Veredito de Vingadores: Guerra Infinita (Com Spoilers)

28/04/2018 - POSTADO POR , , e EM Filmes
Post thumbnail

Se você está aqui é porque busca conhecimento além do normal sobre “Vingadores: Guerra Infinita”, que estreou nesta quinta-feira, 26 de abril. Agora é a vez de comentarmos sobre tudo o que acontece no filme – e o que pode vir a seguir – sem se preocupar com spoilers. Abaixa, que seguem os tiros!!

*ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS*

Valeu o custo?

Muitos de nós estávamos realmente apostando em perdas que envolviam grandes nomes entre os Vingadores. Havia aqueles que anteciparam a morte do Capitão América. Alguns já se preparavam para ver o próprio Tony Stark deixar seus entes queridos. Talvez a maior surpresa, no entanto, foi assistir o fim de dois personagens em particular. Logo na primeira sequência, quando presenciamos o sacrifício de Loki diante do irmão, seguido da tentativa de trapaça que já é natural de sua índole,  sentimos que aquilo foi intenso. Sabemos que o “filho bastardo” de Odin já teve experiência de idas e vindas no mundo dos mortos, mas parece que dessa vez é pra valer. E realmente não sei como eu, pessoalmente, não previ isso acontecer (#Gabriel). É que o personagem não aparecia tanto nos trailers e nem sequer estava nas peças publicitárias… Por mais controverso que seja, Loki tinha um espaço reservado no coração.

Outra casualidade difícil de engolir chama-se Gamora. Vamos ser bem honestos: esse filme foi feito pra ela. A saga dramática da assassina dos Guardiões da Galáxia é cheia de nuances. Embora ela esteja inserida no universo mais cômico e nonsense dessa geração de heróis, temos que admitir que chegou a hora de levar as coisas a sério. E não somente  presenciar o flashback trágico da pequena verdinha dos Zen Whoberi, mas acompanhar toda aquela sequência em que Thanos obtém a joia da alma não foi fácil. Por mais que as ideias do super poderoso Thanos sejam loucas da cabeça, é impossível não sentir pena do dilema crucial em sacrificar a única pessoa que ele realmente amava. Vale a pena?

Foto: Divulgação

O fim do começo

A Marvel Studios conseguiu um feito enorme. Fazer um filme dessa escala funcionar não é nada fácil. E ter paciência de construir um universo cinematográfico ao longo de dez anos para culminar nesse ponto épico que se encerra em puro caos é algo brilhante e sem precedentes, que merece muitos aplausos. Gostando ou não do longa, é inegável que estamos assistindo a história do cinema sendo feita.

Em meio a alguns pormenores técnicos como poucos cortes apressados no primeiro ato ou um diálogo sisudo aqui e ali são algumas das poucas críticas que podem ser feitas. O filme é longo demais para seu próprio bem, mas quando chegamos na parte em que Thanos finalmente coloca os pés na Terra, entendemos que toda aquela antecipação era necessária. Por falar em Thanos, que personagem, senhoras e senhores… Me sinto seguro em declará-lo como melhor vilão da Marvel. E esse é o momento dele. Em Guerra Infinita, é Thanos quem completa seu arco e seus objetivos, não os Vingadores. E isso é algo lindo de se ver.

As escolhas do roteiro são as melhores possíveis. Separar os heróis em times foi uma escolha acertada, fazendo com que em momento algum a tela ficasse cheia demais. E o mais interessante, é que no fim, quem mais se esperava que fosse morrer sobreviveu aos planos de Thanos. Como foi dito anteriormente, a maioria das apostas indicavam que Capitão América e/ou Homem de Ferro não sobreviveriam ao longa. Mas a inteligência da produção está justamente em deixar o time original dos Vingadores vivo. Dessa forma, eles tem a honra de encerrarem juntos a trama que iniciaram, e a oportunidade de salvarem aqueles que herdarão o MCU. É por isso que o próximo filme dos Vingadores (ainda sem título anunciado) promete ser tão importante – e ainda mais grandioso – do que este.

“Este é o filme de Thanos. Em Guerra Infinita, é ele quem completa seus objetivos, não os Vingadores. E isso é algo lindo de se ver.”

— Henrique Villela

Foto: Divulgação

Quais os destaques e surpresas do filme?

Nesta aventura épica, somos expostos não somente a toda força de Thanos, mas também a força e capacidade de muitos membros dos Vingadores, como Dr. Strange, mostrando magias ainda mais interessantes do que em seu próprio filme; Thor, se superando ainda mais e afirmando que realmente tem as capacidades de um Deus, e Mantis; provando que pode ser forte o suficiente para imobilizar Thanos.

O filme tem poucos momentos em que o público pode parar para respirar e pensar de maneira profunda sobre o que está acontecendo, pois a ação é quase constante com seus vários núcleos tentando atacar ou se defender de Thanos em lugares diferentes da Terra e do Universo. Porém, quando o momento acontece, damos conta do ótimo trabalho realizado para unir as narrativas de 10 anos de filmes e fazer com que tudo visto até agora no MCU faça sentido e culmine naquele embate contra o titã Thanos.

Talvez mais importante do que isso seja a fidelidade à identidade de cada um dos personagens utilizados dos outros longas. Peter Parker, por exemplo, se encontra em um ambiente bem mais sombrio e diferente do que está acostumado, mas isso não faz o personagem deixar de ser um adolescente que busca salvar a todos usando seus poderes. Isso me surpreendeu bastante, pois muitos tinham medo de que, com a quantidade nunca vista de heróis em um mesmo filme, se perdesse um pouco da identidade de cada um dos personagens, mas o que presenciamos é essa incrível heterogeneidade unindo forças de maneira harmoniosa (#Rebeca).

“Filme capaz de superar expectativas até dos fãs mais otimistas, com humor na dose certa, seriedade quando necessário e um final incrível e controverso.” 

— Rebeca Bento

Foto: Divulgação

E a cena pós-créditos?

Como já é de tradição, todo filme da Marvel apresenta alguma cena pós-créditos que tenha ligação com o futuro do universo cinematográfico. Desta vez, a nossa torcida funcionou e teremos mais uma heroína incrível no MCU (Universo Cinematográfico Marvel): A Capitã Marvel, que aparecerá pela primeira vez em seu filme solo, com estreia prevista para 28 de fevereiro de 2019.

Em “Guerra Infinita”, a rainha só ganhou uma menção pelo ex-diretor da S.H.I.E.L.D, Nick Fury, que a contata através de um dispositivo, mostrando apenas o símbolo de luta da Carol Danvers. Ou seja, ela já está mais que garantida em Vingadores 4 e deve ser fundamental para salvar os sobreviventes, como Hulk e Viúva Negra; e, até mesmo, os mortos, como Homem-Aranha e Pantera Negra.

“A chegada da Capitã Marvel representa esperança e poder para os Vingadores desolados.”

Daniel Costa

Foto: Divulgação