Veredito da 2ª temporada de Loki

12/11/2023 - POSTADO POR bbrnet cassino EM qual a melhor hora para jogar fortune tiger

Provando que o MCU ainda guarda boas ideias para sua Saga do Multiverso, a 2ª temporada de Loki chega trazendo desdobramentos inesperados para o nosso querido Deus da Trapaça. Confira o que achamos do novo ano da série do Disney+ nesse veredito.

Um Loki que permanece

O segundo ano volta exatamente de onde a série parou em 2021, acompanhamos Loki (Tom Hiddleston) retornando do fim dos tempos para perceber que ninguém na Autoridade de Variância Temporal o conhece e que Kang (Jonathan Majors) está no comando.

Porém, isso não é tão simples quanto parece e o Deus da Trapaça sofre de saltos temporais que o mandam para presente, passado e futuro. No meio dessa confusão Loki acaba dando um jeito de voltar para Mobius (Owen Wilson) e seus outros amigos da AVT, mas agora eles precisam evitar que o caos do multiverso destrua todas as realidades.

Imagem da segunda temporada de Loki. Foto de Gareth Gatrell. © 2023 MARVEL.

Finalmente um acerto

Depois de tantas produções que parecem não saber para onde levar a Saga do Multiverso é um alívio acompanhar uma obra que entende com o que está lidando. Loki consegue dar uma sequência natural aos acontecimentos da primeira temporada e ainda assim parece grandiosa em suas limitações, afinal estamos tratando de um grupo pequeno de personagens tentando impedir o colapso de todas as realidades.

A série vem recheada de boas ideias, conseguindo apresentar conceitos novos sem parecer perdida. A inclusão de uma das variantes de Kang é bem-vinda, principalmente porque eles não tentam forçar um personagem ameaçador, como foi porcamente executado pelo terrível Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania (2023).

Se por um lado isso não ajuda a criar um mito de periculosidade em torno do futuro vilão, a participação acaba servindo perfeitamente aos propósitos da série, já que o foco é, em suma, ninguém menos que o próprio Loki.

Imagem da segunda temporada de Loki. Foto de Gareth Gatrell. © 2023 MARVEL.

Propósito glorioso

E essa é outra parte em que a produção brilha. Na temporada anterior já havia ficado claro que mesmo que esse não seja o Loki que nós acompanhamos em boa parte dos filmes do MCU, aqui o personagem teve espaço para ter um desenvolvimento tão bom ou ainda melhor do que o Deus da Trapaça que morreu nos braços de Thor (Chris Hemsworth).

Loki pode ser facilmente coroado com o personagem mais bem desenvolvido do Universo Cinematográfico da Marvel. Ele possui tantas nuances que nós até esquecemos seu aspecto divino, de tão humana que é a sua figura. 

Nesta temporada ele tenta, tenta novamente e se coloca em situações em que vai até o limite apenas para alcançar seu propósito. Talvez não exatamente o propósito glorioso que se esperaria de um deus, mas algo perfeitamente aceitável para qualquer ser humano: proteger quem ele ama.

Imagem da segunda temporada de Loki. Foto de Gareth Gatrell. © 2023 MARVEL.

Personagens secundários

Agora, para não deixar apenas elogios aqui vamos para as partes que incomodam. Apesar de seu êxito com Loki, e até com Mobius, os outros personagens não conseguiram tantos holofotes. Pelo carisma dos intérpretes e até pela verdade que Tom Hiddleston passa em sua atuação, conseguimos nos importar com B-15 (Wunmi Mosaku), Casey (Eugene Cordero) e OB (Ke Huy Quan), porém, todos eles são bem sub-aproveitados na trama.

Até mesmo Sylvie (Sophia Di Martino), uma personagem tão interessante no primeiro ano, aqui perdeu todo o seu brilho. Ela foi renegada a alguém irritante e que, perto do nosso Loki, parece muito egoísta. Não que seus objetivos não façam sentido, mas as suas ações desencadeiam tantos problemas que é difícil sentir empatia.

Infelizmente não vejo muito futuro para a personagem e acho que o que eles tinham para aproveitar dela foi desperdiçado.

Imagem da segunda temporada de Loki. Foto de Gareth Gatrell. © 2023 MARVEL.

Veredito

Pode entrar melhor série do MCU! Depois do final da temporada não tem como ser diferente, pois até isso faz diferença. Ao contrário de outras produções que prometiam um final épico e entregaram uma ação burocrática já típica dessa franquia, Loki termina de forma apoteótica (e devastadora).

Sim, tem um gosto amargo, mas quanto mais eu penso no destino desses personagens, mais acho que foi um acerto. Apesar de tudo sentimos o peso das decisões, sentimos que houve uma evolução e que existe um propósito, algo que carece muito nas produções recentes da Marvel.

Infelizmente não sabemos se terá uma nova temporada ou se ainda veremos mais do nosso querido Deus da Trapaça. Acertadamente estão fazendo um mistério sobre isso, estão nos deixando sentir o peso do final. Porém, não posso deixar de lado a minha torcida pelo retorno de Loki, mesmo com tudo o que vivemos acho que ele ainda tem muito a nos oferecer.

Pontos positivos:

  • Personagens carismáticos
  • Trama interessante
  • Bom desenvolvimento para o Loki

Pontos negativos:

  • Pouco aproveitamento para os personagens secundários

NOTA: 9,5