Veredito de O Menino Que Queria Ser Rei

22/01/2019 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Está chegando nos cinemas uma nova releitura da lenda do Rei Arthur. “O Menino Que Queria Ser Rei” (2018) é a nova aposta para dar vida ao mito medieval que ainda causa curiosidade, chegando aos cinemas no dia 31 de janeiro. A produção é da Fox Film e tem direção de Joe Cornish, responsável pelo roteiro de o “Homem Formiga” (2015). Fomos conferir o filme e vamos contar nossas impressões.

Nasce uma nova lenda

Alex Elliot (Louis Serkis) é um garoto de 12 anos que sofre problemas na escola, sendo perseguido pelos valentões Lance (Tom Taylor) e Kaye (Rhianna Dorris). Apesar disso ele sempre pode contar com seu melhor amigo Bedders (Dean Chaumoo). Após dedurar um dos episódios de bullying, Elliot é perseguido pela dupla até um uma área de construção, onde acha uma espada cravada em uma pedra e a retira com grande facilidade.

Após isso, Alex começa a pesquisar sobre a história do Rei Arthur e acaba encontrando um livro antigo, deixado por seu pai com uma dedicatória, o que faz comparar o acontecimento vivido por ele com a famosa lenda. Para ajudar o menino a acreditar em tal fantasia, o mago Merlin (Angus Imrie) surge numa versão bem mais jovem pedindo ajuda para derrotar Morgana (Rebecca Ferguson) e evitar que ela tome o poder.

Foto: Divulgação

Mas afinal, quem é o Rei Arthur?

Arthur Pendragon, filho de Uther Pendragon, teve como mentor durante a juventude o mago Merlin, e quando jovem foi escudeiro de Kay. Quando Kay é sagrado cavaleiro, sua espada se parte e o jovem Arthur corre para buscar outra arma. Ao ver uma espada encravada em uma pedra, a retira com facilidade e entrega ao cavaleiro. Essa espada se trata de Excalibur.

A lenda conta que havia uma pedra, com uma espada encravada, que continha uma escritura que dizia: “Qualquer um que extrair esta espada desta pedra será o rei da Inglaterra por direito de nascimento”. Após o feito, Arthur é reconhecido como o rei soberano da Inglaterra, e conduziria o exército britânico em batalhas futuras.

Foto: Divulgação

Duas versões de um mesmo personagem

No longa, o personagem Merlin é um mago apresentado em duas versões. Primeiro ele é mostrado como um jovem bastante desajeitado, sendo interpretado por Angus Imrie. No decorrer do filme, o ator Patrick Stewart, conhecido pelos papéis de Professor Xavier na saga “X-Men”e Jean-Luc Picard em “Star Trek: Nova Geração” (1987 – 1994), é mostrado como sua versão mais velha.

Essa forma de apresentar o personagem é explicada pela necessidade de proteger o novo portador da espada de Morgana. Entretanto, em alguns momentos é meio confuso essa troca de intérpretes, além de se tornar um pouco chato. Mas vale ressaltar que a escolha de Patrick foi acertada, ele entrega um ótimo mago em suas poucas cenas, já Angus trouxe uma versão mais caricata e beirando o estereótipo.

Foto: Divulgação

Veredito

É sempre interessante revisitar lendas conhecidas e trazer novas releituras, principalmente para apresentar para o público mais jovem. Essa foi a aposta do longa, mas nem sempre essas tramas conseguem manter a atenção do espectador. “O Menino Que Queria Ser Rei” (2018) é um filme bem “água com açúcar”, estilo “Sessão da Tarde”. Ele pode até atrair um público infantil, mas os adultos vão tencionar a achar uma trama bem problemática.

Outro ponto negativo do longa é forma como foi utilizada a computação gráfica, que em certos momentos aparenta ser bem amadora, isso deixa o espectador menos imerso no enredo. Além disso, o roteiro é lotado de falsas “quebras de expectativas”, sempre após o momento em que isso corre, logo o problema é solucionado.

Foto: Divulgação