Veredito de Pantera Negra: Wakanda Para Sempre

10/11/2022 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Um dos lançamentos mais esperados do ano, Pantera Negra: Wakanda Para Sempre finalmente chegou aos cinemas. A trama prometia prestar homenagem ao seu falecido protagonista, além de estabelecer o seu legado e apresentar novos personagens do MCU ao público. 

Mas será que o filme cumpriu o que prometeu e encerrou bem a fase 4 da Marvel? É sobre isso que falaremos nesse veredito, acompanhe.

Legado

A notícia do falecimento de Chadwick Boseman em 2020 pegou a todos de surpresa, poucos sabiam sobre a batalha que ele enfrentava contra o câncer e mesmo seus colegas de elenco desconheciam a situação. E ainda que só tenha participado de quatro longas do MCU, incluindo um filme solo, sua interpretação como rei T’Challa foi extremamente marcante.

Depois da morte do ator vinha o desafio: como continuar a história de Wakanda e do Pantera Negra? A resposta chegou esse ano com a continuação do longa de 2018. Dessa forma observamos que o filme tirou um tempo para prestar homenagem a Chadwick, mas buscou continuar a linha narrativa que os fãs estavam curiosos para ver.

Em Wakanda Para Sempre vemos que o reino africano vem sofrendo ataques de outros países após a morte de T’Challa, porém essas ações foram repelidas com sucesso pela rainha Ramonda (Angela Bassett) e as Dora Milaje. Mas tudo se abala quando uma nação submarina surge, forçando Wakanda a tomar partido como sua aliada ou inimiga.

Imagem de divulgação de Pantera Negra 2

Desafios

Já era claro desde o início que Pantera Negra 2 teria inúmeros desafios e não podemos deixá-los de lado ao observar o produto final que foi entregue. Parece óbvio que a morte do protagonista e os conflitos de produção prejudicaram o longa, fazendo com que ele parecesse nada mais do que uma sombra de seu antecessor.

O primeiro Pantera Negra é um filme impressionante, ele tem a beleza visual, as atuações acertadas de um elenco forte e um carinho pela produção refletido em tela. Infelizmente não é isso que recebemos em sua continuação.

O elenco antes unido, agora parecem estranhos. Talvez as filmagens tenham acontecido cedo demais. Talvez o roteiro tenha precisado de muitas alterações. O fato é que nada é como antes. O primor técnico tenta se manter e a narrativa possui pontos bastante interessantes, porém nada se desenvolve como deveria.

Imagem de divulgação de Pantera Negra 2

Altos e baixos

Como dissemos antes, Pantera Negra: Wakanda Para Sempre veio carregado com uma série de desafios: prestar homenagem, passar o manto, continuar a grande narrativa do MCU e ainda apresentar dois novos personagens, Riri Williams (Dominique Thorne) e Namor (Tenoch Huerta).

A parte da homenagem funciona, embora não seja tão acentuada quanto poderia. O filme sempre se volta para T’Challa, com diálogos que ecoam o seu intérprete, em um daqueles momentos onde ficção e realidade se confundem. Apenas acredito que eles não dão aos personagens tempo de cena o suficiente para deixar aquele acontecimento pesar, criando cortes bruscos que não fazem sentido.

Sobre a passagem de manto, não vou me aprofundar aqui para não dar spoilers, só deixo registrado que o arco do personagem para chegar até aquele momento não convence. Agora, quando vemos a grande narrativa da Marvel, o filme fica deslocado, ele não avança muita coisa e ainda cria uma trama paralela insossa com os EUA.

Para finalizar, sobre os personagens novos também temos erros e acertos. Riri é uma jovem brilhante e que parece se encaixar bem com os personagens de Wakanda, mas é muito escanteada, nunca conseguindo demonstrar a que veio. Parece que só quizeram introduzi-la logo para não ter que fazer o filme de origem. De todo modo ainda a veremos no futuro e com um arco melhor, esperamos.

Outro que conhecemos agora foi Namor. Esse sim conseguiu mais destaque, vemos as suas origens serem reveladas, com uma ancestralidade mesoamericana bastante crível e ainda um reino novo, o de Talokan. O personagem é complexo, com motivações claras, mas de moralidade dúbia. Certamente veremos mais dele no MCU.

Imagem de divulgação de Pantera Negra 2

Veredito

Pantera Negra: Wakanda Para Sempre sofre para cumprir sua longa lista de requisitos. Fruto de uma tragédia, o longa presta suas homenagens, mas sem ter muita certeza para onde ir depois disso. O elenco de peso não consegue esconder as escolhas narrativas questionáveis para seus personagens, que já pareceram mais interessantes antes.

A homenagem a Chadwick deve emocionar, mas para um filme que fala tanto sobre luto, ele não deixa suas cenas terem o peso necessário. A montagem picotada também revela fragilidades do roteiro, deixando algumas tramas sobrarem e também subaproveitando outras.

Outro ponto que incomoda são os efeitos visuais. Sim, essa é uma conversa que vem acontecendo há algum tempo sobre a Marvel, porém não há como negar que algumas produções sofrem mais com essa questão do que outras. Mesmo um filme de orçamento grande não conseguiu driblar o CGI problemático, que salta aos olhos vezes demais para ser ignorado.

No final, ganhamos um filme que poderia trazer mais peso e reflexão ao MCU, mas que não aproveita inteiramente seu potencial, ficando na superfície.

Pontos positivos:

  • Homenagem a Chadwick Boseman
  • Introdução da mitologia do Namor

Pontos negativos:

  • Trama picotada
  • Cortes bruscos nas cenas
  • Personagens mal aproveitados
  • Efeitos visuais mal colocados

NOTA: 6,5/10