Veredito da 1ª temporada de Hell’s Paradise

10/07/2023 - POSTADO POR cassino monte serrat EM aviator game 1win

Adaptação do mangá de Yūji Kaku, Hell’s Paradise finalizou sua primeira temporada com a próxima já confirmada e também se destacando logo de cara entre os mais populares animes shonen da Crunchyroll.

Os tortuosos caminhos ao longo dos 13 episódios renderam uma história intrigante e conferiu ao estúdio MAPPA (Attack on Titan, Jujutsu Kaizen) uma nova animação de sucesso. Será que vale esse sucesso todo?

Oculto como isca

Um seleto grupo de criminosos condenados à morte é denominado a encontrar o Elixir da Eternidade em uma ilha da qual ninguém conseguiu retornar. Em troca, quem o trouxer terá sua execução cancelada.

Obrigados a ter um samurai do clã Yamada acompanhando a expedição, a mistura de Esquadrão Suicida com Jogos Vorazes é estimulante no começo pelas dúvidas quanto ao espaço singular e do potencial explosivo dos protagonistas.

Gabimaru, o Vazio, um ninja que deseja apenas reencontrar sua esposa, une forças com Sagiri, a samurai designada a cortar sua cabeça em caso de desvios na missão.

Imagem: divulgação

Gente demais, tempo de menos

O anime tinha/tem grandes oportunidades para se estabelecer como um título que brigue pelos holofotes do público. Os mistérios sobre as criaturas da ilha e os Gurus permitem diversas abordagens visuais e uma trama complexa durante vários episódios.

A dificuldade maior nesta temporada inicial foi engatar uma sequência marcante de capítulos que integrem de forma coesa esses potenciais. São 20 personagens mandados à ilha, além de 7 vilões principais, em apenas 13 episódios. Assim, não sobra o devido espaço para trabalhar o passado de muitos condenados, nem de seus “guardas”

O melhor capítulo foi justamente quando entendemos a ligação discípulo-mestre entre dois membros do Clã Yamada, investindo em uma narrativa que, embora curtíssima, trouxe o impacto emocional que era, até então, nulo.

É esse o tipo de conexão que os personagens devem criar, até porque Hell’s Paradise claramente não recebeu tanta atenção em seus efeitos visuais. Certas cenas de batalhas são inclusive cortadas, talvez economizando para o final. 

Essa falta de esmero não impressiona, visto que o MAPPA é sobrecarregado de projetos maiores. Um deles ia sair abaixo da média.

Imagem: divulgação

Veredito

A dinâmica de grupos funciona bem nos episódios finais, com o advento do Tao (energia espiritual, como um Kit) facilitando no aspecto visual e de crescimento de coadjuvantes

Porém, quase nenhuma das dúvidas lançadas no começo quanto às origens e motivações do Horai (centro da ilha) são respondidas. Há diálogos vazios entre os Gurus, que deveriam ser a ameaça mor no local, desestimulando um futuro confronto de ideias. 

O anime pareceu um test drive que promete uma versão deluxe no ano seguinte. São pontas soltas sobrando e meses de trabalho gráfico para incrementar esses VFX em uma obra com uma história esquisita, porém interessante. A ver como o MAPPA vai lidar para 2024.

Pontos negativos:

  • Efeitos visuais abaixo da média do MAPPA
  • Quantidade enorme de personagens escanteados

Pontos positivos:

  • Trama intrigante pelo mistério dos antagonistas
  • Dinâmica de grupo nos capítulos finais

NOTA: 5/10