Veredito da 1ª temporada de Primeira Morte

13/06/2022 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

Primeira Morte é a nova série da Netflix, baseada no conto homônimo de V. E. Schwab, parte de seu livro Vampiros Nunca Envelhecem (2022), que foi trazido para o Brasil pela Editora Galera. A primeira temporada está disponível no catálogo do streaming, nós do Roteiro Nerd já assistimos e viemos falar para vocês o nosso veredito.

Juliette se apaixona

Juliette Fairmont (Sarah Catherine Hook) é uma jovem que tem tudo pra ser não apenas normal, mas viver uma vida plena e feliz. Seus pais a amam, ela tem uma irmã que é sua maior inspiração e um melhor amigo de sua vida inteira… Só um pequeno problema, sua sede de sangue vem piorando suas dores de cabeça e trazendo outros sintomas juntos. E a sua paixonite na garota novata não ajuda em nada.

Calliope Burns (Imani Lewis) está cansada de ser a garota nova, além disso, ela sempre é subestimada por seus dois irmãos mais velhos quando se trata de manter os negócios da família… E o fato de que ela cometeu um erro em sua primeira caçada só piorou sua situação. Mas tudo parece que vai mudar, quando a jovem encontra uma vampira em plena luz do dia pelos corredores do colégio.

O destino das garotas parece querer se unir, em mais de uma forma possível, trazendo suas primeiras vezes à tona, inclusive, a da importante “Primeira Morte”.

Imagem: Divulgação

Se houvesse uma novidade

A série é, acima de tudo, bem leve. Não negando que há mortes, violência e assuntos místicos, mas não há uma verdadeira seriedade, ou busca de tal, em seu roteiro, ou efeitos especiais. Esse último inclusive é quase amador. Se fosse para buscar uma novidade em sua história é melhor apontar questões como matriarcado, representatividade LGBTQIA+ e a trilha sonora.

Durante os episódios não há qualquer menção a preconceito ou mesmo estranheza no relacionamento das protagonistas, o que é refrescante, contudo, a mesma cortesia não é entregue a todos os seus núcleos, mesmo que de forma breve. 

Outro assunto, esse de forma explícita, é a questão do matriarcado. É difícil encontrar uma história fantástica que foque nas mulheres em suas histórias e políticas, o que traz pontos positivos, mas nem tantos, já que o roteiro peca no potencial de tais relações ou cenas. E por fim, a trilha sonora, impecável. Músicas que trazem sentido às cenas, aos temas, e em momentos oportunos para a direção e enredo.

Esses pontos, no entanto, não conseguem dar força ao roteiro, atuação e direção, nos quais a série peca em níveis chocantes. Seu público é novo, que talvez tenha acabado de descobrir a respeito do gênero vampiro e criaturas fantásticas nas telas, mas mesmo assim, é difícil acreditar que o streaming consiga dar força aos fãs com o material.

Imagem: Divulgação

Veredito

A série foi pouco divulgada pela Netflix, apesar de ser produzida não apenas pela autora, mas também pela atriz Emma Roberts. Dentro de seu elenco há nomes muito bons, tais como Elizabeth Mitchell, como a matriarca Margot Fairmont, Will Swenson e Jason R Moore. Porém, a falta de uma experiência significativa de suas protagonistas e o roteiro fraco demais mostram uma dificuldade em crer que haverá uma continuação para a história.

As relações entre os personagens não ajudam em nada com essa crença. Como a série toda é baseada em um conto, fica fácil saber porque isso acontece, mesmo assim a inspiração em Romeu e Julieta é tão explícita que beira a chateação e uma barra forçada até dizer chega.

Por isso, Primeira Morte é uma série juvenil, que não tem pretensão alguma, e que, mesmo assim, conseguiu entregar menos do que foi pedido para uma adaptação.

Pontos positivos

  • Trilha Sonora 
  • Matriarcado
  • Representatividade

Pontos negativos

  • Roteiro
  • Direção
  • Efeitos Especiais
  • Relações dos personagens
  • Atuação das protagonistas

NOTA: 5