Veredito da 1ª temporada de The Witcher

01/01/2020 - POSTADO POR EM Séries

Depois de muita espera, “The Witcher” finalmente chegou na plataforma da Netflix. Com muito interesse e desespero (risos) assistimos tudo e vamos contar para você o que esperar, ou não, da série. 

Aviso: esta análise foi feita por alguém que não leu os livros e nunca jogou os games baseados em “The Witcher”. O Roteiro Nerd escolheu examinar a série desta forma para que uma opinião mais sincera e livre de julgamentos prévios fosse apresentada. 

Quem é Geralt?

Por ser baseada em uma saga de livro e nos jogos de videogame, muito foi especulado sobre a história, quais caminhos Geralt de Rívia (Henry Cavill) iria percorrer e como seriam desenvolvidos os personagens. O que vemos nessa primeira temporada é uma grande apresentação do universo. 

Conhecemos Geralt, um bruxo magnificamente poderoso, que anda solitário junto de sua fiel égua Plotka, caçando monstros em troca de dinheiro. Em alguns momentos também vemos o bardo Jaskier (Joey Batey), que, por conta própria, resolve escrever canções sobre os feitos positivos do Lobo Branco, e que cola nele de uma maneira um tanto irritante, como uma espécie de Burro do Shrek.

Em um outro núcleo, acompanhamos Yennefer (Anya Chalotra), uma jovem que foi vendida a uma escola de magas e sofre até conseguir sair de lá, com uma corte para chamar de sua. Por fim, temos a princesa Cirilla (Freya Allan), cujo reino se encontra à beira de uma guerra.

Foto: Divulgação

Linha do tempo 

Pelo que pudemos entender, o destino é o senhor desta história. Assim sendo, vemos a narrativa de três pontos de vista e linhas temporais : a jornada de Geralt no seu caminho ladeado de monstros, Yennefer com sua sede de poder, e a de Cirilla na sua jornada de autodescoberta. Nos resta aguardar o cruzamento desses personagens e o que pode acontecer a partir de então.

O Lobo Branco vive apenas um bruxo andarilho, sem um objetivo concreto. Nós precisaremos acompanhá-lo do momento em que “escolheu” seu destino até o “agora”. Já a princesa, seguimos a partir do instante em que sua vida muda para sempre – uma jornada ainda mais transformadora. 

Foto: Divulgação

Animais fantásticos e onde habitam 

A princípio, Gerald é um caçador de monstros ao melhor estilo “João e Maria: Caçadores de Bruxas”. Ele os persegue, mata e depois vende, ou vai até vilarejos e recebe dinheiro para acabar com uma fera que está, por exemplo, comendo todas as ovelhas da região. 

Durante o desenrolar na história, vemos que não são apenas aranhas gigantes ou faunos famintos, mas muitos monstros mutantes e mortais que dariam uma série a parte só para explicar sua origem, função e afins. Fica a dica! 

Foto: Divulgação

Curiosidades

Um bruxo é uma mutação. Não se nasce bruxo, mas torna-se um. As mutações são condenadas exatamente por não serem “naturais”. Magos, que são forjados para servirem aos reis, são aceitos na sociedade, já bruxos… nem tanto. Por conta disso Geralt é tratado como um pária no mundo em que vive.

As leis da alquimia (se você é fã de Fullmetal vai lembrar na hora) são citadas na história e a magia que não segue essas leis é vista como “negra”. A tecnologia não se desenvolveu muito bem, mas até dragão o pessoal consegue fazer com mutação. É incrível. No entanto, não espere entender como isso é feito. Talvez em alguma outra temporada. Outro fato importante é que não há um só vilão. Existem pessoas ruins e inimigos, mas o maior vilão é próprio o mundo. 

Foto: Divulgação

Veredito

O figurino da produção é incrível e dá o tom certo para toda a adaptação. A interpretação dos personagens não se destaca tanto, mas é satisfatória. Esse é o tipo de série que te prende muito mais pela ambientação e história do que pela performance dos atores, que muitas vezes interpretam de um jeito caricato. 

Para a segunda temporada, a expectativa é de que muito mais coisas aconteçam. Como ficará o relacionamento de Yennefer e Gerald? Qual o papel da princesa Cirila na guerra? Será que vamos descobrir como são “feitos” os bruxos? São muitas perguntas, né? Vamos aguardar. 

E quais são as suas expectativas para a série? Conta pra gente, vamos conversar sobre isso e jogue uma moeda para o seu bruxo!

Pontos Positivos:

– O roteiro é inteligente o bastante para prender você à história;
– Gerald é um personagem empolgante de acompanhar;
– As músicas são engraçadas, animadas e envolventes.

Pontos Negativos: 

– Poucos episódios. Quando a história começa de verdade, você vê que já está no final da temporada; 
– Efeitos visuais medianos, que aparentam estar mal acabados em determinadas cenas.

NOTA: