Veredito de Elvis

13/07/2022 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Chega nos cinemas brasileiros neste dia 14 de julho a cinebiografia do “rei do rock and roll”, Elvis Presley. Lançado no 75° Festival de Cinema de Cannes, o filme de Baz Luhrmann foi ovacionado, recebendo aplausos de pé da plateia. Conferimos o longa em uma sessão especial e contamos aqui as nossas impressões.

Enredo

Elvis (Austin Butler) teve uma infância difícil, morou em um bairro humilde, mas teve contato com a música gospel, jazz e o rock desde cedo. Na juventude, ele começou a se apresentar em pequenos festivais, até que o Coronel Tom Parker (Tom Hanks) o achou e passou a ser seu empresário. Daí para frente, Elvis conquistou os Estados Unidos e o mundo com sua voz e rebolado marcante.

O enredo do filme é contado a partir da visão do empresário de Elvis, o que poderia gerar uma ambiguidade, mas os fatos mostrados na tela não são exatamente os que acontecem na narração. A escolha do período da trama foi bem cirúrgica, não deixando espaço para possíveis enchimentos de linguiça.

Imagem: Divulgação

Porém, isso também acaba deixando de fora alguns pequenos detalhes importantes para a trama, como o vício em junk food do cantor e o aprofundamento da relação entre Elvis e Priscilla. Apesar de sentir um pouco a falta desses acontecimentos, fica nítido que o enredo enxuto quer apenas mostrar a ascensão meteórica e a queda de um dos maiores astros dos Estados Unidos.

O filme apresenta as músicas de Elvis de uma forma que elas casem com o que está acontecendo naquele momento. Além disso, algumas outras canções que ficaram famosas na voz dele são interpretadas por outros cantores. Existem também algumas músicas originais, o que deixa tudo mais interessante. Para quem assistiu ou quer conhecer a trilha, ela já está disponível no Spotify.

Imagem: Divulgação

Uma volta ao passado

É nítido o quão cuidadosos foram as equipes de maquiagem e figurino para retratar da melhor forma possível os personagens. Aqui quero destacar como Tom  Hanks está irreconhecível e se assemelha bastante ao Coronel. Além disso, ficou claro como é importantíssimo fazer uma pesquisa detalhada para um bom resultado.

Austin é outro que está completamente diferente. Em sua interpretação, ele consegue emular de forma respeitosa e interessante o sotaque do rei do rock. Outra coisa interessante de sua atuação é a sua semelhança nas cenas em que ele está em algum show ou performance, realmente parece Elvis. Não duvido nada que o ator seja indicado a vários prêmios.

A biografia do cantor mostra bastante influência da cena musical negra, fato que vários pesquisadores e biógrafos discutem até onde é influência e quando começa a apropriação. A decisão de mostrar as origens musicais como algo que fazia parte de seu cotidiano poderia com certeza ter sido um pouco mais aprofundada.

Imagem: Divulgação

Veredito

Elvis é com certeza um dos melhores filmes do ano e vai figurar em vários prêmios. O rigor técnico precisa ser destacado, já que a montagem do longa ajuda a deixá-lo fluido de interessante. Quanto a escolha do roteiro de contar os acontecimentos a partir do ponto de vista de um “antagonista” é sem dúvida algo bastante acertado e um tanto diferente.

O elenco com certeza se entregou bastante aos personagens e suas interpretações ficaram simplesmente perfeitas. A caracterização é definitivamente algo que deve ser ressaltado no longa e, até agora, foi a melhor do ano de 2022. Apesar de entender que alguns fatos foram deixados de lado para fazer um filme mais redondo, creio que o longa poderia ter se debruçado um pouquinho mais na vida de Elvis e sua esposa, já que nos anos 1960 e 1970 o casal era altamente invejado e famoso, sendo parte importante da história do “rei”.

Pontos positivos:

  • Montagem interessante
  • Caracterização bem feita
  • Excelente interpretação

Ponto Negativo:

  • Alguns pequenos detalhes interessantes da vida de Elvis foram deixados de lado 

Nota: 9,5