Entrevista: Takashi Sano fala sobre produção de Tower of God

20/05/2020 - POSTADO POR EM Animes / Mangás

Para dar vida a um anime, é preciso de uma grande variedade de pessoas, e estamos aqui para destacar o talentoso trabalho por trás de um dos maiores sucessos da temporada: “Tower of God”, produção original da Crunchyroll que adaptou a obra de mesmo título de Lee Jong Hui.

Takashi Sano já trabalhou em várias coisas, desde storyboards em “The Ancient Magus Bride” até animar séries como “MEGALOBOX” e “Neon Genesis Evangelion”. E agora ele está liderando a equipe de produção como diretor de “Tower of God”.

Com ajuda da Crunchyroll, tivemos a oportunidade de conversar com Sano sobre sua experiência trabalhando na adaptação para o anime shounen.

Roteiro Nerd: Como você se sentiu em relação à série depois de ler a obra original de Lee Jong Hui?

Takashi Sano: Notei que “Tower of God” estava profundamente enraizado na estrutura social da Coreia, então senti que precisava torná-lo um pouco mais acessível ao público geral de anime.

R.N: Sua experiência em dirigir séries com cenas de ação intensa se mostrou útil ao trabalhar em Tower of God?

T.S: Os projetos nos quais trabalhei anteriormente serviram como “regra geral”. Acredito que pude aplicar essa experiência a esta série.

R.N: Como você traduziu a aparência do trabalho original em um anime?

T.S: Enquadramos os visuais para com o trabalho original. Pensei que a maioria dos fãs do manhwa ( quadrinhos produzidos na Coreia do Sul) gostaria de ver a história em quadrinhos ganhar vida, em vez de algo totalmente original, então a equipe e eu tivemos muito cuidado com isso.

R.N: Você trabalha na indústria de animes há muito tempo, em vários papéis, incluindo storyboard, animação e direção. Como cada função é diferente?

T.S: As habilidades necessárias também são diferentes dependendo do gênero. Eu me concentro principalmente nos storyboards.

R.N: Tower of God é a primeira colaboração internacional da Crunchyroll. Houve algo diferente na produção?

T.S: Não foi particularmente diferente. Como diretor, eu tinha mais responsabilidade. Passei muito mais tempo neste projeto do que o normal.

R.N: A comunidade de fãs de anime se espalhou para além do Japão e se tornou global. O que você leva em consideração ao produzir um anime?

T.S: Depende da natureza da série, mas quando se trata da “Tower of God”, tomamos o cuidado de não perder a história ou a sensação do manhwa. Acredito que podemos aprender algo sobre como os espectadores internacionais respondem à adaptação de um trabalho original por meio desta série.

R.N: Há algum anime, quadrinhos ou elementos da cultura pop que influenciaram fortemente sua direção?

T.S: Acho o método do diretor Clint Eastwood de contar histórias sensacional.