Veredito de Morbius

31/03/2022 - POSTADO POR cassino tower EM aplicativo russo aviator

Expandindo a franquia do teioso, mais um personagem do universo do Homem-Aranha acaba de chegar aos cinemas: o vampiro Morbius. O filme é uma parceria da Sony com a Marvel e traz Jared Leto no papel principal. Conferimos o longa em uma sessão especial para imprensa e a seguir contamos as nossas impressões.

Enredo

Michael Morbius (Leto) é um renomado cientista e médico que sofre desde de criança com uma condição rara no seu sangue, o que provoca dificuldades na sua locomoção e o obriga a andar de muletas. Por conta do problema, ele é bastante solitário, o que o levou a dedicar seu tempo na realização de várias pesquisas e experiências. Em uma delas, utilizando DNA de morcego, ele desenvolve um soro que modifica seu corpo e lhe dá características semelhantes a de um vampiro.

Por conta do soro, Morbius acaba precisando se “alimentar” de sangue para conseguir continuar vivendo, porém o efeito dura pouco tempo e, sem ele, o cientista fica fraco e agressivo. No início, Michael utiliza sangue artificial, mas o efeito passa a durar menos a cada vez que ele o utiliza. Enquanto isso, o sangue humano é muito mais eficaz e o deixa mais forte e desperta nele instintos primitivos. 

O roteiro do filme é bem introdutório e acaba não se alongando muito no passado do personagem, apesar de ter algumas cenas de flashbacks que mostram como Morbius se tornou quem é. Em outros momentos, são mostrados alguns poderes do vampiro, como audição aguçada, velocidade e fator de cura acelerado.

Imagem: Divulgação

Quem é Morbius?

Ao contrário de Venom, Morbius não é um dos vilões do universo do Homem-Aranha tão conhecidos. Ele estreou nas HQs em 1971, na edição 101, e foi criado por Roy Thomas e Gil Kane. Ele é um homem grego que passou um tempo durante sua infância em uma instituição para crianças com doenças raras e teve como mentor seu médico que percebeu seu potencial e o enviou para uma escola onde ele pudesse se dedicar ao estudo de biologia.

Morbius vive um dilema muito grande ao não saber o que fazer: ele precisa descobrir como lidar com os poderes de forma ética, além de saber como controlá-los. O filme gira em torno justamente dessa questão e lembra em vários aspectos a obra literária O Médico e o Monstro (1886) de Robert Louis Stevenson. Jared Leto combina bastante com o personagem e fica nítido que ele se entregou ao papel, porém o roteiro não deu tantas chances para redimir a sua atuação.

Efeitos Visuais

É bem comum em filmes que envolvem histórias de heróis a presença de bastante efeitos visuais – e não é diferente com esse novo longa. Na verdade, existe um exagero no uso do recurso, não sendo usado apenas nas cenas de ação ou que realmente exigiam algo que não poderia ser feito de forma “manual”.

É perceptível o uso até para mudar a aparência dos personagens, o que deixa de ser um trabalho de maquiagem e passa a ser aqui do departamento de efeitos visuais. Já em outros momentos, o filme tenta abandonar a estética mais escura e começa a utilizar cores de forma exagerada, o que torna a fotografia algo completamente confuso e poluído.

Imagem: Divulgação

Veredito

Infelizmente, Morbius não conseguiu repetir o feito de Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa (2021) e tem um roteiro chato, que roda em torno de um mesmo ponto sem nenhum desenvolvimento e traz um protagonista pouco carismático. Além disso, apesar de ter cerca de 1h44min de duração, o filme é tedioso demais. Outro problema está nos efeitos visuais exagerados que cansam o espectador. Quanto a atuação de Jared Leto, ela mais uma vez é espetacular e combina com o personagem, sendo esse o único ponto positivo do filme.

Pontos Positivos:

  • Boa atuação

Pontos Negativos:

  • Roteiro redundante
  • Exagero nos efeitos visuais
  • Plot simples sem profundidade

Nota: 3,5