Veredito da Terceira Temporada de True Detective

02/03/2019 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

Após uma segunda temporada com críticas mistas, “True Detective” retorna às origens com uma dupla de policiais investigando as causas de um caso de assassinato em uma pequena cidade dos EUA. Com roteiro de Nic Pizzolatto, criador da série, e produção de Woody Harrelson e de Matthew McConaughey, astros da primeira temporada, “True Detective” conta com 8 episódios transmitidos pela HBO. Você confere aqui o que achamos do terceiro ano do seriado.

Mistério em Arkansas

Na pacata cidade de West Finger, no sul dos EUA, um casal de crianças desaparece dias após o Halloween de 1980, atormentando a comunidade de Ozark e mobilizando uma investigação liderada por Wayne Hays (Mahershala Ali) e por Roland West (Stephen Dorff). Com experiência de busca na Guerra do Vietnã, Wayne encontra o corpo de Will, filho mais velho de Tom (Scoot Mcnairy) e de Lucy Purcell (Mamie Gummer), deitado com as mãos em forma de reza, com uma boneca de palha ao seu lado. Sua irmã, Julie, não deixou pistas de seu paradeiro.

Com o impacto da morte de Will, as autoridades locais tentam manter a paz na cidade, que vê Tom Purcell perder o eixo e procurar soluções à base do desespero. Sem sucesso na busca, a dupla de detetives Wayne e Roland tem o apoio de Amelia Reardon (Carmen Ejogo), uma professora local com inclinação para jornalista investigativa.

Foto: Divulgação

O tormento da dúvida

Assim como na temporada inicial de “True Detective”, a trama é dividida em linhas temporais com os protagonistas em momentos de suas vidas bem distintos. Dessa vez, somos situados em três tempos: 1980, 1990 e 2015. Diferente da primeira temporada, na qual os protagonistas tinham o mesmo peso e tempo de tela, o foco aqui é na história de Wayne e Amelia. Acompanhamos o desenvolvimento do personagem de Mahershala Ali ao longo dos 35 anos em que sua investigação se desdobrou e o afastamento, como o passar do tempo, de seu parceiro Roland.

Em 1980, vemos um Wayne Hays mais tenso, incerto de suas decisões, enquanto na década de 90, agora pai de família, parece mais inflexível e orgulhoso. Já em 2015, o alzheimer não o permite esforços para continuar trabalhando no caso, agora arquivado. Sem soluções, ele tem somente sua esposa como norte, assim como os fantasmas de um passado nebuloso e doloroso demais para enfrentar.

Foto: Divulgação

Veredito

Mahershala Ali e Carmen Ejogo entregam as melhores performances de suas carreiras, com um tempo suficiente de tela para extrair o máximo de seus personagens. O Globo de Ouro de 2020 já pode garantir as indicações para atuação em minissérie. A partir da metade da temporada, a relação familiar dos dois ganha mais destaque, com ambos trabalhando, durante as três linhas temporais, na investigação do desaparecimento de Julie Purcell.  

Nic Pizzolatto admitiu que depois do fracasso da segunda temporada, deixou a série de lado. Porém, com a boa recepção dessa vez, afirmou que já tem ideias para uma próxima temporada, e está empolgado para produzi-la o quanto antes.

True Detective” traz de volta um mistério aparentemente sem respostas, com um arco desenvolvido por seus protagonistas que beira a perfeição, e um final de cair o queixo.  E, como se não bastasse, estabelece que a primeira e a terceira temporada se passam no mesmo universo, apresentando referências à investigação conduzida até 2012 por Rust Cohle (Matthew McConaughey) e por Marty Hart (Woody Harrelson).

Foto: Divulgação