinos no uruguai EM jogo do buffalo cassino E monte carlo casino las vegas
Post thumbnail

Dragon’s Dogma 2, o tão aguardado sucessor de um dos RPGs mais originais da Capcom, finalmente chegou às mãos dos jogadores. Lançado para PC, PlayStation 5 e Xbox Series S e X, o jogo promete uma experiência imersiva em um mundo vasto e repleto de desafios. Mas será que atende às expectativas dos fãs e entrega uma jornada digna de ser explorada?

Confira agora a nossa análise!

Leia também:

> Análise de A Ascensão do Ronin

> Análise de Pepper Grinder

História

A história se desenrola em um mundo vasto e diversificado, dividido entre nações rivais e ameaçado pela presença de um dragão que rouba corações. No centro da trama está o protagonista, o Arisen, cujo coração foi roubado pelo temível dragão. Determinado a recuperar o que lhe foi tirado e salvar o mundo da ameaça do monstro alado, o Arisen parte em uma jornada que o levará a explorar terras desconhecidas, enfrentar perigos inimagináveis e forjar alianças improváveis.

Ao longo de sua jornada, o Arisen se vê envolvido em uma teia de intrigas políticas que se desenrola entre as nações de Vermund e Battahl. Enquanto luta para reunir aliados e derrotar o dragão, ele se vê confrontado com a corrupção e traição que permeiam os corredores do poder. A cidade de Vernworth, no reino de Vermund, torna-se o palco de uma batalha pelo trono, onde o verdadeiro herdeiro luta para recuperar seu lugar de direito das mãos de usurpadores e manipuladores.

Apesar das promessas iniciais, a história muitas vezes segue um caminho previsível, recorrendo a tropos familiares do gênero de fantasia. A rivalidade entre os reinos, as lutas pelo poder e as alianças improváveis são temas comuns que os fãs do gênero já viram em outras mídias. Embora isso possa ser reconfortante para alguns jogadores, para outros pode parecer um tanto quanto genérico e carente de originalidade.

A narrativa também tende a se apoiar em personagens estereotipados e clichês, o que diminui o impacto emocional de certos momentos-chave da história. Os vilões são frequentemente unidimensionais, enquanto os heróis seguem arquétipos familiares de bravura e determinação. Isso resulta em um enredo que, embora competente, carece da profundidade emocional necessária para verdadeiramente envolver os jogadores em um nível mais pessoal.

Imagem de Dragon’s Dogma 2

Jogabilidade

Em Dragon’s Dogma 2, o sistema de vocações é um dos pilares da jogabilidade, permitindo aos jogadores escolher entre várias classes para seus personagens. Desde o ágil Ladrão até o poderoso Mago, as vocações oferecem uma ampla gama de opções para os jogadores explorarem ao longo da aventura. A capacidade de trocar de vocação a qualquer momento adiciona uma camada extra de estratégia, permitindo que os jogadores se adaptem às situações em tempo real.

Os sistemas de progressão e personalização, incluindo árvores de habilidades, artesanato e upgrade de equipamentos, oferecem aos jogadores a oportunidade de personalizar seus personagens e peões de várias maneiras, adaptando-os ao seu estilo de jogo.

O jogo também apresenta um sistema de peões, que permite aos jogadores recrutar aliados controlados pela IA para acompanhá-los em suas jornadas. Os peões não apenas ajudam durante o combate, mas também fornecem conselhos úteis e informações sobre o mundo ao seu redor. A capacidade de interagir com os peões e dar-lhes ordens específicas adiciona uma camada de tática e estratégia às batalhas, tornando a cooperação eficaz dos peões crucial para o sucesso.

Entretanto, é importante mencionar alguns problemas relacionados à IA dos peões. Embora tenha sido aprimorada em relação ao jogo anterior, ainda apresenta algumas falhas e inconsistências, o que pode afetar a eficácia dos aliados controlados durante o combate.

Imagem de Dragon’s Dogma 2

Gráficos e trilha sonora

Em termos técnicos, Dragon’s Dogma 2 representa um salto significativo em relação ao primeiro jogo. Os gráficos são mais detalhados e impressionantes, com ambientes mais ricos e modelos de personagens aprimorados. Desde as majestosas montanhas até as florestas exuberantes e as cidades movimentadas, cada área é ricamente renderizada, proporcionando uma sensação de profundidade e autenticidade ao mundo do jogo.

Ocasionalmente é possível perceber algumas falhas técnicas, como quedas na taxa de quadros ou problemas de otimização que podem prejudicar a experiência visual. Esses contratempos, embora não sejam frequentes, podem ser um ponto de frustração para alguns jogadores, especialmente aqueles que buscam uma experiência imersiva e sem interrupções.

A trilha sonora também merece elogios por sua composição épica e atmosférica. Os temas musicais se encaixam harmoniosamente com os diferentes momentos do jogo, aprimorando ainda mais a imersão e a narrativa.

Imagem de Dragon’s Dogma 2

Veredito

Dragon’s Dogma 2 é uma sequência digna que constrói sobre os fundamentos estabelecidos pelo seu antecessor. Embora apresente alguns problemas e clichês narrativos, o jogo oferece uma experiência repleta de possibilidades e desafios. Para os fãs do gênero de RPG de mundo aberto, o lançamento da Capcom certamente oferecerá horas de diversão.

Pontos Positivos:

  • Jogabilidade aprimorada.
  • Gráficos detalhados e impressionantes.
  • Trilha sonora épica que aprimora a imersão na narrativa.
  • Mundo repleto de intrigas políticas e perigos iminentes.

Pontos Negativos:

  • História meio genérica e carente de originalidade.
  • Personagens estereotipados e clichês.
  • Problemas relacionados à IA dos peões.
  • Ocasionais quedas na taxa de quadros.

Nota: 8.5 / 10