Lista: quadrinistas nacionais que amamos

30/01/2020 - POSTADO POR EM HQs/Livros

Há algum tempo o Brasil está longe de ser um país pobre em quadrinhos. Nossos quadrinistas estão arrasando tanto aqui como no exterior, ganhando prêmios e produzindo grandes obras – algumas delas, inclusive, evoluíram e você pode assistir na Netflix! 

Neste dia 30 de janeiro, Dia Nacional dos Quadrinhos, resolvemos fazer uma lista e mostrar pra vocês como produzimos conteúdos de qualidade e podemos encontrar do infantil ao dramático adulto em nossas próprias livrarias (e online). Vamos lá?

Paulo Moreira

Memes e comédia são o seu forte. Paulo Moreira, um nordestino de João Pessoa, dominou a internet e conquistou a todos com Junio Total e Ana, Mosquinha e Lagatixinha, além das tirinhas sobre situações cotidianas.  Você pode acompanhá-lo no seu instagram: @paulomoreirap.

Tirinha de Paulo Moreira.

Silva João

Silva João é um paulista super ligado em histórias de briga. Tanto é que sua obra mais famosa, “HQ de Briga”, foi um sucesso na CCXP. Entre os trabalhos autorais estão a HQ “Combo Breaker”, ilustrada por ele e com roteiro de Angelo Dias. Ela é uma das histórias da coletânea “Mundos em miniatura”, financiada pelo Catarse em 2018. Você pode acompanhá-lo no perfil @silvazuao.

Personagens da “HQ de Briga”.

Gabriel Bá e Fábio Moon 

Sabe “The Umbrella Academy”, aquela série incrível lançada pela Netflix? Seu quadrinho original, roteirizado por Gerard Way, é ilustrado por Gabriel Bá. Os irmãos também desenharam duas histórias do Hellboy em parceria com o próprio criador do personagem, Mike Mignola. No Brasil, elas apareceram no encadernado Hellboy no México, da Editora Mythos.

Os gêmeos foram os primeiros brasileiros a ganharem um Prêmio Eisner, o Oscar dos quadrinhos – em 2008, por Melhor Antologia (com a obra 5) e Melhor Quadrinho Digital (com Sugarshock). Em 2016 eles repetiram o feito com a HQ “Dois Irmãos”, que levou o prêmio Eisner de Melhor Adaptação de Uma Outra Mídia. A dupla conta ainda com uma vasta galeria de premiações, incluindo Scream Awards, Harvey Awards e Jabuti, entre outros.

Personagens de “The Umbrella Academy”.

Carlos Ruas

Por esse nome, talvez você não o conheça, mas Carlos Ruas é a cabeça por trás de “Um Sábado Qualquer”, que mostra problemas existenciais de Deus, além de outras divindades como o deus Rá, Zeus e Odin e, até mesmo, Freud. As publicações diárias você pode encontrar no site ou nas redes sociais, com o perfil @umsabadoqualquer. Carlos também já lançou uma lojinha em que você pode comprar produtos licenciados de seus personagens mais famosos.

Tirinha de “Um Sábado Qualquer”.

Bianca Pinheiro 

Ela é a responsável pelas HQs “Força” e “Tesouro” sobre a personagem Mônica, para o projeto Graphic MSP, da Mauricio de Sousa Produções. Seu principal trabalho, “Bear”, narra as aventuras de uma menina perdida e um urso que se torna seu amigo. A webcomic teve suas histórias reunidas e publicadas em 2014, com um segundo volume sendo lançado em 2015, e um terceiro em 2016. As peripécias da dupla também foram publicadas na França pela editora La Boîte à bulles, em 2017, com o título de “Raven et l’Ours”.

Imagem de “Mônica: Força”.

Juliano Enrico

Juliano é o criador do “Irmão do Jorel”, a primeira animação brasileira e da América Latina do Cartoon Network. O desenho começou a ser desenvolvido em 2002, como uma história em quadrinhos. Na época ele desenhava tirinhas para a “Revista Quase”, e em 2006 os quadrinhos ganharam uma coluna atualizada semanalmente no site da revista. Hoje, é um desenho famoso no mundo todo e está disponível na Netflix!

Animação “Irmão do Jorel”.

Confira também

Em 2017 fizemos uma matéria falando de ilustradores aqui de Fortaleza,que também contribuem com o cenário nacional. Dê uma olhada! Vale citar, também, para que você conheça, os grandes Rafael Sica, Gabriel Góes, André Diniz, Eduardo Damasceno, Luis Felipe Garrocho, Paula Mastroberti, Rafael Calça, Jefferson Costa, Marcello Quintanilha, Gidalti Jr e André Dahmer. Feliz dia do quadrinho nacional!

Imagem de “Bidu: Caminhos”, por Luís Felipe Garrocho e Eduardo Damasceno.