Vila do Chaves: Nova sala do Escape 60 é pura diversão e adrenalina!

28/08/2018 - POSTADO POR , , e EM Patrocinadas
Post thumbnail

Você conhece o Escape 60? Trata-se de uma proposta de passatempo diferente, onde você e seus amigos são “trancados” numa sala e tem 60 minutos para desvendar os segredos do local e saírem como vencedores. A empresa segue os moldes dos jogos de escape que tem feito sucesso nas grandes capitais do mundo e cativam os participantes pela abordagem prática de todo o jogo.

Em Fortaleza, você encontra uma unidade na avenida Desembargador Moreira, 530, com seis salas temáticas: “Vila do Chaves”, “Joia da Coroa”, “Corredor da Morte”, “Fuga Explosiva”, “Operação Resgate” e “Salvem Nossas Almas – S.O.S”. Inclusive, na última quarta-feira, 22 de agosto, cinco integrantes do Roteiro Nerd foram conferir a “Vila do Chaves”, onde receberam a missão de desvendar desafios até encontrar o dinheiro desaparecido do Seu Madruga.

Após passar por vários perrengues, a galera conta aqui o que achou dessa experiência! Lembrando que durante todo o mês de agosto, quem jogar de terça a quinta-feira paga apenas  R$ 55,00* (por pessoa) em todas as salas desta unidade. Nos demais dias da semana (sexta-feira, sábado e domingo), o valor fica em R$ 69,90 (por pessoa).

*Não podemos dar muito detalhes da “Vila do Chaves”, pois sua diversão poderá comprometer-se devido aos spoilers, e não queremos isso! ;D

Vila do Chaves e seus mistérios! (Daniel Costa)

Quando falamos de “Chaves”, o que vem a sua cabeça? Diversão, infância e humor seriam algumas das opções se estivéssemos falando do seriado mexicano. Porém, na sala do Escape 60, a situação é bem diferente. Em apenas 60 minutos, tivemos que resolver vários quebra-cabeças e contas. E o pior: ainda assim não conseguimos recuperar o dinheiro do Seu Madruga a tempo, deixando várias charadas a serem solucionadas.

Mesmo já tendo ido na sala “Corredor da Morte”, a situação não ficou mais fácil e não consegui passar muitas dicas para a equipe. Tudo dentro do espaço é muito bem feito e pensado, indo da ambientação até os desafios. Você vai se sentir na vila, mas vai ficar muito apreensivo durante toda a jogatina.  Então, se você procura diversão com os amigos e muito sofrimento (rsrsrs..), vá direto pra “Vila do Chaves”. O desafio é certo!

Foto: Henrique Villela

Primeira vez no jogo! (Thais Carneiro)

Nunca havia participado de um jogo como este e estava curiosa para ver o desenrolar da coisa. A ambientação é bem divertida, foi como ser transportada para a minha infância ao estar no meio da Vila do Chaves. Além disso, os desafios são surpreendentemente complexos, em momento nenhum eles subestimaram o jogador e diversas pistas não são nada óbvias.

O tempo no relógio te deixa ansiosa assim que a primeira meia hora passa e você vasculha cada centímetro do lugar muitas e muitas vezes. E uma grande vantagem é que mesmo que a sua equipe não saia antes dos 60 minutos ainda é um jogo prazeroso, que vai te deixar intrigado até o final.

Foto: Daniel Costa

Difícil até o fim! (Henrique Villela)

Minha maior surpresa foi o quão difícil é a Vila do Chaves. Por ser um tema relativamente leve, sem coisas sombrias e etc., esperava que seria “fichinha” sair da sala. Quão errado eu estava. O nível de complexidade dos enigmas é bem alto e requer habilidades de cálculos e de raciocínio lógico.

Por existir uma série de possibilidades de caminhos a serem percorridos sem que os jogadores saibam a ordem exata, muita coisa se dá por tentativa e erro, e o importante no meio disso tudo é saber jogar em equipe e ser desenvolto pra quebrar a cabeça e descobrir como as coisas se encaixam.

Foto: Daniel Costa

Experiência não é tudo! (Rebeca Bento)

Apesar de já ter ido outra sala do Escape 60, o “Corredor da Morte”, confesso que fiquei bem surpresa com a “Vila do Chaves”. Achei que seria algo bem bobo e fácil de ser resolvido. Ao entrar na sala, fiquei surpresa com a ambientação perfeita da vila, o que deixa o jogador mais animado em resolver os enigmas.

Em comparação com a experiência passada, essa sala tem charadas e truques muito mais complexos. Apesar de faltar os sustos, as questões a serem resolvidas eram muito mais complicadas, exigindo da equipe concentração e rapidez para resolvê-las.

Foto: Daniel Costa