LISTA: Quatro títulos para ver e ler no Dia dos Pais

12/08/2017 - POSTADO POR e EM Animes / Mangás, Filmes, HQs/Livros E Séries
Post thumbnail

Agosto é o mês dos pais e nós preparamos esta lista com obras ficcionais onde a relação pai e filho é retratada! Algumas são boas, como do Xerife Stilinski e seu filho, da série “Teen Wolf”, outras nem tanto, como a de El Topo e seu filho, no filme “El Topo”, mas todas são especiais. Chama seu velho aí (a não ser que ele tenha saído para comprar cigarros há 12 anos #George) e vem curtir conosco!

Matar o pai

El Topo é o personagem principal do filme homônimo do diretor Alejandro Jodorowski. Pistoleiro, El Topo perambula por desertos com seu filho (Hijo). O homem ensina algumas coisas ao seu filho, coisas de pai, até o momento em que abandona o garoto! Ele o deixa com monges e parte, agora acompanhado de uma mulher – Mara (ele larga o garoto para trás pois não há espaço para os três em seu cavalo!). Após muitos anos, pai e filho se reencontram. É hora de Hijo vingar-se, mas seu velho agora é um benevolente ajudante de um grupo de pessoas com necessidades especiais. O antigo mestre do revólver diz que poderá duelar com o filho, desde que este o ajude a salvar seus amigos. Hijo pondera, até que aceita e, com o tempo, desiste da ideia de matar o pai. Após um ato de sacrifício, El Topo morre e suas roupas e armas passam a ser de seu filho, agora seguindo o mesmo destino da bala que o pai seguiu.

Cúmplices

Em “Teen Wolf”, o Xerife Stilinski (Linden Ashby) cuidou de seu filho, Stiles Stilinski (Dylan O’brien), desde que sua esposa faleceu. A relação deles sempre foi muito engraçada e cúmplice. Stiles adorava se meter no trabalho do pai e insistia em dizer que podia ajudar nos casos policiais. E apesar de no começo da série ele ter escondido sobre os lobisomens, seu pai nunca o abandonou. O Xerife sempre fez de tudo para proteger seu filho, e uma das cenas mais emocionantes é no décimo episódio da última (sexta) temporada quando eles se reencontram depois de Stiles ter sido capturado pelos Cavaleiros Fantasmas (seres sobrenaturais que capturam indivíduos e apagam todas as memórias das pessoas relacionadas às vítimas).

Pai é quem cria

Crisóstomo, um pescador, chegou aos 40 anos sem ter um filho para chamar de seu. Carecia de carinho, afeto e talvez de alguém para esvaziar-se de si (ou completar-se). No livro “O Filho de Mil Homens”, de Valter Hugo Mãe, é Camilo, um garotinho, quem surge para suprir a falta de uma criança no lar de Crisóstomo. Apesar de ser amparado por outras pessoas, o pequeno menino afeiçoa-se ao pescador e à sua pretendente, a Isaura. Em meio aos conflitos familiares, escaramuças com os vizinhos, que também são uma forma de família, Camilo aprende o juízo, o amor e a vida com o pai. É lindo ver como dois humanos de idades tão diferentes ensinam e aprendem a esperança e o otimismo através de uma relação pai-e-filho construída de maneira pouco usual!

Foto: Divulgação

Tal pai, tal filho

Sim, o Ging não é lá um dos melhores pais do mundo, mas ele até que merece está nessa listinha. Em “Hunter × Hunter”, Ging Freecs é um Hunter profissional (membro licenciado de elite da humanidade, capaz de rastrear tesouros secretos, animais raros, ou até mesmo outros indivíduos) que deixou seu filho, Gon Freecs, aos cuidados de sua prima para cumprir seus objetivos. Quando completa 12 anos, Gon decide seguir o mesmo caminho do pai alegando que “ser um Hunter é tão legal que ele (Ging) resolveu abandonar o próprio filho!”. Ele, então, parte em uma aventura em busca de seu progenitor, até que finalmente o reencontra. A cena não foi nada do que eu (#Isabelle) esperava! O Gon parece demais com o Ging, não apenas fisicamente, mas na personalidade. O Freecs mais velho já tinha prorrogado esse reencontro várias vezes, mas não por não querer conhecer seu próprio filho (como ele diz em uma fita deixada para Gon), e sim por pura vergonha e timidez. Ele fica tão nervoso que chega a ser cômico. O último episódio do anime é só deles conversando para deixar aquela sensação de paz e amor.