Veredito de Demon Slayer

11/03/2020 - POSTADO POR EM Animes / Mangás

“Kimetsu no Yaiba”, ou “Demon Slayer”, é um mangá shonen criado por Koyoharu Gotoge, que ainda está em lançamento no Japão pela revista Shounen Jump Weekly. No Brasil a publicação será feita pela Panini, com o título “Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba” e tem previsão para sair no fim deste mês de março. 

A história foi adaptada para um anime com 26 episódios pelo estúdio Ufotable, também responsável por animes como “Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works” e “God Eater”. A animação foi bastante elogiada e ganhou alguns prêmios nesse formato, entre eles o de Anime do Ano pelo Crunchyroll Anime Awards 2020. Confira agora o que achamos dessa produção.

O que sobrou

Tanjiro Kamado é um jovem camponês, com um olfato extraordinário, que mora nas montanhas japonesas com sua família durante o Período Taishô (1912-1926). Seu pai é falecido, e ele ajuda a mãe a cuidar de seus 5 irmãos mais jovens, vendendo carvão na cidade. Bondoso, inteligente e esforçado, todos parecem adorar o menino e, apesar de uma vida difícil, ele sempre parece ver o lado positivo de tudo. 

Certo dia, voltando da cidade, ele descobre toda sua família massacrada, tendo como sobrevivente apenas sua irmã, Nezuko. Após tentar desesperadamente ajudá-la, o garoto percebe que ela foi transformada em um demônio (Oni), mas não um comum. Apesar da transformação, a menina demonstra ter capacidade de compreensão e empatia humana, e assim, se agarrando à única família que lhe sobrou, Tanjiro começa sua busca por uma cura. E sua primeira pista está com Urokodaki Sakonji.

Urokodaki é um velho excêntrico, que usa uma máscara o tempo todo e que parece saber mais do que demonstra. Ele aceita treinar Tanjiro no Estilo Espadachim Respiração da Água, para que tente salvar sua irmã entrando na chamada Organização dos Aniquiladores de Demônio (Kisatsutai). Um grupo que tem como único objetivo eliminar demônios, e Nezuko não parece ser uma exceção.

Foto: Divulgação

Anime vs mangá

Como o mangá ainda não teve um final, já se pode dizer que o anime não abrange a história completa. Com 26 episódios e uma segunda temporada ainda não confirmada, o primeiro ano da animação engloba apenas o arco inicial do mangá, de forma bastante fiel, devo apontar. Mas este serve, principalmente, para nos apresentar os principais personagens e criar um laço empático pela busca do esforçado Tanjiro.

O mangá já está no terceiro arco, mas mesmo que este nos instigue a conhecer mais sobre os demais personagens e alimentar nossa curiosidade pela história, o anime não deve ser descartado. A animação está realmente digna de premiação, não só pelas cenas fiéis ao mangá, mas principalmente pelos momentos de luta muito bem feitos e mais dinâmicos.

Além disso, foi anunciado ainda ano passado o filme de “Kimetsu”, intitulado “Kimetsu no Yaiba: Mugen Ressha Hen” (Arco do Trem Infinito, em tradução livre). O longa deve abarcar o segundo arco do mangá e está sendo previsto para ser lançado ainda no primeiro semestre de 2020, com muitos fãs especulando o anúncio da próxima temporada logo em seguida.

Foto: Divulgação

Veredito

“Demon Slayer” mereceu e muito a premiação de Anime do Ano. Não apenas pelo nível de animação, mas, mesmo uma história base não tão original (demônios, espadachins, a busca por algo inédito), consegue te deixar aflito e torcendo para que o protagonista consiga sua felicidade. 

E falando em protagonista, vale sim apontar a natureza tranquila e gentil de Tanjiro, que nos dá um frescor como protagonista de um shounen que não cai facilmente no estereótipo (machista, sempre buscando uma briga ou até mesmo que está sempre gritando). Além disso, temos personagens secundários que nos fazem criar uma verdadeira simpatia por eles, e um vilão inteligente, para variar, que não nos entrega seus planos de forma rápida e simplória.

Pontos positivos

  • Animação perfeita nas cenas de luta
  • Um protagonista empático
  • Personagens secundários cativantes
  • Cenas fofas e engraçadas na medida certa
  • Fidelidade ao mangá

Pontos negativos

  • Falta de originalidade na base histórica
  • A segunda temporada ainda não teve anúncio

NOTA: 9.5