Tower of God: Primeiras Impressões

16/04/2020 - POSTADO POR EM Animes / Mangás

“Tower of God” (“Torre Divina” em tradução livre) nasceu como uma série de quadrinhos desenvolvidos para a web em 2010, criada pelo sul-coreano Lee Jong Hui. Usando o apelido SIU, o autor lançou a série dentro da plataforma gratuita Webtoon do Naver, uma espécie de Google popular na Coreia do Sul. O manhwa, como é chamado o mangá coreano, já possui tradução para diversos idiomas como português, inglês, espanhol e japonês.

Passeando por outras mídias, o título ganhou em 2013 um jogo baseado na história para o Google Play, conseguindo o alcance de 120 milhões de jogadores em seu lançamento inicial. Em abril de 2020, finalmente a aguardada adaptação para o mundo dos animes chegou. Uma produção original da Crunchyroll, “Tower of God” já está disponível na plataforma de streaming, com episódios novos todas as quartas. Você confere aqui nossas impressões dos três primeiros capítulos.

A entrada para o divino

A história de Tower of God já começa de forma bastante intensa se comparada as demais animações, pois começa em ação. Rachel não quer mais levar a vida que está vivendo, e decide que precisa subir a enigmática torre divina, que reza a lenda ser capaz de conceder qualquer desejo a quem alcançar seu topo, nem que para isso ela precise deixar para trás quem mais depende dela e a ama. Sozinho e sem tem para onde ir, Bam decide então seguir os passos de Rachel – sua melhor e única amiga – e assim começa a trama do anime.

Esteticamente, é bom lembrar que o anime possui uma originalidade ao ser baseado em uma Webtoon, e não em um mangá ou game, o que é bastante audacioso por si só. A TMS Entertainment, uma das responsáveis pela animação, é o estúdio por trás de clássicos como Detective Conan, Monster Rancher e Bakugan, por isso, somos apresentados a um visual mais “retrô” do que alguns devem ter se acostumado nessa geração.

Imagem: Divulgação

Subindo na torre

Já na entrada, o jovem Bam se depara com uma figura misteriosa que guarda os portais de entrada da torre, já que não é qualquer um que pode subí-la sem ser convidado tal como um “regular” (que possui poderes e habilidade especiais). O coelho mago informa que a moça que Bam procura já subiu, e se ele quiser seguí-la precisa enfrentar um desafio: passar pelo guardião da entrada e subir para o primeiro andar como um “irregular”.

Com uma ajuda da Princesa Zahard, e uma completa falta de bom senso, jovem segue para o primeiro andar, onde sem qualquer descanso Bam já é apresentado a seu primeiro desafio: ficar entre os 200 sobreviventes em meio à uma enorme luta. Cada andar da torre possui um desafio que Baam precisa enfrentar, seja ele individual ou em grupo, e a partir deles, somos apresentados aos demais personagens e a trama vai se desenrolando um pouco mais.

Imagem: Divulgação

Mistério vs Cômico

Cada personagem apresentado em Tower of God até o momento possui as duas vertentes para o drama; a comédia e a tragédia. Então é interessante e curioso conhecer cada um deles, não apenas do protagonista Baam, que tem uma missão mas não deixa de ser um garoto gentil e prestativo. Outro personagem que também deve ganhar espaço como protagonista é Khun, um rapaz que busca companheiros fortes, e tem uma personalidade dúbia e ardilosa.

O anime também traz cenas de ação muito bem pensadas e executadas, se inserindo na história por motivos compreensíveis, e não apenas por audiência. Dessa forma, a soma destes elementos faz com que quem assista fique apegado não apenas na história, mas aos personagens de uma forma curiosa e se torne fã. Nós com certeza estaremos atentos aos próximos passos (e andares) dessa história!

Imagem: Divulgação