Veredito de Dragon Ball Super Broly

03/01/2019 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Após o fim do anime “Dragon Ball Super” em março de 2018 , os fãs da série se questionaram quando teriam a próxima aventura de Goku. O sucesso estrondoso do título já indicava que este não seria o fim. Os guerreiros Z retornam em “Dragon Ball Super Broly” (2019), que promete recontar a história do vilão clássico. Vale lembrar que assim como “A Batalha dos Deuses” (2013) e “O Renascimento de Freeza” (2015), este filme faz parte da história principal de “Dragon Ball Super”.

Enredo

A Terra está finalmente em um período de paz. Depois de vislumbrar a força de seus oponentes durante o torneio do poder, Goku está treinando constantemente para estar pronto para uma nova ameaça. A preocupação não foi em vão. Broly, um Saiyajin que foi expulso do planeta Vegeta devido seu poder devastador, se une a Freeza para se vingar de Goku e o Vegeta.

O longa foge do que foi apresentado em “Dragon Ball Z: Broly – O Lendário Super Saiyajin” (1993), trazendo uma nova origem do antagonista através do roteiro oficial de Akira Toriyama. A diferença é gritante! Antes um vilão que tinha apenas um ódio causado por noites de insônia que nem conseguia ouvir o nome Goku sem ficar birrento, agora é um personagem de grande profundidade psicológica e, talvez, esse seja maior destaque deste filme por gerar empatia com o espectador.

A história de Broly no novo longa gira em torno do controle feito pelo seu pai durante toda a sua vida. O Saiyajin é controlado e treinado desde que foi expulso do planeta para servir como arma de vingança contra o Rei Vegeta. Durante anos, tudo o que ele presenciou foi batalhas e sofrimento, gerando a insanidade que ele tem como adulto. Porém em alguns momentos podemos ver que dentro de todo esse ódio, há alguém ingênuo e confuso.

Animação entre dimensões

Claro, Dragon Ball é um Shounen, então esperasse que tenham grandes batalhas e isso é entregado de forma épica neste filme. Ao contrário de muitas lutas do anime, você entende grande parte golpes e ataques dados. Em alguns momentos, a animação apresenta de forma clara cada impacto.

A animação é feita de forma similar aos últimos dois longas da série, onde são utilizadas traços em 2D e 3D. Porém, em comparação, sua qualidade está bem superior. As duas técnicas estão mesclada de forma mais sutil. Por outro lado, os efeitos especiais podem ser notados facilmente quando estão misturados ao desenho e quebram bastante a ilusão que ainda estamos vendo um desenho. Esse problema é maior ainda durante a batalha final.

As batalhas também contam com uma trilha sonora fantástica, que apesar de nova, relembra as músicas clássicas do anime. Entretanto, em alguns momentos, há um “narrador” praticamente servindo como plateia, gritando os nomes dos guerreiros e seus golpes. Isso tirou um pouco da seriedade da situação.

Foto: Divulgação/Fox

Veredito

“Dragon Ball Super Broly” trouxe de volta um personagem icônico da série de volta aos holofotes, criando uma nova história de origem bem mais dramática que o original mas respeitando a base já existente do vilão que já possuía muitos fãs. A história de Broly trouxe questões interessantes como a influência dos pais e as suas consequências no futuro dos filhos.

No geral, este é apenas mais um filme de Dragon Ball, então apesar da narrativa bem melhor desenvolvida para o vilão, há sempre o foco maior nas batalhas intensas, o que não é nem um pouco ruim. O longa é divertido e não requer conhecimento anterior para quem não assistiu o anime.