Veredito da segunda temporada de Boneca Russa

23/04/2022 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

Acaba de chegar na Netflix a nova temporada da série Boneca Russa (2019 – ). Estrelada por Natasha Lyonne, a comédia foi um grande sucesso na sua estreia e o anúncio da segunda temporada gerou muito burburinho e curiosidade nos fãs, já que não era esperado uma continuação. Conferimos os novos episódios e vamos contar nossas impressões.

Viagem ao passado

Nadia Vulvokov (Natasha Lyonne) está prestes a completar 40 anos, porém como nada é simples em sua vida, ela e seu amigo Alan (Charlie Barnett) acabam em uma espécie de viagem no tempo ao entrar no metrô de Nova York. Enquanto Vulvokov volta ao passado e reencontra sua mãe nos anos 1980, Alan acaba voltando até 1960 e conhece sua avó.

Ambos têm assuntos mal resolvidos e por isso são “chamados” para o passado. Nadia com toda sua excentricidade decide que precisa mudar a história e salvar sua mãe da esquizofrenia, recuperando um tesouro de família que sumiu justamente por causa do transtorno psiquiátrico.

O enredo da segunda temporada possui um ritmo diferente da primeira. Os novos episódios são mais lentos e com acontecimentos e reviravoltas menos impactantes que no ano anterior, porém não menos importantes. Além disso, o roteiro não tem piadas tão óbvias e possui mais camadas, não sendo uma série de comédia que “mata” o espectador de tanto rir, mas consegue manter a ironia e os pontos de virada que tornaram a produção um sucesso. 

Apesar da segunda temporada ter um episódio a menos que a primeira, existem alguns momentos que o enredo parece ter uma “barriguinha” e dar voltas desnecessárias, porém com um olhar mais clínico e paciente logo fica claro que esses momentos estão ali para dar ênfase no que está sendo contado.

Imagem: Divulgação

Referências

Contar histórias que exigem pelo menos dois períodos temporais diferentes é sempre um desafio, principalmente na hora de reproduzir a época passada e mostrar flashbacks que façam sentido. Bem, talvez esse seja um dos principais pontos que Boneca Russa soube muito bem como fazer. 

Ao mostrar suas cidades completamente distintas, em três décadas totalmente diferentes e com zelo de pelo menos manter um pouco de coerência, a produção da série mostrou que houve uma pesquisa para não fazer um trabalho descuidado.

Outro aspecto que vale muito a pena ser citado é a forma que a travessia no tempo é feita. Dessa vez não temos a morte como evento que leva à mudança de timeline, mas uma simples viagem de metrô, o que pode até não ser tão inovador, mas é no mínimo interessante, já que todo o interior do vagão muda de acordo com o momento em que estão os personagens.

Imagem: Divulgação

Veredito

A segunda temporada de Boneca Russa quando foi anunciada me deixou completamente intrigada, porque não fazia ideia do que esperar, já que a primeira possui um roteiro fechado, com poucas possibilidades de continuar a história. A grata surpresa veio quando percebi que justo esses “pequenos” e quase imperceptíveis espaços foram aproveitados com maestria para entregar algo tão maravilhoso.

Até quando a série parece pecar, nas voltas que acontecem demais em alguns episódios, na verdade é um mérito para o roteiro, que dá mais informações para que possamos entender como funcionava a vida dos antepassados de Nadia. Acredite, tudo se encaixa no final, basta ter paciência.

Por fim, aspectos como trilha sonora, figurino e fotografia não podem ser deixados de lado. A paleta de cores muda de acordo com a época e o local que estão sendo retratados. O figurino de Nadia mostra como sua personalidade é excêntrica, mas funcional. Já a trilha combina exatamente com os momentos que estão em tela e batem também com a timeline mostrada.

Pontos positivos

  • Excelente roteiro
  • Trilha sonora
  • Figurino bem feito
  • Ótima fotografia

Pontos negativos

  • Roteiro com mais voltas que o esperado

NOTA: 10