Veredito de The Boys

08/10/2019 - POSTADO POR EM Séries

Já imaginou viver em um mundo onde os super-heróis fossem verdadeiras celebridades? Na série “The Boys” da Amazon Prime isso é uma realidade. Baseada na graphic novel homônima, o seriado foi produzido por Eric Kripke, responsável por “Sobrenatural”, Evan Goldberg e Seth Rogen. Conferimos e vamos contar tudo que achamos.

Super-heróis S.A.

Após perder a sua namorada em um acidente envolvendo um dos integrantes de um grupo de super-heróis extremamente famoso, Hughie Campbell (Jack Quaid) começa uma busca implacável por justiça para moça. Sabendo disso, Billy Butcher (Karl Urban) se junta a ele para que possam colocar esse time de seres poderosos na linha.

Apesar do que todos acham, os famosos super-heróis não são tão bonzinhos assim e escondem um lado corrupto e sombrio. Butcher começa a reunir uma equipe de pessoas que também desconfiam dessa fachada de bondade dos protetores e passam a investigar a origem deles e a empresa pela qual são financiados.

Foto: Divulgação

Os Sete

“Os Sete” são os super-heróis de elite da empresa Vought, cada um possui uma habilidade diferente. Com a aposentadoria de um deles, uma nova heroína entra para o grupo, Starlight ou Annie (Erin Moriarty), seu poder consiste em super-força e emitir luz. Ela tem problemas para se adaptar ao grupo, por discordar da filosofia da organização. 

Homelander (Antony Starr) é o extremamente poderoso líder da equipe, aos olhos do público ele é um nobre combatente da injustiça, mas isso esconde uma personalidade sádica e arrogante. Queen Maeve (Dominique McElligott) é um membro veterano do grupo e um dia já quis ajudar os mais necessitados, mas se desiludiu por conta da ideologia do meio em que foi inserida. Seu superpoder é força sobre-humana e invulnerabilidade. 

A-Train (Jessie T. Usher) é o velocista do grupo, ele tem a ambição de manter o seu status de homem mais rápido do mundo, temendo perder toda sua fama e lugar no time se isso deixar de ser verdade. The Deep (Chace Crawford) tem como poder respirar debaixo d’água e conversar com a vida aquática, e se utiliza de sua popularidade para assediar fãs. Black Noir (Nathan Mitchell) é um herói silencioso e enigmático, que usa uma roupa que lembra um uniforme ninja e possui força e agilidade sobre humana. Por último temos Translucent (Alex Hassell), que pode se tornar invisível, além de possuir invulnerabilidade, habilidade que vem de sua pele formada por um composto de carbono tão duro quanto diamante.

Foto: Divulgação

Os Caras

“Os Caras”, ou “The Boys” em inglês, é um grupo de pessoas que estão determinadas em investigar e provar a corrupção e hipocrisia que ocorre no mundo dos supers. Eles são liderados por Billy Butcher, que odeia toda e qualquer pessoa com poderes, e tem um ódio especial por Homelander, quem ele culpa pelo desaparecimento de sua esposa. Hugh Campbell se junta ao grupo após sua namorada ser atropelada, e morta, acidentalmente por A-Train, isso o faz ficar traumatizado e Butcher se aproveita desse fato para recrutá-lo. 

Marvin / Mother’s Milk (Laz Alonso) é um antigo membro do grupo, que a todo momento ameaça deixar de participar dessa caçada por se preocupar com a segurança de sua família. Ele trabalha na reabilitação de jovens infratores e está sempre preocupado com a proteção de todos. Frenchie (Tomer Capon) é um mercenário especializado em munição, comunicação e infiltração. Sua tendência de não seguir os planos da equipe o coloca em constantes conflitos com Marvin. 

Kimiko / A Fêmea (Karen Fukuhara), é uma super-humana muda que foi salva pelo grupo e se torna um membro, ela tem a capacidade de se regenerar, além de superforça. Butcher não gosta dela, pelo simples fato de ter poderes, mas a tolera por pedido de Frenchie.

Foto: Divulgação

Veredito

Adaptações nem sempre funcionam tão bem quanto queremos e ficamos ansiosos, mas esse não é o caso de “The Boys”. A forma como as páginas foram levadas para as telas ficou perfeita. Cada personagem funcionou com o ator escolhido para interpretar.

Um problema que sempre vem quando pensamos em adaptações é como as cenas violentas irão se transformar e se a coerência será mantida. Aqui temos um exemplo bem claro de como a fidelidade às cenas de violência gráfica e a exploração de muito sangue, explosões e membros arrancados foram usados de forma esperta.

Como nem tudo é perfeito, apesar de ter um roteiro incrível, ainda pode gerar nos espectadores um certo incômodo por conta de alguns personagens permanecerem como um mistério, sem contar abertamente sobre os seus passados. 

Mas apesar desse detalhe “The Boys” é uma das melhores adaptações de quadrinhos desde o “Demolidor” da Netflix. Os oito episódios funcionam muito bem e são suficiente para deixar o público querendo uma segunda temporada, que já foi confirmada, mas ainda não tem data definida. 

Foto: Divulgação