A Mulher Rei: Viola Davis destaca importância do Brasil para narrativa do filme

21/09/2022 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

A atriz Viola Davis participou de uma entrevista coletiva na última terça-feira (19), no Copacabana Palace, para divulgar o filme A Mulher Rei. O longa, estrelado e produzido por ela, será lançado no Brasil nesta quinta-feira (22).

Durante a coletiva, a atriz ressaltou a importância histórica e cultural do nosso país no que diz respeito ao seu novo filme. “Existe um sentimento na cultura negra de que nós somos separados, que você tem os afro-americanos, os caribenhos e os brasileiros. […] Esse filme demonstra a conexão que nós temos como pessoas de cor”, afirma. 

“Quando assistirem o filme vocês verão como isso é incluído na narrativa. E eu espero que isso cause uma mudança, mesmo que pequena, para que não exista mais esse mistério entre nós, pois todos viemos da mesma fonte”, encerra Davis.

Viola ainda destacou como A Mulher Rei veio como forma de fazer mulheres negras se reconhecerem em tela, tendo em vista que épicos históricos dificilmente retratam aspectos de suas culturas originais. “Eu espero que o filme desperte o senso do espírito guerreiro que essas mulheres têm dentro delas, porque tudo é sobre se sentir digno”, explica.

A atriz completou o pensamento destacando como o sucesso comercial de um longa desse tipo representa uma conquista para a comunidade negra, em especial para as mulheres. Com isso, ela também espera que mais produções desse tipo cheguem ao grande público. “A audiência tem que pagar para ver filmes com pessoas como nós, se ela não fizer isso, então esses filmes não serão feitos”, aponta Davis.

Para Viola, a diferença entre as atrizes negras e as atrizes brancas mundialmente reconhecidas, como Meryl Streep, Helen Mirren e tantas outras, é a oportunidade. “A razão pela qual nós sabemos que elas são incríveis é porque elas tiveram a chance de mostrar isso”, enfatiza a atriz.

Viola Davis e seu marido, Julius Tennon, na coletiva de imprensa de A Mulher Rei. Imagem: Cadu Pilloto.

Sobre A Mulher Rei

No longa, a personagem de Viola Davis, Nanisca, é a Miganon – a general Agojie. Ela lidera esse grupo de guerreiras de elite do Reino do Daomé, durante o século 19. Quando o reino é ameaçado pelo Império de Oyó, cabe às Agojie defendê-lo.

Além de Viola, o filme é estrelado por Thuso Mbedu, Lashana Lynch, Sheila Atim, Hero Fiennes Tiffin e John Boyega. Dirigido por Gina Prince-Bythewood e com roteiro de Dana Stevens. 

A Mulher Rei foi rodado em locações na África do Sul. A produção teve o desafio de reproduzir uma história que se passava antes de existir a fotografia, por isso todo o visual teve de ser baseado em extensas pesquisas em textos e ilustrações da época.

Os figurinos tiveram o mesmo destino, procurando ser o mais verossímil possível, mas também dando liberdade para personalização por parte das atrizes. Algumas peças foram produzidas de forma artesanal na Gâmbia, como a saia que faz parte do uniforme de batalha das Agojie.

As atrizes ainda passaram por treinamento intenso para viver as guerreiras, algo que contribuiu também para passar mais veracidade nas cenas de ação. “Eram grandes guerreiras, porque viviam para o treinamento militar. A história se passa em 1800, e havia uma maneira específica de luta com facões e lanças, mas também combate corpo a corpo, e eu queria colocar isso na tela”, afirma a diretora Prince-Bythewood.

Viola Davis na coletiva de imprensa de A Mulher Rei. Imagem: Cadu Pilloto.