Veredito de Jumanji: Próxima Fase

02/02/2020 - POSTADO POR EM Filmes

Enquanto você estava aí, em casa, os personagens de “Jumanji: Bem-Vindo à Selva” viveram mais uma aventura! Spencer (Alex Wolff), por algum motivo, resolve consertar o videogame e voltar ao mundo do jogo. Os amigos, então, se unem para salvá-lo e também retornam à selva. Confira agora o que achamos da nova sequência.

Nova fase

O primeiro filme da nova saga nos apresentou aos personagens adolescentes Spencer, Martha (Morgan Turner), Fridge (Ser’Darius Blain) e Bethany (Madison Iseman), que se transformam, respectivamente, em Dr. Bravestone (Dwayne Johnson), Ruby Roundhouse (Karen Gillan), Finbar (Kevin Hart) e Dr. Shelly Oberon (Jack Black). Quem se junta ao elenco no novo longa são Danny DeVito como Eddie, avô de Spencer, e Danny Glover fazendo seu antigo sócio, Milo. 

Depois do jogo ter sido “destruído” e “reconstruído”, algumas mudanças tornaram a jornada dos heróis ainda mais difíceis e isso nos rende boas gargalhadas. Já sabemos que o próprio filme não se leva a sério, como o original de 1995, mas ele não decepciona no quesito diversão.

Em “Jumanji: Próxima Fase”, o mundo do videogame pede a ajuda dos aventureiros para recuperar uma joia roubada, que acaba causando seca em toda Jumanji. Como os personagens já conhecem as “manhas” do jogo, fica mais fácil passar pelos obstáculos e descobrir as pistas. 

Foto: Divulgação

É pra rir, mesmo!

Com Danny DeVito no elenco, a risada é certa. O ator interpreta o avô de Spencer, que, debilitado, não consegue superar a venda de seu restaurante. Eddie ganha vida nova ao adentrar Jumanji e vive sua aventura inesquecível, como uma recompensa por todos os anos de tristeza que passou. 

Classificado como comédia de aventura, o longa não nos entrega grandes cenas de aventura e ação, mas vá ao cinema com a certeza de rir bastante, pois o seu forte está mesmo nas passagens mais engraçadas.

Outro motivo para alegria é a volta de Nick Jonas, que interpreta o avatar utilizado por Alex (Colin Hanks). Ele tem papel crucial na resolução dos enigmas do jogo. Porém Ming, a misteriosa personagem de Awkwafina, não consegue ser tão marcante, ela está lá, mas sem grande relevância para a trama.

Foto: Divulgação

Veredito

No primeiro longa da atual saga esperávamos algo que fizesse jus ao original, que é um clássico inegável da sessão da tarde, e recebemos um filme pipoca bastante divertido. Agora, já conhecendo o novo universo foi criado, grandes expectativas não foram necessárias, literalmente só sentamos e aproveitamos o momento. 

O final da produção é fechado, assim como no seu anterior, mas, ao mesmo tempo, dá a entender que a jornada de Jumanji é infinita, dando margem para outros filmes que expandam ainda mais esse universo.

Pontos fortes:

  • O roteiro é engraçado e aproveita bem os atores.
  • Os efeitos especiais são satisfatórios.

Pontos fracos:

  • A relação de Spencer e Martha é sem graça e vaga. Nem precisava ter sido abordada. 
  • O personagem de Nick Jonas poderia aparecer mais. 

NOTA: