Lista: 5 motivos para assistir “The Marvelous Mrs. Maisel”

18/12/2019 - POSTADO POR EM Séries

“The Marvelous Mrs. Maisel” é uma das séries de comédia do serviço de streaming da Amazon Prime de maior sucesso. Lançada em 2017, a produção não tem sido tão comentada aqui no Brasil, mas o enredo já está em sua terceira temporada e continua chamando a atenção do público e da crítica. Aproveitando essa época de recessos, trouxemos cinco motivos para você não deixar de conferir.

1. Uma Protagonista Forte

A série conta a história de Midge Maisel (Rachel Brosnahan), uma dona de casa que reúne vários talentos. Em um determinado momento, ela descobre que sua vivência como esposa pode ser útil também nos palcos de stand-up comedy. Como o enredo se passa no fim dos anos 1950, muitos “tabus” da época são abordados, tais como a vida feminina após um divórcio, o trabalho feminino fora de casa e os preconceitos enfrentados pelas mulheres da época.

A vida de Mrs. Maisel não é nada fácil. Ela precisa se desdobrar entre cuidar dos filhos, trabalhar fora e dentro de casa, precisando ainda manter toda a elegância cobrada de uma mulher da época. Tudo isso é abordado com uma ironia sutil e elegante – as críticas ao machismo e aos “bons costumes” são evidentes até mesmo nos momentos de mais engraçados.

Foto: Divulgação

2. Excentricidade Familiar

Cada família tem suas peculiaridades, seja com histórias ou figuras marcantes. A família de Midge no caso é judia, além de morar em um dos bairros mais caros de Nova Iorque. O pai, Abe Waissman (Tony Shalhoub), é um professor universitário “carrancudo” que reclama quando algo não é de seu agrado e gosta de manter a tradição e a organização. Já a mãe, Rose (Marin Hinkle), é uma dona de casa que pertence a alta sociedade e faz de tudo para que sua família seja bem vista diante da alta sociedade judia. Os dois juntos protagonizam vários diálogos hilários, cheios de ironias ao comportamento da época.

Já os pais do marido de Midge, Joel Maisel (Michael Zegen), também são judeus, porém ascenderam socialmente graças ao comércio. Joel não consegue se entender com os pais, mas, para manter uma vida tranquila e sem brigas, vai trabalhar em um escritório ao invés de seguir sua vontade de ganhar dinheiro no mundo da comédia. O pai de Joel, Moishe (Kevin Pollak), é um comerciante que fala alto e se preocupa bastante com o trabalho. Enquanto isso, a mãe, Shirley Maisel (Caroline Aaron), é uma dona de casa sem classe, que fala alto e não sabe muito bem como se portar.

Apesar de estarem bem satisfeitas com o casamento dos dois, as famílias de Midge e Joel não se dão assim tão bem, e acabam trocando alfinetadas (sempre de forma “educada”) com certa frequência. É simplesmente impossível não rir com famílias tão opostas convivendo juntas.

Foto: Divulgação

3. Elenco de Peso

A estrela da série é Rachel Brosnahan, que esteve em séries como “House of Cards” (2013 – 2018), “Orange is The New Black” (2013 – 2019) e “Grey’s Anatomy” (2005 – ). No papel de Migde, ela já foi indicada nove vezes a prêmios importantes, incluindo duas indicações ao Globo de Ouro de “Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical”, vencendo todas.

Já Tony Shalhoub, o pai de Midge, foi o protagonista do seriado de comédia dramática “Monk” (2002 – 2009), onde interpretava um detetive traumatizado com transtorno obsessivo compulsivo. O papel lhe rendeu o Emmy de “Melhor Ator em Série de Comédia” e o Globo de Ouro de “Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical”.

Marin Hinkle, a mãe de Midge, interpretou a ex-esposa de Alan Harper (Jon Cryer), Judith, na série “Two an Half Men” (2004 – 2015). Ainda temos participações ilustres de figuras como a atriz Jane Lynch, a eterna Sue de “Glee” (2009 – 2015) e Zachary Levi, personagem-título de “Chuck” (2007 – 2012) e de “Shazam” (2019).

Foto: Divulgação

4. Realidade X Ficção

Para quem gosta de moda, esse seriado é para você. Apesar de não ser focado nesse assunto, os figurinos são de um grande primor visual, principalmente os de Midge. A produção pensou em tudo, nos diferentes momentos de cada personagem. Vale ressaltar que o fim dos anos 1950 e início de 1960 chamam atenção pelo volume e por valorizar a “feminilidade” tão cobrada das mulheres da época.

A produção não poupou esforços em trazer um senso de realidade. Assim, vários espaços precisaram ser criados para serem condizentes com a Nova Iorque da época, como uma loja de departamento luxuosa ou um clube de veraneio. Foram recriados móveis e eletrodomésticos da época para decorar os cenários, resultados de um trabalho de pesquisa e curadoria impecável.

Foto: Divulgação

5. Dobradinha de Sucesso e Prêmios

Por trás das câmeras, Amy Sherman e Daniel Palladino são o casal de roteiristas e produtores responsáveis pela produção executiva da série. Eles tem em mãos um outro grande sucesso, o marco dos anos 2000 “Gilmore Girls” (2000 – 2007), onde haviam lançado não apenas uma, mas duas protagonistas femininas fortes.

“The Marvelous Mrs Maisel” recebeu ao longo de três temporadas 7 indicações ao Globo de Ouro. Em 2018, a série foi recordista de premiação no Emmy, vencendo em quase todas as categorias indicadas. Toda essa aclamação fez com que a produção já tenha garantida a confirmação da quarta temporada, pela qual aguardamos ansiosamente.

Foto: Divulgação