Veredito da segunda parte da primeira temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina

18/04/2019 - POSTADO POR EM Séries
Post thumbnail

“O Mundo Sombrio de Sabrina” retornou para a segunda parte da primeira temporada com 9 novos episódios e significativas reviravoltas na trajetória de seus personagens. A série baseada nos quadrinhos “Chilling Adventures of Sabrina” da Archie Comics conquistou fãs com sua trama focada no mundo ocultista da comunidade bruxa de Greendale, explorando também a relação dela com os humanos. O segundo ano da produção conseguiu aprofundar esses temas, porém merecia uma boa pisada de freio nas tramas.

Estudos das trevas

Com Sabrina (Kiernan Shipka) assinando o seu nome no Livro da Besta no final da primeira parte da primeira temporada e amplificando seus poderes graças a isso, podemos ver ainda mais de seu lado mágico nesses novos episódios. A garota vai se afastando da convivência de seus amigos mortais, muito presentes no ano anterior, enquanto passa a frequentar de maneira mais assídua a Academia de Artes Ocultas.

Isso nos dá mais tempo de tela para as bruxas e os feiticeiros que dela participam, mergulhamos em muitos dos costumes da obscura religião e vemos Sabrina dominando novas magias. O núcleo mortal continua aparecendo como contraponto, até porque há uma evolução no desenvolvimento de Roz (Jaz Sinclair), Susie (Lachlan Watson) e Harvey (Ross Lynch). Porém não há como negar que a temporada cresceu ao focar a trama em seu lado mágico.

Foto: Divulgação

Aprofundando relacionamentos

Um dos maiores méritos que a produção consegue trazer é a maneira como lida com seus personagens. Vemos, mesmo que seja em um ambiente sobrenatural, pessoas lidando com problemas bastante comuns, como a busca por aprovação, o medo de rejeição e a dificuldade em confiar e outros. Esses elementos são essenciais para causar empatia com o telespectador e atenuam certos deslizes cometidos pela série.

Como exemplo podemos ver a jornada da personagem Susie. Houve uma construção de personalidade desde a temporada passada que culminou na sua revelação como uma pessoa transgênero e a escolha do nome Theo para si. A vilanesca Madame Satã (Michelle Gomez) também passa por um crescimento significativo, ela cria dentro de si um desejo de libertação do relacionamento submisso que tem com o Senhor das Trevas e isso a faz aprender mais sobre ela mesma e que lugar deseja tomar nesse mundo.

Foto: Divulgação

Maçã podre

Porém apesar desses pontos positivos, a série falha em conduzir uma narrativa coesa e bem amarrada. Ela deixa várias pontas soltas pelo caminho que podem confundir o público e, ao se olhar em retrocesso, são muitas as tramas abertas ao longo dos onze episódios – e nem todas são devidamente solucionadas ao final deles. É compreensível que se deixe um gancho para o final (o que realmente acontece), mas quando se deixa o espectador com mais perguntas do que respostas, ele pode ter a sensação de que aquilo que foi assistido não teve sentido no fim das contas.

O sentimento geral em relação à temporada é que ela era uma mala cheia tentando ser fechada à força: as tramas estavam escorrendo para fora gritando que não poderiam fazer parte daquilo, mas o roteiro as colocava de volta mesmo assim. Pela quantidade de acontecimentos, há ali facilmente material para duas temporadas distintas. Porém, talvez por um medo de não ter uma renovação ou por uma falha em saber desenvolver as tramas de maneira mais focada, nos foi entregue uma correria sem fim, com personagens carismáticos que sofremos por não terem tido a calmaria necessária para o desenvolvimento correto.

Foto: Divulgação

Veredito

“O Mundo Sombrio de Sabrina” acerta em abraçar o lado tenebroso e focar mais no universo das bruxas do que no dos mortais. Sabrina expande seus limites mágicos, conseguindo uma melhor controle de seus poderes e diminuindo os erros exagerados da temporada anterior em relação à magias que deram errado. Ela está mais confiante do que nunca em seus ideais, porém às vezes a série força um pouco a barra colocando-a como uma oposição obstinada – quando isso não seria necessário.

Os coadjuvantes igualmente sabem se sobressair, Nick (Gavin Leatherwood) retorna mais presente, acompanhando Sabrina em muitos de seus planos e as Irmãs Estranhas também estão de volta. Destaque para Prudence (Tati Gabrielle) e os conflitos que desenvolve com o seu recém-descoberto pai. Ambrose (Chance Perdomo) teve seu papel um pouco diminuído durante a temporada, ganhando força apenas durante os episódios finais.

Infelizmente a série não conseguiu resolver seus problemas em relação à exagero de tramas no roteiro, que vinha desde o seu ano anterior. Agora que foi anunciado que a produção foi renovada para as partes 3 e 4, nos resta esperar para ver se ela continuará cometendo os mesmos erros ou finalmente irá pisar no freio e dar o foco certo para cada uma de suas tramas.

Foto: Divulgação