Veredito de Bem-vindos a Vizinhança

20/10/2022 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

Depois do sucesso estrondoso do true crime Dahmer: Um Canibal Americano (2022), a Netflix lançou mais uma minissérie em parceria com Ryan Murphy, Bem-vindos a vizinhança. Conferimos a produção e vamos contar nossas impressões.

Vizinhança incômoda

O casal Nora (Naomi Watts) e Dean (Bobby Cannavale) saem de Nova Iorque com os filhos e vão morar em uma casa luxuosa no subúrbio. Desde o momento que eles se mudam, coisas estranhas começam a acontecer, desde cartas anônimas com ameaças, chegando à invasão de vizinhos durante a noite.

O roteiro é uma adaptação de uma história real, assim como Dahmer, porém sem o mesmo poder de empolgar o espectador. Em alguns momentos é nítido que a direção tenta criar um clima tenso que culminará em jumpscare, mas que se torna um clichê por conta do ritmo arrastado que o enredo tem. Além disso, os personagens são todos esquisitos, de modo que não conseguimos sentir absolutamente nada por eles, apenas desconfiar que não são tão bons quanto parecem.

Fica nítido o quanto foi investido para que essa minissérie tivesse sucesso, já que ela conta com nomes de peso como o de Naomi Watts, além da ambientação extremamente cuidadosa. Porém, tudo isso é em vão, já que o conteúdo dela é tão arrastado que os três últimos episódios são enfadonhas e poderiam facilmente se condensar em apenas um.

Imagem de divulgação de Bem-vindos a Vizinhança

História real

O gênero de true crime tem sido bastante explorado nos últimos anos. Ao contrário do seriado sobre o serial killer canibal, Bem-vindo a vizinhança tem uma temática bem mais leve e super atual: a perseguição. Ryan consegue explorar mais uma vez o tema sem sensacionalismo, o que dá um crédito à história e gera um certo interesse.

Os eventos que inspiraram a minissérie são um pouco diferentes. A família, cujos pais se chamam Derek e Maria Broaddus, nem chegou a se mudar para a residência, pois as cartas começaram a ser enviadas depois da compra ser fechada, isso em 2014. 

“O 657 Boulevard tem sido o assunto da minha família há décadas”; diz a primeira carta recebida pelo casal segundo a reportagem da New York Magazine de 2018. “À medida que se aproxima de seu 110º aniversário [a casa], fui encarregado de observar e aguardar sua vinda. Meu avô vigiava a casa na década de 1920 e meu pai na década de 1960. Agora é minha vez”. Assim como na ficção, as correspondências eram sempre assinadas como “The Watcher”, nome que leva a série em inglês.

Os Broaddus contrataram um detetive particular e até o FBI foi envolvido no caso, porém o único resultado obtido na investigação foi a identificação de um DNA, que seria feminino, nas cartas enviadas. Nenhum dos moradores da vizinhança era compatível com o material coletado. 

A família decidiu não se mudar para a casa, temendo por sua segurança, e passou cinco anos tentando vendê-la. Eles conseguiram isso apenas em 2017 e por um preço bem abaixo do mercado. Até hoje o caso segue sem solução e é possível que nunca seja resolvido.

Imagem de divulgação de Bem-vindos a Vizinhança

Veredito 

A minissérie tem um plot bastante interessante, mas que não consegue ser desenvolvido de uma forma fluída, por isso recorre a alguns clichês como a criação de suspense em momentos que não fazem sentido. O ritmo é muito lento e poderia ter uma quantidade menor de episódios.

O elenco entrega exatamente o que o roteiro exige dele, personagens chatos e que parecem totalmente apáticos e estranhos à situação. Outro problema do roteiro está na problematização de assuntos não desenvolvidos por ele. 

A direção consegue entregar cenas interessantes até, mas acaba por cair em alguns clichês de sustos que não são coerentes com o resto da trama.

Pontos positivos:

  • Plot interessante
  • Desenvolvimento sem sensacionalismo

Pontos negativos:

  • Narrativa desenvolvida de forma enfadonha
  • Ritmo lento
  • Personagens apáticos

NOTA: 6/10