Your Name: uma conexão além do tempo e espaço

28/01/2018 - POSTADO POR EM Animes / Mangás E Filmes
Post thumbnail

Poucas vezes na vida sentimos um vínculo especial com alguém, algo profundo e forte. Essa é a base de “Your Name”, também conhecido como “Kimi no Na wa”.  O filme é realizado e escrito pelo diretor Makoto Shinkai, responsável por projetos como “O Jardim das Palavras” e “Cinco Centímetros por Segundo”, ganhador do Asia Pacific Screen Awards na categoria Melhor Filme de Animação. A gente assistiu na Netflix e separou aqui algumas impressões da produção japonesa. 

Um nome

O enredo do anime é bastante simples, temos nossos dois personagens principais em suas vidas cotidianas. Mitsuha é uma garota que vive no campo, mora com a avó e a irmã e trabalha como sacerdotisa no templo da sua família. Taki vive em Tóquio com o pai e tem a rotina agitada de uma cidade grande, com a escola e o trabalho de meio período não lhe sobre tempo para mais nada. Com aparentemente nada em comum, esses dois adolescentes se veem na pele um do outro do dia para a noite (parece um pouco a história de “Todo Dia” #Thais).

A princípio eles acreditam estar apenas em um sonho, especialmente porque no dia seguinte suas memórias são vagas sobre a experiência vivida e nem sequer lembram o nome da pessoa com quem trocaram de lugar. Mas com o passar dos dias ambos percebem o que realmente está acontecendo e estabelecem regras de convívio para não interferir demais na vida um do outro, comunicando-se por bilhetes e por um diário escrito em cada celular.

A partir daí não posso revelar mais sobre o enredo, porém digo que essa história não é tão trivial como aparenta e uma reviravolta espera os nossos personagens mais ou menos na metade do filme.

Uma questão cultural

“Your Name” trata de temas relacionados à cultura japonesa de uma maneira muito leve e didática. A avó de Mitsuha, por exemplo, explica certos conceitos espirituais que serão importantes para a história mais a frente, então sugiro prestar atenção nas conversas com ela (#Thais).

Uma das concepções que mais se vincula à trama é a de Musubi, palavra japonesa que, segundo o anime, significa a união de dois elementos, podendo ser algo comum, como a alimentação, ou algo profundo, como a conexão entre duas pessoas. A partir do desenvolvimento do enredo, você percebe que essa ideia é um dos pontos centrais da mensagem que o filme quer passar.

Foto: Divulgação

Para ver e ouvir

Um aspecto do filme que se destaca bastante é sua animação (#Thais). Os cenários são impressionantemente bem feitos e as cenas que mostram o céu são umas das mais bonitas. Nas paisagens do campo, onde vive Mitsuha, temos todo o colorido da natureza enfatizado, já na Tóquio de Taki os detalhes é que encantam, como o realismo das placas de trânsito e os elementos que compõem as calçadas. Importante ressaltar que algumas dessas paisagens foram desenhadas a partir cenários reais do Japão, o que só enaltece a técnica usada para produzi-lo.

Outro detalhe muito bom é a trilha sonora, por vezes o anime conduz a história através das músicas. Ocasionalmente temos uma pausa nos diálogos ou uma mudança para monólogos com uma melodia ao fundo e as ações dos personagens se desenvolvendo de maneira acelerada em tela. Inclusive logo no começo temos uma espécie de abertura, na qual são apresentadas cenas da vida dos protagonistas acompanhadas de melodia, bem ao estilo dos animes episódicos.

Foto: Divulgação

Um sucesso dentro e fora do Japão

O anime estreou em 2016 e rapidamente se tornou um sucesso de bilheteria mundial, arrecadando US$355 milhões e ultrapassando “As Viagens de Chiriro”, o anterior recordista como anime mais rentável no mundo. A distribuição no Brasil foi mais discreta, porém o título recentemente chegou à Netflix, então esperamos que mais pessoas tenham acesso a essa belíssima história.

Por ser tão bem sucedido nos cinemas, foi anunciado que “Your Name” ganhará uma versão live-action. O filme ficará por conta da Paramount Pictures em parceria com a Bad Robot, produtora de J. J. Abrams. Será uma realização em conjunto com a Toho, responsável pelo anime original, trazendo seu produtor Genki Kawamura e roteiro de Eric Heisserer (“A Chegada”). 

Foto: Divulgação