Um Lugar Silencioso: Um thriller que não vai te deixar gritar!

10/04/2018 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Em um ano feito para filmes de super-heróis, não é difícil achar que “Um Lugar Silencioso” seria apenas mais um filminho de terror. Porém, o longa dirigido, escrito e protagonizado por John Krasinski – sim, o Jim de “The office” – arrecadou US$ 50 milhões em seu primeiro final de semana nos Estados Unidos, superando a primeira semana de “Corra!” e “Fragmentado”.

Simplicidade das regras do jogo

“Um Lugar Silencioso” brinca com a simplicidade, entregando imediatamente todo o terror que os personagens precisam viver durante a trama: Faça um barulho e você morre. Ao contrário de outros filmes do gênero terror, em que o público e os protagonistas estão inseridos em uma situação nova, a família Abbott já está sobrevivendo neste mundo faz um tempo, sabendo bem que devem ser o mais silenciosos possível para sobreviver nessa realidade.

Nos primeiros minutos do longa, o papel de cada integrante da família é apresentado. Lee (John Krasinski), o pai líder; Evelyn (Emily Blunt), a mãe protetora; e seus três filhos: Regan (Millicent Simmonds), a filha adolescente rebelde; Marcus (Noah Jupe), o filho frágil e medroso; e Beau (Cade Woodward), a criança ingênua.

A realidade desse mundo é apresentada de forma visual. Não há aquela explicação inicial mostrando o que aconteceu. O roteiro permite que a plateia entenda o contexto com tudo aquilo que está no ambiente, sejam ruas desertas com lojas abandonadas ou toda a rotina de sobrevivência dos personagens, pisando sobre uma trilha de areia e conversando através de linguagem de sinais. A produção também utiliza de jornais para entregar algumas informações que ajudam a entender o que ocorreu com o mundo.

Foto: Divulgação/ Paramount Pictures

Brincando com o som

Durante a trama, Krasinski usa com maestria os efeitos sonoros. Ele cria um contraste entre o silêncio e o som, tornando ruídos que seriam irrelevantes em uma situação aterrorizante. A quebra do silêncio é apenas o sinal de que o pior está por vir e os segundos de quietude apenas aumentam o clima de tensão. São esses os momentos em que a própria plateia entende a ansiedade da família, segurando o fôlego, parando de comer a pipoca, fazendo todo o possível para não gritar.

A relação entre som e silêncio também é usada em outros momentos para quebrar essa tensão, mostrando poucas situações onde a família pode ter aquele gostinho de como era a vida antes do incidente. Em duas situações onde o filme se torna completamente mudo, melhorando a imersão com essas duas cenas. A trilha sonora composta por Marco Beltrami brilha durante todo o filme e em conjunto com os efeitos sonoros, criam uma atmosfera de relaxamento ou tensão, cada uma quando necessária.

Foto: Divulgação/ Paramount Pictures

Não faça barulho!

‘Um Lugar Silencioso’ consegue, em 90 minutos, apresentar um bom plot, desenvolver personagens e criar um universo de forma quase perfeita, apenas se perdendo em alguns clichês em poucos momentos. Esta é uma obra que deve ser assistida no cinema. É envolvente e aterrorizante. Para melhorar a experiência, vamos manter o silêncio durante a sessão!

Foto: Divulgação/ Paramount Pictures