Veredito: 2ª temporada de Big Little Lies

28/07/2019 - POSTADO POR and EM Séries

Desde que foi anunciada, “Big Little Lies” se apresentou como um evento televisivo único. Baseada em um best-seller do New York Times e com um elenco feminino estelar, a (na época) minissérie recebeu a aclamação da crítica e foi indicada a 16 prêmios Emmy, vencendo 8. A história central foi finalizada de forma bem redonda na primeira temporada, por isso a notícia de que a produção voltaria para uma continuação deixou muita gente de sobrancelha em pé. Mas a HBO não é boba: escalou Meryl Streep e fez de tudo para entregar novos episódios tão bons quanto os primeiros. E aí, valeu? Você confere agora o nosso veredito.

Mistério resolvido?

O grande mote da primeira temporada tinha como pilar uma dúvida que era alimentada durante todos os 7 episódios do primeiro ano: quem morreu na escada após a festa do colégio? Após a solução dessa questão, imaginaríamos que a série perderia seu tom de “mistério” com a morte de Perry (Alexander Skarsgard). O desafio para as “Cinco de Monterrey” nessa temporada é garantir que a mentira sobre o assassinato do marido de Celeste (Nicole Kidman) continue de pé enquanto lidam com as consequências desse acontecimento em suas vidas.

A “morte acidental” de Perry trouxe uma coadjuvante de peso que acabou fazendo vias de protagonista. Mary Louise (Meryl Streep), a mãe do falecido, veio a Monterrey ajudar a cuidar de seus netos, agora que Celeste se tornou viúva e está sozinha com os gêmeos. Acontece que, junto com essa preocupação, a personagem chegou acompanhada de dúvidas e suspeitas sobre as circunstâncias da morte do filho, o que causa diversos atritos entre todos os envolvidos.

Foto: Divulgação

Lutos e traumas

O lar de Celeste passou a carregar, além de sentimento de luto, uma eletricidade pelos comentários ácidos e acusações indiretas de Mary Louise sobre a mãe dos gêmeos e suas amigas. O senso de união entre as 5 personagens principais continua, mas com cada uma enfrentando um desafio pessoal dessa vez.

Madeline (Reese Witherspoon) tenta conquistar novamente a confiança de Ed (Adam Scott) após um caso de infidelidade enquanto Renata (Laura Dern) descobre que seu lar está desmoronando por seu marido colocá-los em falência. Jane (Shailene Woodley) encontra um companheiro adequado, mas tem dificuldade em se relacionar de modo mais íntimo pelo trauma causado pelo estupro – que descobrimos no fim da temporada passada que foi feito por Perry.

Porém, o arco mais pesado é o de Bonnie (Zoe Kravitz), com a cena do abusador caindo das escadas após seu empurrão voltando constantemente à mente. Além disso, outra personagem materna entra em cena para piorar as tensões deu seu psicológico: Elizabeth (Crystal Fox), mãe de Bonnie, aparece como um questionadora da vida de sua filha, assim como Mary Louise.

Foto: Divulgação

Mentira de perna longa

Após o pacto de esconder a verdade da morte de Perry entre as “Cinco de Monterrey”, a polícia entra como uma justiça lenta e pouco ameaçadora frente aos dramas pessoais das protagonistas. A trama sobre a investigação perde força a partir do meio da temporada, com Celeste precisando defender a custódia de seus filhos frente à uma sogra que alega incapacidade materna da advogada. Kidman mais uma vez mostra uma intensa imagem abalada porém determinada a proteger sua dignidade e o resto de sua família, sendo a atuação mais destacada do elenco.

Mesmo sem as dúvidas do crime que movimentavam a temporada inicial, os novos episódios de “Big Little Lies” possuem uma propulsão advinda das interações poderosas entre os personagens. É um deleite ver um elenco tão capaz se confrontando entre si. Renata tinha tudo para ser um estereótipo novelesco, mas Laura Dern eleva o material com verdade e convicção. Meryl Streep também desaparece na pele de Mary, um de seus melhores papéis nos últimos anos.

Os episódios finais da série tratam sobre lidar com as repercussões de um trauma enquanto a vida ao redor nem sempre proporciona condições favoráveis para isso. É sobre encontrar uma forma de estar em paz consigo mesmo e com os outros, sobre não abaixar a cabeça, sobre fazer a coisa certa, por mais difícil que seja. Ao fim dos 7 episódios, a season finale fecha com uma cena bastante significativa, a partir da qual pode se continuar a produção ou não. Foi uma conclusão adequada com um desfecho satisfatório para um dos dramas do mais alto calibre da televisão.

Pontos fortes

  • Elenco de primeira classe entregando atuações virtuosas
  • Edição dinâmica e com a identidade da série
  • Trilha sonora continua sendo um espetáculo
  • Tramas humanas e desenvolvimentos instigantes

 

Pontos fracos

  • Arcos como o da investigação de Perry acabam sub-utilizados
  • Perda de força dramática de certos personagens, como Madeline e Jane

 

Nota: 9