Veredito de The Witcher: Lenda do Lobo

29/08/2021 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Enquanto os fãs esperam ansiosos pela segunda temporada de The Witcher (2019 -), que está marcada para sair em dezembro, a Netflix prepara o terreno com uma animação-prelúdio que se passa 100 anos antes dos eventos da série principal. Nós conferimos Lenda do Lobo e vamos contar tudo o que achamos para você.

Tradição ameaçada

100 anos antes de Geralt de Rívia (Henry Cavill) lutar contra monstros e ser um dos últimos expoentes de sua classe, Kaer Morhen era uma escola que formava bruxos a base de testes violentos e experimentos controversos. Entre eles estava Vesemir, futuro mentor de Geralt.

Vesemir é um bruxo fanfarrão, que se diverte ao caçar monstros e não se poupa dos prazeres da carne com o ouro de suas recompensas. Por meio de flashbacks, vemos que o garoto sempre foi ambicioso e se tornou exatamente o que estava predestinado a ser.

Mas nem tudo é tão simples assim. Com o aparecimento de monstros híbridos cada vez mais poderosos e mortais, as suspeitas recaem sobre os bruxos, liderados pela feiticeira purista Tetra Gilcrest, que vê esses caçadores com uma aberração da natureza.

Imagem: Divulgação

Passado sombrio

Com pouco mais de 1h20 para desenvolver seus personagens, o filme funciona muito bem como um prelúdio para a história contada na série principal e responde a várias dúvidas dos fãs sobre o passado dos bruxos.

Infelizmente, o seu curto período não permite todo o aprofundamento que a trama poderia ter, fazendo com que muitos de seus temas e personagens fiquem apenas jogados em tela. Um bom exemplo disso é a antagonista Tetra, que se encaixa na história de uma maneira um tanto artificial, carecendo de mais nuances em sua personalidade.

Também seria mais interessante se aprofundar na relação entre magos e bruxos. Existe uma explicação rápida sobre o porquê de eles terem sido criados, mas é algo apenas pincelado. Se o tema não voltar a ser comentado na série principal, será realmente um desperdício.

Imagem: Divulgação

Revelações

Mesmo com essas falhas, o filme funciona bem para quem é fã da série e já estava com saudade desse mundo. Se por um lado a ambientação é muito semelhante, a Lenda do Lobo é um tanto mais sangrenta que The Witcher, talvez pela facilidade que a própria animação representa, trazendo cenas bem gráficas de violência.

O protagonista é outro ponto positivo. Depois de acompanhar alguém tão soturno quanto Geralt, é interessante ver a personalidade mais jovial e brincalhona de seu mentor, um bruxo que parece se divertir com o seu trabalho.

Além disso, ver todo o passado de Kaer Morhen, quando a escola estava no auge, tem o seu valor. O que nos traz para uma das informações mais interessantes reveladas pela animação: mostrar o processo de criação de um bruxo. Geralt mencionou como era algo muito difícil de se passar, mas ver em tela torna a experiência mais crua e arrasadora, principalmente por acontecer com crianças.

Imagem: Divulgação

Veredito

The Witcher: Lenda do Lobo é um presente e tanto para os fãs do seriado, nos deixando ainda mais ansiosos para a estreia da próxima temporada. Até porque nela teremos o retorno de Vesemir, dessa vez mais velho e provavelmente com uma personalidade menos relaxada.

É provável que o segundo ano de The Witcher também traga mais elfos, criaturas que foram apresentadas neste filme e podem ter participações interessantes na história – principalmente levando em conta como eles tiveram um papel reduzido em Lenda do Lobo.

Mesmo com seus tropeços, o longa tem uma animação bem trabalhada, uma história interessante e personagens que devem retornar no futuro. Agora nos resta esperar pelo lançamento da nova temporada do seriado para ver como estará o mestre de Geralt depois de tantos anos.

Pontos positivos

  • Boas revelações sobre o passado
  • Protagonista interessante
  • Animação de qualidade

Pontos negativos

  • Personagens secundários pouco explorados
  • Podia ter mostrado mais sobre a relação entre magos e bruxos

NOTA: 8,5