Made in Abyss: A Surpresa de 2017

22/11/2017 - POSTADO POR EM Animes / Mangás
Post thumbnail

Lançado na temporada de verão de 2017, “Made in Abyss” é uma animação japonesa que chama a atenção pela sua proposta estética diferente, além de trazer um universo fantástico cheio de mistérios e personagens instigantes. Esse anime produzido pelo estúdio “Kinema Citrus” contém 13 episódios e adaptado de um mangá homônimo escrito por Akihito Tsukushi, foi, sem sombra de dúvidas, uma das grandes surpresas do ano.

O último tópico do texto contém spoilers!

A história

Riko é uma jovem que, inspirada por sua mãe, treina com outras crianças de um orfanato para ser uma das maiores exploradoras do Abyss, um abismo gigante cheio de mistérios e criaturas fantásticas e com lugares ainda desconhecidos para os humanos.

A história começa quando, em um de seus treinos de exploração, a protagonista acaba encontrando um robô humanoide perdido, Reg, que não possui lembranças do que antecedeu sua chegada aquele lugar, mas é dono de habilidades bastante particulares. Juntos, Reg e Riko partem em uma aventura emocionante no interior do Abyss, procurando desvendar os mistérios que circundam tal lugar e encontrar a mãe de Riko, desaparecida em uma de suas expedições ao fundo do Abyss.

Foto: Divulgação

A Jornada do Herói

Tudo que vivemos – escolhas, desafios e relacionamentos, estão estabelecidos pela maneira como traçamos nosso caminho para alcançar nossos objetivos. Essa jornada pessoal que vivemos diariamente é chamada de Jornada do Herói.

Como no livro “Viagem ao Centro da Terra” (1864), escrito por Júlio Verne, o Abyss representa uma aventura pelo subterrâneo, desconhecido para muitos, mas repleto de camadas e mistérios pelos quais Riko precisa passar para conquistar seu objetivo.

Ela, então, abdica de sua vida na superfície e embarca nessa jornada pessoal rumo ao imprevisível, onde enfrenta desafios que a testam em seu limite físico e emocional, tornando cada vez mais densa a experiência do telespectador, que, por consequência, sente-se companheiro da protagonista e seu amigo robô nessa jornada.

O Abyss

Como é fácil constatar já em um primeiro contato, “Made in Abyss” é uma animação singular. Ela utiliza de uma estética colorida e cheia de detalhes, que trazem encanto e fascínio a quem assiste. Mas as aparências enganam, e o que parece ser mais uma história de aventura inocente e ingênua, mostra seu lado sombrio com o passar dos episódios.

A jornada pelo Abyss é similar à jornada de Dante Alighieri pelo Inferno (Divina Comédia), pois ambos possuem o conceito da viagem do herói pelo desconhecido, que o testa e o obriga a evoluir. E, como no Inferno, o abismo misterioso onde Reg e Riko adentram também possui várias camadas de desafios imprevisíveis, que exercem efeitos diferentes ao corpo e ao psicológico de quem as alcança. Todas as criaturas e ecossistemas que se apresentam na trama trazem aspectos e interações diferentes das anteriores, fazendo com que os personagens estejam sempre em um processo de adaptação, sempre alimentando a tensão por trás do que os aguarda em cada nova camada do Abyss.

Além disso, o início da jornada de Riko e Reg é tomada por um tom de despedida diferente das despedidas convencionais das aventuras, pois, nesse caso, não há a esperança de um retorno do herói. Como todos sabem, e como contam as anotações de antigos exploradores, não há esperança de retorno das camadas mais baixas do Abyss. Uma vez lá, é impossível regressar sem sofrer severos danos físicos e psíquicos. Riko sabe disso, e sabe também de todas as suas limitações, mas, mesmo assim, aceita os riscos e parte para a jornada de sua vida.

Foto: Divulgação

Quanto mais fundo, mais triste

À medida que se aprofundam mais no Abyss, Riko e seu amigo robô passam por provações além de suas expectativas, o que só fortalece a relação de amizade entre os dois, criando entre eles um elo muito forte de interdependência. O propósito de Reg é tão somente o de proteger Riko, pois ela é a única pessoa que importa para ele.

Quando Riko, em uma das cenas mais fortes do anime, começa a sentir os efeitos colaterais causados por uma subida brusca entre as camadas do abismo e encontra-se em interminável agonia, Reg encontra abrigo e ajuda com uma nova personagem: Nanachi.

Somos, então, apresentados ao clímax dessa progressão de tristezas: a história de Nanachi e Mitty. Duas orfãs que foram levadas para dentro do Abyss por Bondrewd, um explorador lendário. E é nesse arco que presenciamos mais situações cruéis e desumanas que ocorrem no interior do Abyss, e essas, infelizmente, são frutos da interferência humana.

Terminamos o anime com uma mistura de sentimentos. Vimos o sofrimento, a tortura e a desumanização (literal) de pessoas, sentimos a importância e a força dos vínculos que são criados durante essa jornada, e, não menos importante, somos encantados pelas reflexões e histórias que nos foram contadas durante essa jornada.

Foto: Divulgação

Impressões

“Made in Abyss” não se trata de uma aventura convencional, é um anime que vai além dos clichês desse gênero e nos coloca em uma posição de reflexão e de contato com as relações do homem e da natureza. Somos transportados à fantástica jornada do autoconhecimento, que envolve conectar-se com o outro e com a natureza ao nosso redor, aprendendo a lidar com questões tão humanas e inerentes a todos nós, como o amor, a solidão e a dor. E é por essa união tão encantadora de características técnicas e narrativas, que eu (#Aline) considero “Made in Abyss” um anime tão relevante e especial.

Foto: Divulgação


  • TT

    Ótima review, já tinha ouvido falar sobre a série, mas agora preciso começar.

    • Roteiro Nerd

      Assiste!! A gente nunca te pediu nada!

  • kpopssauro rex

    Adorei o review! Muito bem escrito. Parabéns à autora que me deixou interessada num anime

    • Roteiro Nerd

      Brigada!! Você tem que assistir. É muito bom!!!