Rey: Procurando seu caminho

02/12/2017 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

Faltam menos de duas semanas para a estreia de “Star Wars: Os Últimos Jedi”, e o Roteiro Nerd não dorme em serviço! Quer saber mais sobre a nova protagonista Rey (Daisy Ridley)? Cheia de girl power e habilidades singulares, nossa nova Jedi está pronta para dominar as telas e trazer equilíbrio à Força!

Rainha da sucata

Nascida onze anos após a batalha de Endor, não tem memórias sobre a sua família – além de ter sido abandonada quando criança em Jakku. Para sobreviver, Rey tornou-se uma sucateira e virou a favorita de Unkar Plutt (Simon Pegg), um comerciante que até ordenou que seus ladrões nunca roubassem a garota por conta de suas habilidades. Não só isso, aprendeu sozinha a pilotar com um simulador de voo encontrado durante uma de suas escavações – levando consigo um capacete pertencente à Dosmit Raeh, uma capitã pilota de X-Wing que lutou pela Aliança Rebelde na Batalha de Jakku. É bem possível que ela tenha adotado esse nome para si, se tornando a Rey que conhecemos.

Certo dia, o encontro que mudaria sua vida aconteceu. Ao caminhar pelo deserto, ela encontrou um dróide do modelo BB-8, sendo atacado por contrabandistas, e o resgatou. Ele a seguiu até em casa e ela até considerou vendê-lo para Unkar Plutt, porém ela fez a escolha de mantê-lo. Por conta disso, tentaram roubá-lo e durante sua fuga, Rey conheceu Finn (John Boyega), um rapaz simpático que afirmava ser da Resistência para esconder sua identidade de stormtrooper, e ambos fugiram na nostálgica Millenium Falcon.

Todas as pessoas que Rey conheceu no caminho além do rapaz, como Han Solo (Harrison Ford), Leia Organa (Carrie Fisher), e até mesmo Kylo Ren (Adam Driver), a fizeram finalmente deixar de esperar por uma família que nunca viria num planeta abandonado. E com a Força dentro dela, não há nada que possa ficar em seu caminho.

Foto: Divulgação

Uma galáxia de teorias

Existem várias teorias de quem podem ser os pais de Rey. A mais recente é de que os protagonistas do jogo “Star Wars: Battlefront 2” (2017), Iden Versio e Del Meeko, são seus pais. Mas a internet não cansa de cavar argumentos, e as três mais populares alegam um parentesco dela com Han e Leia, Obi-Wan Kenobi, ou até mesmo Palpatine – mestre de Darth Vader.

O universo expandido de Star Wars era estritamente canônico até sua compra pela Disney em 2012, e a partir daí todo o seu conteúdo – exceto as trilogias e alguns materiais menores – começou a levar o selo “Star Wars Legends”. Dentro dele, existe a história de Darth Caedus/Jacen Solo, filho de Han e Leia, que vai para o lado sombrio e é derrotado por sua irmã gêmea, Jaina Solo. Já são bastantes as similaridades entre Jacen Solo e o atual filho do casal, Ben Solo/Kylo Ren, seria interessante assumir que se Kylo Ren é Jacen, Rey poderia ser uma nova versão de Jaina, tornando-se irmã dele e filha de Han e Leia também. Porém, se isso fosse verdade, significaria que: durante “O Despertar da Força” (2015), ou o casal se recusa a dizer que são seus pais ou não reconhecem a coitada – duas situações improváveis. Além disso, o diretor J.J. Abrams já afirmou que os pais de Rey não estão no episódio VII.

Minha teoria favorita é de que ela seja parente de Obi-Wan/Ben Kenobi (Ewan McGregor/Alan Guinness). Já que o passado do personagem não é tão conhecido, é possível que ele tenha se envolvido com alguém – muitas apostas são em Satine Kryze, da série animada “Star Wars: The Clone Wars” (2008) -, tido um filho e este ser pai/mãe de Rey. Teoricamente é proibido que Jedis se relacionem mas isso nunca impediu ninguém – Anakin Skywalker que o diga. Além disso, algumas cenas dela fazem paralelos interessantes com as de Obi-Wan, como a luta dela e de Kylo Ren – o quão incrível se essa luta fosse uma releitura da que aconteceu no episódio IV entre seus avôs Ben Kenobi e Darth Vader? Caso isso seja verdade, pode ser que ela fosse uma das padawans de Luke Skywalker (Mark Hamill), e após Kylo Ren assassinar todas as crianças, ela sobreviveu e foi deixada em Jakku apenas por proteção – isso poderia explicar como alguém destreinada como ela conseguiu usar suas habilidades facilmente.

