Veredito de Homem-Aranha: Longe de Casa

02/07/2019 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Achou que a terceira fase do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) tinha acabado? Achou errado. Com “Vingadores: Ultimato” ainda em cartaz (e na busca de se tornar a maior bilheteria da história), os eventos da conclusão épica da Saga do Infinito ainda têm desdobramentos que irão repercutir por toda a franquia, como mostra o novo filme do amigão da vizinhança. Já assistimos “Homem-Aranha: Longe de Casa” e você confere agora o veredito sem spoilers 😉

Dores do Crescimento

Peter Parker (Tom Holland) pode ter ajudado a derrotar o vilão intergaláctico Thanos (Josh Brolin), mas continua sendo o bom e velho cabeça de teia que equilibra suas tarefas escolares, seus amigos e seu trabalho com o fato de ser herói local. Agora, sua turma se prepara para uma viagem escolar pela Europa, que Peter vê como a oportunidade perfeita para tirar férias do Homem-Aranha e conquistar sua crush MJ (Zendaya).

Acontece que, como diz o mantra do personagem, com grandes poderes vêm grandes responsabilidades, e os agentes da S.H.I.E.L.D., Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Mariah Hill (Cobie Smulders) convocam o garoto quando uma nova ameaça que envolve monstros elementais (água, terra, fogo, ar) surge no trajeto da viagem. Apesar de já terem encontrado um aliado no recém-chegado mas experiente Mysterio (Jake Gyllenhaal), era o desejo de Tony Stark que Peter herdasse o seu legado como um líder defensor da Terra – responsabilidade que o jovem não sabe se está pronto para (ou mesmo se quer) assumir.

Foto: Divulgação

Paisagens

A decisão de colocar nosso herói longe de Nova Iorque nessa aventura é uma mudança muito bem vinda. Ver o Homem-Aranha pulando com suas teias por monumentos em Veneza e Londres é algo inusitado e um tanto libertador – afinal, o vemos balançar entre os arranha-céus nova-iorquinos há seis filmes. Pontos também pelo fato de terem fugido do óbvio e mostrado a cultura de cidades menos prestigiadas pelo cinema, como Praga e seu carnaval noturno.

Visualmente, os efeitos especiais poderiam ser um pouco mais refinados. Mas algumas cenas em específico chamam atenção (você saberá quando ver) por possuírem um quê de surrealismo, conseguindo ótimos e audaciosos resultados. A playlist do longa também é calculada para brilhar no momento certo, com inserções musicais de aquecer o coração.

Foto: Divulgação

Equipe

A força do filme se encontra, entretanto, no elenco e como eles parecem se divertir na pele de seus personagens. Holland está ainda mais confortável como o Aranha e captura a atenção do público com seu charme bem-intencionado e desajeitado. A sequência investe na química entre ele e Zendaya, que entram para o hall de casais memoráveis da franquia do Teioso.

Jake Gyllenhaal foi a escolha certa para o Mysterio. Como o nome sugere, pouco se sabe sobre esse novo personagem, mas o papel permite que Jake mostre seu lado mais “solto” como fez em “Okja” (2017) e “Velvet Buzzsaw” (2019). Quem conhece o Mysterio dos quadrinhos verá que o rumo da história é familiar, mas é curioso como o seu arco acaba criando um metacomentário sobre o próprio cinema e a chamada suspensão da descrença.

Foto: Divulgação

Veredito

Acertando no humor e no romance, a produção deixa um pouco a desejar no campo da emoção, mas há de se entender que este não é o objetivo dos novos filmes do Aranha. O diretor Jon Watts mostrou em “Homem-Aranha: De Volta ao Lar” que consegue fazer um bom filme colegial com elementos de super-herói, e aqui eleva isso a potência máxima.

Uma aventura de verão ideal para o período, “Homem-Aranha: Longe de Casa” é um entretenimento pipoca classe A, daqueles que fazem a audiência se sentir bem e que, sendo uma conclusão satisfatória da terceira fase do MCU, prova que o universo da Marvel nas telonas continua vivo e promissor em um mundo pós-Vingadores. Ah, e uma dica: não perca as duas cenas pós-créditos.

Pontos positivos:

  • Personagens carismáticos
  • Ritmo ágil e humor eficiente
  • O Homem-Aranha agindo em novos cenários
  • Responde algumas questões deixadas por Ultimato e conclui a fase atual da Marvel

 

Pontos negativos:

  • Vilão pode dividir opiniões
  • Presença de diálogos expositivos

 

Nota: 9