Veredito do livro Sombra e Ossos

23/04/2021 - POSTADO POR EM HQs/Livros
Post thumbnail

Sombra e Ossos (2012) é o primeiro livro da trilogia Grisha, da autora israelita Leigh Bardugo. Os livros foram lançados pela editora Gutenberg no Brasil em 2013, e em 2019 a Netflix anunciou sua adaptação em forma de seriado.

Com a adaptação estreando hoje (23), nós do Roteiro Nerd resolvemos ler o livro antes para saber o que esperar dessa nova série de fantasia. E se você também está em dúvida sobre essa estreia, confira agora tudo o que achamos sobre a obra literária que serviu de inspiração.

Dobra das Sombras

O livro é narrado pela protagonista Alina Starkov, uma órfã que serve como assistente de cartógrafo no primeiro exército do seu país, Ravka. Junto a ela, está seu melhor amigo, e secreta paixão, Malyen Oretsev, outro órfão que atua como rastreador da tropa. Ambos acreditam serem humanos comuns vivendo da melhor maneira que podem dentro de uma silenciosa guerra que acontece no continente.

Há muitos anos, Ravka foi partida ao meio pelo que eles chamam de Dobra das Sombras, uma parede que não permite a entrada de luz e é habitada por criaturas mortais. Desde então, Ravka tenta solucionar uma forma de chegar ao outro lado do país, para que possa reaver seu porto e unir novamente a nação. Para isso, o reino conta com dois exércitos: o primeiro, formado por humanos comuns, e o segundo, composto exclusivamente por Grishas.

Grishas são um tipo de mutação, seres que parecem humanos, mas que possuem um poder especial, além de beleza, força e longevidade surpreendentes. Por terem essas habilidades, os Grishas em Ravka são mais próximos do rei, mas respondem ao comandante Darkling, um Grisha muito poderoso e temido.

Tentando atravessar a Dobra das Sombras em mais uma missão, o regimento do primeiro exército que Alina e Maly atuam é atacado. Quando a garota vê que sua vida e a de seu melhor amigo estão prestes a se acabar, uma explosão de luz acontece dentro da Dobra e surpreende a todos.

Alina, que sempre acreditou ser uma humana, é na verdade uma Grisha. E não uma qualquer, mas uma Conjuradora do Sol. Ela pode emitir luz de dentro de si, e isso parece uma esperança enorme pro reino, mas também uma ameaça aos países vizinhos.

“Com uma das mãos, agarrei o braço de Alexei. Com a outra, segurei firme o punho da minha faca, meu coração batendo forte, meus olhos se esforçando para ver algo, qualquer coisa na escuridão.”

Sombra e Ossos, cap. 2

O Palácio de Ravka

Depois desse acontecimento Alina, que até então tinha vivido em condições precárias como uma simples humana, é levada até os domínios diretos do palácio, que é também dividido em dois. O Grande Palácio é onde estão o Rei, a Rainha e sua corte, enquanto o Pequeno Palácio é onde ficam os Grishas.

A garota vai para dentro do Pequeno Palácio a fim de treinar e aprender junto aos demais a respeito de suas habilidades, já que ela ainda não tem controle algum e nem mesmo sabe como fazer seus poderes virem à tona.

Enquanto está em seu treinamento, Alina conhece alguns personagens bastante importantes. Começando com o próprio Rei, que mais parece uma criança bêbada, e a Rainha, que está sempre entediada, e por isso disposta a criar intrigas na corte. 

Ela se torna bastante próxima de Genya Safin, uma Grisha artesã, bastante fútil e engraçada, fiel ao Darkling, e que serve diretamente a Rainha com total desprazer. Além de Baghra, uma professora impaciente, com poderes e passado misterioso, e o Apparat, o sacerdote do Rei, que mais parece um fanático.

No meio de toda essa gente está o Darkling, que deixa claro a utilidade de Alina: desfazer a Dobra das Sombras. Mas quanto mais ela se envolve com o comandante, mais as coisas não parecem fazer sentido em seus planos.

“Ele olhou para mim, um pequeno sorriso brincando nos lábios. “Eu acho que é a construção mais feia que já vi na vida”, disparou ele, e fez o cavalo seguir adiante com um cutucão.”

Sombra e Ossos, cap. 5

O golpe tá aí, cai quem quer

O universo criado é bem rico e interessante, os poderes dos Grishas neste livro são o que mais chamam atenção, e a autora peca em não ter explorado um pouco dessa história já aqui. Os relacionamentos dentro da corte são outro problema, há diversas menções de como o Rei é um homem abusivo, vislumbres de um dos príncipes e opiniões sobre o mais novo, mas não há qualquer profundidade nessas questões ou personagens.

Falando em profundidade, Alina parece ter um problema evidente com seus sentimentos amorosos. De primeira, ainda voltados exclusivamente para Maly, vemos que ela supre suas habilidades desde pequena para que não perdesse a única pessoa que ainda estava ao seu lado, e quando adulta, ao se tocar disso, seus poderes aparecem com naturalidade. 

Posteriormente ela se envolve com o Darkling, e sua atenção se volta completamente para o comandante. Isso não deixa qualquer espaço para que haja empatia sobre a protagonista dentro de um triângulo amoroso que surge muito rápido e desaparece igualmente.

Outra questão são as reais intenções do Darkling que, se pararmos para pensar um instante, não parecem tão erradas assim, só precisam ser adequadas em alguns pontos. O que na verdade é preocupante, já que ela coloca tanta ênfase no personagem (mesmo ele não aparecendo tanto quanto se acredita), que pode deixar o leitor mais interessado no comandante do que nos demais.

“Eu não sou o bichinho de estimação dele.”
“Mas você quer ser”, ela zombou. “Não tente mentir para mim. Você é como todas as outras. Eu vi o modo como você olha para ele.”

Sombra e Ossos, cap. 12

Veredito

O primeiro livro parece bastante introdutório e é uma fantasia boa de se ler e passar o tempo, além de trazer um universo inspirado na Rússia, para aqueles que desejam mudar um pouco as referências. Alguns personagens são divertidos o bastante para acompanhar a interação e outros você quer saber mais a respeito. Também tem a questão da guerra e da história por trás de tudo aquilo, o que são pontos que aguçam a sua curiosidade.

Contudo, se peca muito na química que há entre o casal principal, além da narrativa de Alina, que falha em entregar profundidade das informações na hora correta. Isso pode ser problemático para alguns que desejam uma protagonista mais ativa e independente.

Pontos positivos

  • Universo inspirado na Rússia
  • Magia e Guerra

Pontos negativos

  • Falta de profundidade nas relações
  • Falta de empatia com o romance

NOTA: 6