A terceira é de que ela é parente do Imperador Palpatine (Ian McDiarmid), também conhecido como Darth Sidious – mentor de Anakin Skywalker e um dos responsáveis pelo caos nessa galáxia. Essa é fortalecida pelo fato de que Palpatine possuía um observatório – uma espécie de cofre que guardava inúmeras coisas que um Imperador quisesse, como artefatos ou mecanismos de defesa, sendo tão grande que poderia literalmente partir o planeta ao meio – em Jakku. Esse observatório era tão importante que ele deixou seu sucessor, Gallius Rax, cuidando dele. O que ele guardava lá?

Palpatine era aprendiz de Darth Plagueis, um Lorde Sith tão poderoso que era capaz de manipular os midi-chlorians – a fonte do nascimento de Anakin – e criar vida. É possível que ele possa ter aprendido isso com seu mestre, feito Rey e deixado ela em Jakku encubando, até que alguém – talvez Luke – a achou, acordou ela quando criança e a deixado por lá. Também não é uma teoria muito crível, mas combina com a ideia de que Rey possa ir para o lado negro da Força até o final da trilogia, e os trailers atuais fortalecem muito isso.

E se nenhuma dessas for real, ainda tem a possibilidade que na verdade ela não seja filha de ninguém importante para a trama ou que seja simplesmente uma “filha da Força”, como Anakin Skywalker. Isso seria bem legal para que o universo fosse mais abrangente e não rodasse só em volta das mesmas pessoas sempre, e também que seu poder não viesse de linhagem alguma – apenas que a Força decidiu escolhê-la e ela atendeu ao chamado, como se a Força pudesse estar dentro de qualquer um que se dedique à ela.

Foto: Divulgação

Aos fortes, vem a tentação

Os teasers atuais de “Os Últimos Jedi” dão indiretas de que Rey possa ser seduzida pelo lado sombrio, e não seria um caminho impossível, pois existem alguns fatos que fortalecem essa ideia. O pôster de “O Despertar da Força” a posiciona estrategicamente do lado negro, ao lado de Kylo Ren. Pode tanto significar algum paralelo ou relação entre os dois – de como ambos são a versão direta do bem ou mal do outro -, como também mostra que ela pode passar para o lado negro mais tarde. O material atual de “Os Últimos Jedi” também possui um pôster que a coloca centralizada no topo, como basicamente todos os filmes anteriores estruturaram seus cartazes – com o vilão exatamente em cima de todos.

Rey também já deu vários indícios de que pode não ser a pessoa boa que esperamos: ela é um pouco explosiva e demonstra ter muita raiva – lembrando muito o início do caminho de Anakin Skywalker e do próprio Kylo Ren. Durante a luta dos dois, por mais que ela mostrasse concentração, é visível que ela estava preparada para matá-lo – principalmente após a morte de Han Solo. Todas essas emoções acumuladas lembram uma declaração do Mestre Yoda que todo mundo deveria guardar com carinho: De que “medo leva à raiva, raiva leva ao ódio, e ódio leva ao sofrimento”.

Para completar, temos a visão de Rey ao tocar no sabre de Anakin. Em certo momento, quando Kylo está esfaqueando alguém, ouvimos Obi-Wan Kenobi dizer “Você será tentado, mas você não pode controlá-lo”. Logo em seguida, ouvimos a voz de Palpatine ecoando enquanto o foco está em Rey. Se a teoria sobre ele mencionada antes nesse texto for verdade, é esperado que uma cria do lado sombrio eventualmente siga seus passos.

A história pode ir pra qualquer direção, já que reviravoltas são artifícios bastante usados na franquia. Pode ser que Rey vá para o lado negro, ou que seja apenas tentada, mas é isso que esperamos descobrir dia 14 de dezembro.