Host: o horror no isolamento

16/08/2020 - POSTADO POR EM Filmes

Brincar com espíritos simplesmente por diversão nunca é boa uma ideia, pelo menos em filmes. Sozinho em casa durante a quarentena, pior ainda. Host, dirigido por Rob Savage durante a pandemia, é um curto mas eficiente filme de terror para conferir neste período de pouca interação social. 

Confira o que achamos do longa que vem fazendo sucesso nas últimas semanas!

Convite aos espíritos

É provável que, durante a pandemia de Covid-19, você já tenha feito uma chamada pelo Zoom com amigos ou colegas de trabalho. Pois bem, a “sala” do programa é por onde acompanhamos 5 amigas na tentativa de contatar espíritos com o auxílio de uma médium. 

Para contatá-los, é preciso o respeito de todas no ritual. Porém, quando uma delas não leva a recomendação a sério, a pressão do ambiente muda e o sobrenatural se manifesta… mas não da forma como elas esperavam.

Imagem: Divulgação

Estilo conhecido

Usar uma chamada de vídeo ou gravação de telas como as lentes de filmagem já foi feito em outros filmes recentes. Amizade Desfeita (2014) e Buscando (2018) são exemplos desse diferente estilo de cinema que Host usa. 

A qualidade desses longas cai praticamente toda em seus roteiros, uma vez que recursos técnicos são muito limitados. Nos casos citados, Buscando desenvolve melhor sua história, mas tem mais tempo para isso. Host tem somente uma hora e a utiliza de forma satisfatória para atingir seu objetivo: jump scares.

Não vá esperando assistir muita explicação do que ocorre, personagens bem trabalhados ou bons efeitos especiais. O foco de Savage é explorar as várias telas do Zoom, gerando dúvidas sobre o que ocorre em cada uma delas, e assustar quando conveniente. Entretanto, a maioria desses sustos é fácil de prever se você já viu filmes de terror semelhantes. Mas para quem curte o instrumento, não decepcionam. 

Imagem: Divulgação

Veredito

A ideia para o filme veio após uma pegadinha feita pelo diretor em uma chamada de vídeo com os amigos. Semelhante ao enredo do longa, Rob ouviu um barulho em sua casa e foi investigar com uma câmera enquanto seus amigos assistiam, sem ninguém saber o que ocorreria. O curta de apenas 2 minutos tem elementos muito similares a Host, incluindo um baita susto.

As chamadas do Zoom duram apenas 1 hora e o diretor soube usar bem esse curto tempo. O programa avisa quando faltam 10 minutos para o encontro acabar enquanto o ritmo do longa só aumenta, junto à nossa apreensão. Um jeito simples e criativo de brincar com a tensão neste conto de terror tecnológico.

Quem quiser ter uma experiência mais imersiva e divertida pode fazer uma videochamada com os amigos para assistir. Só não tentem invocar nada…

Pontos positivos

  • Criatividade pelo uso do Zoom durante a quarentena
  • Atmosfera de tensão imposta de forma rápida e eficiente

Pontos negativos

  • Jump scares previsíveis
  • Recursos visuais e de interpretações limitados pelo isolamento

NOTA: 6,5