Veredito de O Mundo Sombrio de Sabrina

30/10/2018 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

A nova aposta da Netflix é uma releitura de uma queridinha dos anos 1990: “Sabrina, Aprendiz de Feiticeira”. Baseada nas HQs de horror “Chilling Adventures of Sabrina”, a série apresenta um clima mais sombrio para as aventuras da bruxinha ao mesmo tempo em que traz a sensação de nostalgia. Atenção que a produção mal estreou e já foi renovada para a segunda temporada, tem coisa boa aí.

Batismo de sangue

Na série, Sabrina Spellman (Kiernan Shipka) é uma garota prestes a completar 16 anos, idade obrigatória para participar de uma cerimônia que lhe garantirá poderes completos e um lugar fixo no culto ao Senhor das Trevas (sim, o próprio capeta). Por ser meio-bruxa e meio-mortal isso significa deixar sua vida humana normal para trás: escola, amigas e namorado. A garota fica em dúvida se vale mesmo a pena virar bruxa.

Sabrina foi criada pelas tias depois do falecimento de seus pais. Hilda (Lucy Davis) e Zelda (Miranda Otto) são como partes opostas de uma mesma moeda, sempre discordando sobre a maneira certa de educar a sobrinha, mas é válido dizer que se encaixaram bem no papel de mães. Quem também vive na casa é o vivaz primo Ambrose (Chance Perdomo), um feiticeiro que já em prisão domiciliar a 75 anos por certos crimes no mundo mortal.

Foto: Divulgação/Netflix

Venha para a escuridão, Sabrina!

A primeira coisa que chama a atenção na série é a abertura. Os créditos iniciais são formados por desenhos de HQs bastante coloridos e cheios de horror, é impossível você não gostar de ver.

Agora passando para os episódios é válido ressaltar que temos um problema de ritmo. A produção é dividida em dez capítulos, todos têm entre 50 min e 1h de duração, então se você está pensando em fazer uma maratona talvez não seja tão fácil assim.

Em um plano geral dá pra perceber que alguns plots e cenas poderiam ser eliminados para o melhor andamento da história. O começo é bem lento, a história só consegue se firmar mesmo do 5º episódio em diante. Nele encontramos o tom certo para a narrativa e a profundidade que faltava a alguns personagens secundários, além de pegar pesado na magia, que afinal é um dos pontos fortes da produção, mas que ainda vale ser mais explorado.

Foto: Divulgação/Netflix

Amigas, namorado e as Irmãs Estranhas

Uma das coisas que a produção mais investiu foi na variedade de personagens secundários. O núcleo humano de Sabrina é especialmente interessante, pois, assim como em outras séries sobrenaturais, ele avança aos poucos para o mundo misterioso da protagonista, o que é uma questão que será bem mais debatida no segundo ano.

Partindo para aqueles que fazem parte do mundo bruxo adolescente, temos como destaque o trio conhecido como as Irmãs Estranhas. A líder Prudence (Tati Gabrielle) é aquela típica garota poderosa e mimada que gosta de atazanar Sabrina, principalmente pelo fato dela ser mestiça, mas vemos mais facetas da bruxa ao longo da temporada, o que dá esperança de que a vejamos menos unilateral no futuro.

Foto: Divulgação/Netflix

Veredito

“O Mundo Sombrio de Sabrina” trouxe uma narrativa pontuada por altos e baixos, fazendo parecer que há uma falha entre saber o que é necessário para a trama e o que é dispensável. Entretanto, o rumo que a narrativa toma a partir da metade da primeira temporada mostra todo o seu potencial de criar um entretenimento de qualidade.

O elenco consegue desempenhar bem seus papéis, a maioria é bastante carismático e faz você se importar com ele (mas eles estão em débito com o familiar da Sabrina, precisamos de mais tempo de tela para o Salém).

O clima de horror também merece ser repensado para o segundo ano, em diversas cenas ele é bastante palpável, quanto em outras some totalmente. A série merece investir nisso se quiser conquistar uma audiência mais apegada a produções de terror.

O final apresentou pequenas mudanças de rumo para os personagens e faz você ficar curioso para saber quais serão os seus destinos. É um bom começo, mas acredito que Sabrina pode fazer muito mais pelo mundo bruxo e pelo nosso, aguardando ansiosa pela parte dois de suas aventuras sinistras.

Foto: Divulgação/Netflix