Veredito do livro Um Caso Perdido

29/05/2022 - POSTADO POR EM HQs/Livros
Post thumbnail

Um Caso Perdido é o primeiro livro da série Hopeless da famosa autora estadunidense Collen Hoover. Recentemente ele ganhou uma nova edição, lançada no Brasil pela Editora Galera Record e com capa ilustrada pela brasileira Carmell Louize. Então, nós não poderíamos deixar de dar nossa opinião a respeito da obra. Acompanhe.

Sorvete colorê

Com 17 anos, Sky adora diversificar sabores, e por sabor, quer dizer garotos. Alguns são baunilha, outros são morango e chocolate, mas nada empolgante. Nada que a faça tirar os olhos do seu céu cheio de estrelas decorativas do quarto. A situação que ela quer mesmo experimentar é a do Ensino Médio. Com uma mãe adotiva bem compreensiva, mas com total aversão à tecnologia, a garota estudou a vida inteira em casa, e agora está pronta para viver uma vida normal com sua melhor amiga e vizinha, Six, pelos corredores da escola.

Isto é, até Six resolver fazer um intercâmbio para a Itália, e ela entrar sozinha na selva do último ano, cheia de olhares julgadores de adolescentes prontos para dilacerar Sky e sua reputação. A garota se vê sozinha, até conhecer Dean Holder, um rapaz tão problemático quanto ela, que desperta em Sky uma verdadeira mistura de emoções e sabores variados, mesmo que nem todos desçam de um bom jeito.

A história é bem envolvente e madura desde o início. Com uma narração em primeira pessoa, os capítulos são divididos como entradas de diários, e o leitor vai se pegar tendo uma mistura de emoções que apenas Colleen Hoover parece transmitir com sua escrita.

Apesar do que está parecendo, não sou uma vagabunda.

Um Caso Perdido, pág. 9

Repleto de Estrelas

Se você já leu algum livro da Colleen Hoover e veio atrás de Um Caso Perdido na esperança de ser algo leve e fácil por se tratar de um romance adolescente, ainda precisa conhecer mais a autora. A obra não poupa ninguém, e nos dá aquilo que gostamos em livros: personagens cativantes, uma escrita fluída e uma história inesquecível

Logo que começamos, passamos a acreditar que talvez já saibamos o plot dessa narrativa: a garota estranha se apaixona pelo cara bonito rebelde, e tudo vai ficar bem. Mas alguns pontos nos fazem entender que não há como Hoover entregar tudo de bandeja para nossas pobres almas. 

Quando começaram as reviravoltas, parece um castelo de cartas e tudo desmorona perante nossos olhos, criando uma verdadeira empatia pelo que está acontecendo. Mesmo que não possamos nem imaginar os horrores que alguém tão jovem possa passar, e como traumas aparecem de diferentes formas.

Sky e Holder nos entregam apenas fragmentos em seu céu repleto de estrelas nesse livro, e cada uma contém um segredo mais doloroso que o outro. Por isso, se exige maturidade ao ler Um Caso Perdido. Ele pode não entregar tudo de primeira, mas há uma delicadeza na escrita em cenas que podiam dar muito errado, e com isso, a autora faz seus personagens brilharem. Tudo tem motivo para acontecer no momento que acontece.

Contudo, é necessário ressaltar que nele pode conter gatilhos para temas como: abuso físico, sexual e apologia à suicídio e lgbtqfobia.

Vou lhe avisar uma coisa. – diz ele baixinho. – Assim que meus lábios encostarem nos seus, vai ser, sim, seu primeiro beijo. Porque, se nunca sentiu nada enquanto beijava, então ninguém jamais a beijou de verdade. Não da maneira que eu planejo beijá-la.

Um Caso Perdido, pág, 122

Veredito

O romance já havia sido publicado pela Editora Galera, mas ganhou uma edição repaginada, e acho que foi muito bem feita a escolha. A nova capa tem uma textura de qualidade, e a ilustração reflete (e muito) a história por trás do título. Mesmo que a tradução de alguns termos tenha sido feita de maneira abrupta e de tal forma que pode parecer amadora, mas necessária para que possamos entender todo o contexto da situação.

Um caso perdido é o primeiro da série Hopeless, e conta com mais dois livros. Mesmo que a história de Sky já seja completa em Um Caso Perdido, não consigo pensar que alguém seja capaz de não ir atrás da versão de Holder na história, que está presente no segundo livro, intitulado Sem Esperança. E por fim, Six também ganhou um livro para chamar de seu, com Em busca de Cinderela/Em busca da Perfeição. Todas as obras já estão disponíveis no Brasil pela editora.

Pontos positivos

  • Escrita madura e fluída 
  • História e personagens cativantes
  • Sensibilidade em assuntos traumáticos
  • Capas ilustradas

Pontos negativos

  • Tradução

NOTA: 9