Veredito de O Enfermeiro da Noite

01/11/2022 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Mais uma história de true crime acaba de estrear na Netflix. O filme O Enfermeiro da Noite (2022) é uma adaptação do livro homônimo que conta a história do enfermeiro Charlie Cullen, acusado de assassinar seus pacientes. Conferimos o longa e vamos contar nossas impressões.

Enredo

Uma paciente internada em um hospital acaba morrendo, o que deixa uma comissão especial da polícia questionando se ela poderia ter sido vítima de negligência. Entretanto, as investigações apontam que na verdade ela foi vítima de um assassinato. A polícia então passa a vasculhar todas as provas e acaba por encontrar como suspeito Charlie Cullen (Eddie Redmayne), um enfermeiro recém chegado naquele hospital, mas que já havia deixado um histórico de várias mortes não explicadas em seu local de trabalho anterior.

O roteiro do filme é bem interessante e tenta a todo custo não colocar holofotes no serial killer, mas sim em suas vítimas e na outra enfermeira que trabalha no hospital, a personagem de Jessica Chastain que ajuda a desvendar o caso. Além disso, é interessante observar como o texto trabalha a atmosfera de suspense e tensão durante todo o momento e faz com que o espectador sinta medo e asco do assassino.

Mesmo com foco nas vítimas, as cenas de ressuscitação no hospital ou de algum apelo desse tipo são evitadas – um aspecto muito positivo, já que essas vítimas são reais e assim elas são preservadas. Com relação a construção de personagens, o filme consegue fazer um trabalho interessante, já que é impossível o espectador se manter imparcial. Entretanto, o roteiro peca um pouco ao desenvolver a trama central, já que dedica muito tempo a uma subtrama (que mesmo sendo importante para o desfecho, acaba se alongando demais).

Imagem: Divulgação

Um caso real

Infelizmente, esse é um filme baseado em uma história real e que choca bastante o espectador. Os casos ocorreram em Nova Jersey, nos Estados Unidos, e vieram à tona em 2003. Charlie ganhou o apelido de Anjo da Morte, pois estima-se que ao longo de 16 anos como enfermeiro, ele matou cerca de 400 pacientes.

O caso é barrado no livro O Enfermeiro da Noite: uma história real de medicina, loucura e assassinato de Charles Graeber publicado em 2013. Segundo as investigações, ele atuava sempre da mesma maneira, injetando insulina e digoxina na bolsa com soro fisiológico. Para a polícia, ele revelou que fazia esse procedimento de três a quatro vezes por semana durante 16 anos.

No filme não é citado praticamente nada sobre o perfil psicológico e a história de vida de Charlie, que nasceu em 1960 e perdeu o pai ainda criança. Além disso, ele foi abusado diversas vezes por sua mãe durante a infância e por vezes tentou suicídio durante a adolescência. Quando ele se tornou adulto, entrou para a marinha, onde estudou enfermagem nos anos 1980.

Imagem: Divulgação

Veredito

O enfermeiro da noite é um filme forte, que provavelmente vai incomodar o público, mesmo sem mostrar nenhuma cena violenta. A temática do longa e a forma como ele é conduzido ajuda a causar essa sensação. A direção é cirúrgica ao decidir mostrar apenas o que é relevante e sugerir o que está acontecendo através da escolha da câmera de canto.

As atuações são muito boas de todo o elenco, porém é necessário destacar o trabalho de Jessica Chastain que consegue entregar o quão desgastante e perigosa é a situação. Outro aspecto interessante são os diálogos que não são nada expositivos e se tornam bastante profundos.

Apesar de ter sido bem adaptado, o roteiro peca por passar muito tempo na subtrama, o que dá a impressão de que o texto está dando voltas. Outro ponto negativo é a falta de trilha sonora, já que algumas cenas poderiam ser melhores caso ela estivesse presente.

Pontos Positivos:

  • Excelente atuação
  • Boa direção
  • Condução de narrativa

Pontos Negativos:

  • Falta de trilha sonora
  • Excesso de tempo na subtrama

Nota: 8