ReLIFE: as memórias de uma segunda chance

08/06/2018 - POSTADO POR EM Animes / Mangás
Post thumbnail

O que você faria se lhe oferecessem uma pílula que lhe permitisse retornar aos 17 anos e viver mais uma vez no colegial por um ano? Você aceitaria a oferta? Essa é a premissa de ReLIFE, um Mangá Seinen escrito e ilustrado por Yayoiso que foi finalizado em março deste ano junto com sua adaptação animada.

Arata Kaizaki

A história de ReLIFE gira em torno de Arata Kaizaki, um homem de 27 anos que ainda está desempregado após abandonar seu último emprego em apenas três meses desde que teve início. Após mais uma entrevista de emprego sem sucesso e receber a notícia que sua família irá parar de lhe ajudar financeiramente, Kaizaki encontra um homem misterioso chamado Ryō Yoake, que lhe oferece a proposta de testar uma nova droga experimental, de uma empresa chamada ReLIFE e que pode mudar sua aparência para um jovem de 17 anos.

Durante o experimento, ele teria que passar um ano como estudante de uma escola secundária, teria todas as suas despesas bancadas pela ReLIFE e no final, os alunos e funcionários da escola teriam as memórias da cobaia apagadas. Dependendo de seu desempenho, a cobaia receberia múltiplas propostas de carreiras. Porém, durante esse ano, caso alguém dessa escola ou algum conhecido da cobaia descobrisse sobre a existência desse experimento ou da empresa, a cobaia teria todas as memórias apagadas e o experimento seria finalizado.

Imagem: Divulgação

Balanço entre a Comédia e o Drama

Apesar do background complexo de ReLIFE, a obra de Yayoiso tem como principal objetivo mostrar uma parte da vida. O mangá aproveita a ideia desse experimento onde um homem adulto convive com adolescentes para criar um ambiente de comédia bem leve, com situações simples como um evento esportivo com resultados ridículos ou apenas uma garota bonita que disse “Oi” para a cobaia. Os personagens principais possuem bastante carisma e conseguem manter a leitura agradável durante todos os 222 capítulos (neste mangá, chamados de “Relatórios”).

Apesar da leveza, não pense que essa obra é apenas mais uma de comédia adulta. A autora aproveitou a ideia Sci-Fi da história para criar múltiplas visões sobre problemas da sociedade japonesa. O mangá tenta ao máximo expor o quão difícil é a vida dos empregados nas grandes corporações. Há todo um preconceito pela população acima de pessoas como Kaizaki (o protagonista) devido sua situação como N.E.E.T. (ou Nem-Nem no Brasil), jovens que não trabalham nem estudam.

Além disso, os personagens principais possuem seus próprios arcos, nos quais podemos entender mais seus problemas e sua história. A comédia da série tenta aliviar um pouco da tensão gerada por esses momentos, mas a obra entende que há momentos onde não se pode ser engraçado e ela não tenta forçar isso.

Imagem: Divulgação

Mangá X Anime

Adaptada pelo estúdio TMS Entertainment, o anime de ReLIFE ganhou 13 episódios durante sua primeira temporada e foi finalizado com 4 OVAs (episódios lançados individualmente em DVD) em março deste ano. A animação é de qualidade e apesar de não ser perfeita, tenta manter o traço original do mangá.

Possui uma trilha sonora que funciona durante certos momentos mas não consegue marcar presença. Acaba sendo mais uma trilha esquecível. É óbvio que seria impossível condensar 222 capítulos em 13 episódios e 4 OVAs; porém, o anime consegue adaptar certos acontecimentos e manter a essência da obra original.

Imagem: Divulgação

Spoilers à frente

ATENÇÃO: a partir desse ponto o texto contém *spoilers*

Apesar da adaptação para anime ter sido feita de forma que o resultado final seja uma história coesa, alguns arcos mostrados no mangá foram deixados completamente de lado devido a falta de episódios. Esses momentos seriam aqueles onde haveria um maior desenvolvimento dos personagens secundários da narrativa.

O arco sobre a família de Kazuomi Ōga, onde conheceríamos seu irmão, um N.E.E.T., seria de grande importância para o final da obra, onde Kaizaki se torna um agente de suporte para outras cobaias do experimento ReLIFE. A falta de momentos como esse acabou tornando o final do enredo bastante corrido em alguns arcos e prolongado em outros, tornando a experiência menos satisfatória que o mangá.

Imagem: Divulgação