Lista: filmes para você conferir na Amazon Prime

21/10/2019 - POSTADO POR EM Filmes

Com o recente update do Amazon Prime Video, que agora não só é uma plataforma de streaming, como faz parte de um pacote que oferece acesso a música, livros, jogos e frete grátis no site, tudo isso por um valor único bastante competitivo (R$9,90), muitas pessoas começaram a testar o novo serviço. Pra você que está em dúvida do que assistir, nós preparamos uma seleção de filmes disponíveis na Amazon e que fazem valer a sua assinatura.

Estreias do cinema

Imagem: Divulgação

Uma boa vantagem do serviço é a disponibilidade de produções que saíram há pouco tempo do cinema, com destaque para a parceria fechada com a Disney que trouxe algumas das nossas indicações para essa lista. Começando com “Capitã Marvel”, o primeiro filme solo de heroína do MCU. Nele acompanhamos a jornada de Carol Danvers (Brie Larson) para descobrir sua verdadeira identidade, em um longa leve, que nos mostra um pouco sobre o passado de outros personagens e do universo em si da Marvel.

Para os fãs de animação temos “WiFi Ralph: Quebrando a Internet”, continuação do filme de 2012, “Detona Ralph”. No longa acompanhamos Ralph e Vanellope saindo do mundo dos videogames para entrar na web. Apesar da dupla serem os protagonistas, quem roubou mesmo a cena foi o time de princesas da Disney, que ganhou uma versão mais “moderninha” e agradou bastante aos fãs.

Vidro” é a inesperada conclusão da trilogia de super-heróis do diretor M. Night Shyamalan, que reúne os personagens de “Corpo Fechado” (2000): David Dunn (Bruce Willis) e Elijah Price (Samuel L. Jackson); e de “Fragmentado” (2016): Kevin Wendell Crumb (James McAvoy). Uma dica pra você que também tem Netflix é que ambos os filmes estão disponíveis na plataforma, então tem tudo para render uma boa maratona.

O Retorno de Mary Poppins” traz de volta um dos filmes mais clássicos da Disney, que eternizou Julie Andrews no papel da personagem-título. Dessa vez quem encarna a protagonista é Emily Blunt, que retorna para cuidar dos filhos daqueles de quem foi babá há 24 anos.

Suspense/Terror

Foto: Divulgação

Para os fãs de filmes mais tensos a nossa primeira indicação é “Precisamos Falar Sobre Kevin” (2011). O longa teve sua história inspirada por eventos como o Massacre de Columbine, nos EUA, mas é um estudo principalmente sobre a mãe de Kevin (Ezra Miller), vivida por Tilda Swinton. A produção nos faz refletir sobre o papel dos pais em filhos que cometem atos de extrema violência, até onde vai a culpa e se é possível detectar sinais de alerta desse comportamento.

Agora um longa mais recente que foi bastante elogiado pela crítica e pelos fãs de terror é “Hereditário” (2018). Ele mostra uma família enfrentando um processo de luto depois da morte da avó, e a partir daí começam alguns acontecimentos sobrenaturais na casa, envolvendo principalmente o casal de filhos. No nosso site fizemos uma comparação entre esse filme e o mais recente do diretor Ari Aster, “Midsommar”, vale a pena conferir as duas produções, pois elas têm abordagens diferentes para temas semelhantes.

Por último temos o filme responsável por popularizar a técnica de found footage no gênero: “A Bruxa de Blair”. Tendo sido lançado em 1999, nos primórdios da internet, a equipe conseguiu divulgar o longa como um vídeo real sobre o desaparecimento de três jovens que estavam investigando uma famosa lenda de bruxa. Assim o falso documentário atraiu a atenção de todos e consagrou o estilo de filmagem como um dos mais criativas para se fazer terror.

Ação/Aventura

Foto: Divulgação

Se você ainda não assistiu esse novo clássico do cinema de ação já está mais que na hora. “Mad Max: Estrada da Fúria” foi uma sequência lançada em 2015, 30 anos desde o último longa da franquia – e valeu a pena a espera. O diretor George Miller produziu um filme visualmente impecável, que se utiliza majoritariamente de efeitos práticos e com uma trama cheia de tensão. E apesar de termos Tom Hardy no papel de Max, quem rouba o protagonismo da produção é a atuação poderosa de Charlize Theron como Imperatriz Furiosa.

Muito antes de “Batman vs Superman” (2016), Zack Snyder lançou outro filme baseado em quadrinhos cheio de controvérsias: “Watchmen” (2009). Baseado na aclamada HQ de Alan Moore, o longa é referência no quesito adaptação fiel, porém essa é justamente uma de suas maiores críticas. A trama segue um universo alternativo onde os vigilantes existiam, eram pessoas comuns, e foram banidos. Porém alguns deles ainda atuam secretamente temendo o que uma conspiração secreta pode trazer para o país e para o mundo.

Se você prefere um filme menos denso, então a indicação é “Robin Hood: a Origem” (2018). Tendo como base a história do ladrão mais famoso do mundo, acompanhamos a jornada de Taron Egerton como Robin Hood em um longa aventuresco mais mediano. A produção tem cenas empolgantes e personagens carismáticos, com um roteiro que tenta ir além do “feijão com arroz” e consegue uma ou outra sacada, mas nada muito além disso. Taron convence como herói de ação e está muito bem acompanhado com Jamie Foxx como parceiro.

Drama

Foto: Divulgação

Se você ainda está no hype do Coringa, então pode conferir outro excelente trabalho de Joaquin Phoenix em “Ela” (2013). No longa, ele interpreta um escritor solitário que desenvolve um interesse romântico por um sistema operacional para computadores e celulares. A voz original de Samantha, a inteligência artificial do filme, é de Scarlett Johansson. A produção poderia muito bem ser um episódio de “Black Mirror”, ao abordar nossa relação com a tecnologia, porém faz isso de uma maneira menos catastrófica e mais sensível.

Outro filme de abordagem sensível é “Extraordinário” (2017), que conta a história de Auggie (Jacob Tremblay), um garoto que nasceu com uma deformidade facial que o fez passar por 27 cirurgias plásticas. Aos 10 anos, ele irá frequentar uma escola regular pela primeira vez e vai ter que enfrentar os desafios de ser fisicamente diferente com a força de sua determinação. 

A última indicação é para os fãs de musicais: “Os Miseráveis” (2012). O longa é baseado no clássico romance de Victor Hugo e se passa na França, durante a Revolução de Julho do século 19. Acompanhamos as trágicas histórias de Jean Valjean (Hugh Jackman), um ex-prisioneiro, Fantine (Anne Hathaway), uma mulher grávida abandonada na pobreza e Cosette, sua filha. A produção é bastante grandiosa e melancólica, tendo a sofrida performance de Hathaway lhe garantido o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.