Steins; Gate – Motivos para amar esse anime sobre viagem no tempo

24/05/2018 - POSTADO POR EM Animes / Mangás
Post thumbnail

“Steins; Gate” é um anime muito diferente de qualquer outro já feito. Ao assistir, você fica com a impressão de que é só mais um de ficção científica, porém descobre que é um dos poucos onde as leis da física e alguns acontecimentos dentro da série realmente ocorreram na vida real e ainda é um mistério para nós. Uma continuação já está sendo produzida, tão boa quanto a primeira temporada, e esse é um dos motivos que não podemos deixar passar essa experiência científica que é assistir Steins Gate.

Enredo

Para começar, vamos a um breve resumo de como funcionam as coisas dentro do desenho: Okabe Rintarou é o personagem principal desta animação, e seu objetivo inicial é criar uma máquina do tempo. No entanto, como qualquer outro cientista louco, ele é ignorado pela sociedade científica. Em seu laboratório, Rintarou cria um experimento que seria o início de toda a confusão dentro da trama, onde descobre que é possível enviar mensagens de texto para o passado. Após esse acontecimento, Okabe começa a mexer com o passado, dando início a uma série de acontecimentos que mudariam o futuro. Quando começa sua busca pelo mundo ideal, nosso protagonista se vê perdido entre diferentes realidades e incapaz de salvar aqueles são próximos a ele.    

Entretanto, para se chegar lá, muita coisa deve ser sacrificada contra a vontade do jovem, e é aí que tudo fica ainda mais interessante. Para além da busca pelo lugar ideal, Okabe precisa enganar o destino para poder alcançar o resultado esperado. Portanto, acompanhar nosso protagonista nessa aventura é algo que pode ser confuso no início, porém vai ficando cada vez melhor e mais interessante.

Foto: Divulgação

Jhon Titor

Como já apontamos, alguns eventos em curso no anime também aconteceram na vida real. Não é diferente no caso de Jhon Titor, que entre os anos de 2000 e 2001, costumava dizer em fóruns sobre ciências e viagens no tempo que vinha do futuro e precisava resgatar um computador chamado IBM 5100, pois essa máquina, no ano de 2036, seria essencial para desvendar alguns códigos de programação, o que salvaria o mundo de um fim apocalíptico e uma possível terceira guerra mundial.

O ocorrido é contado exatamente dessa maneira no anime; toda motivação que inspira Okabe Rintarou vem de relatos que o tal Jhon Titor contava nos fóruns, dizendo que viagens temporais eram algo real e que podiam sim ser inventadas. Por ser um personagem misterioso no enredo, só descobrimos sua identidade no final de tudo. Os diálogos entre Okabe e Jhon sempre se dão via mensagens, deixando cada vez mais os espectadores curiosos para saber quem era essa pessoa e como ela sabia tanto do futuro.

Foto: Divulgação

Múltiplos universos

Um fator importante de “Steins; Gate” é que sempre que Okabe envia um texto para o passado, ele acaba trocando de realidade. E mesmo que a realidade atual quase não tenha diferença da anterior, pode ter certeza que algo mudou. Para entender melhor essa lógica você precisa fazer as pazes com isto.

No anime, eles dão o exemplo de que as diferentes realidades são como fibras de uma corda. Por mais que você troque de realidade, o sentido continua o mesmo, provocando grandes eventos ainda a se desenrolar. Para mudar essa dinâmica, é necessário achar o exato momento que desencadeou tudo, o que pode alterar completamente essa noção do mundo.

O que torna isso interessante é que Rintarou se considera um cientista insano, porém, quando ele começa a interagir com os diversos universos, literalmente passa a ficar louco, e não consegue lidar mais com isso. Já nós, que estamos assistindo, ficamos basicamente estáticos na frente da tela, muitas vezes sem entender se aquilo que se passou já havia acontecido ou se era realmente a primeira vez do personagem numa dada situação.

Foto: Divulgação

Continuação

Por ser um anime que fala sobre múltiplas realidades, muitas histórias ainda podem ser contadas como se fossem outras interpretações da mesma, alterando completamente o sentido do anime. A segunda temporada já está sendo transmitida. Seu título, “Steins; Gate 0” nos dá a entender que uma nova esfera será explorada e que tudo o que já houve não importa mais.

Esse novo paralelo irá contar um lado mais sombrio da série, onde Okabe não consegue salvar Makise Kurisu de nenhuma maneira e acaba desistindo de seu título de gênio incompreendido e decide por viver uma vida normal. Só que ao tomar essa atitude, uma nova realidade passa a valer. Aqui, o que se põe em questionamento é algo que estamos próximos de desvendar na vida real: nada mais é que a criação de inteligências artificiais e como elas se comportariam.

“Steins; Gate” possui uma primeira temporada com vinte e quatro episódios, onde cada um tem sua importância individual, e suas várias partes se encaixam de maneira perfeita. É um dos melhores animes de ficção científica já produzidos, não só por ter questões importantes de nossa vivência, mas também pela maneira com que trata o tema. É uma série que instiga sua curiosidade de tal maneira que não se consegue parar de ver até o último segundo.