Digimon Tri: Qual é o melhor filme da série?

29/05/2018 - POSTADO POR EM Animes / Mangás
Post thumbnail

Clássicos dos anos noventa estão sendo reapresentados para a nova geração de jovens. Um deles não menos esperado é “Digimon” (1999), uma febre que no passado fez muito sucesso com crianças e jovens, mostrando uma história com muita aventura, ação e fantasia. Porém, seu maior trunfo eram os “Digiescolhidos”, crianças escolhidas para salvar o mundo junto de seus amigos digimons. Cada criança tinha uma personalidade única, fazendo com que muitos fãs se identificassem com os protagonistas, deixando a série ainda mais famosa.

Em 2015 começou a produção de uma série de filmes que contariam a continuação da saga de “Digimon Adventure” (primeira franquia de “Digimon”). A história se passa seis anos após os acontecimentos do fatídico verão em que nosso heróis conheceram o digimundo, mostrando um lado mais adulto dos heróis e como eles estariam lidando com tudo que aconteceu. Nossa lista irá contar um pouco sobre cada filme e qual deles é o melhor dentro da série.

Digimon Tri – Parte I – Saikai (Reunião) – 1º lugar

O primeiro filme já chega com os dois pés no peito do espectador, mostrando sua abertura oficial, com o título “Butterfly” de Wada Kouji. A dose de nostalgia é tão alta que existem momentos em que nos pegamos cantando junto com a música. Após esses momentos de saudosismo, somos apresentados novamente a todos os protagonistas da série original, entre eles Taichi Yagami e sua irmã Hikari Yagami.

Logo no início já percebemos que as coisas não são mais as mesmas e que a personalidade de cada um amadureceu junto com a idade; porém, como ainda são jovens, nós vemos essa confusão entre sentimentos e a razão pelos quais todo adolescente passa, fazendo com que grande parte do público se sinta atraído com aquilo que acontece com eles.

Com efeitos visuais melhorados e um design diferente da primeira franquia, esse novo capítulo de “Digimon” traz ótimos gráficos em suas batalhas e um contexto mais adulto, exibindo muitos problemas que no passado eram mascarados pela fantasia da infância. Com todo esse contexto de reencontro entre personagens e espectadores, a própria mudança de atitude para algo mais sério faz desse o melhor filme da série.

Digimon Tri – Parte II – Ketsui (Determinação) – 6 º lugar

O segundo filme da série “Digimon Tri” veio com uma pegada diferente, um clima bem mais familiar. Esse filme tenta nos mostrar um pouco mais sobre a personalidade de cada personagem, deixando claro como a vida de um digiescolhido possui um fardo enorme, assim como no caso de Joe. Como o mais velho entre as crianças, Joe agora passa pela fase onde precisa estudar para conseguir entrar em uma boa faculdade, isso com o peso de ter de conciliar sua vida real com a digital e seu parceiro digimon a todo momento ao seu lado.

Com um enredo fraco e desajustado, essa parte da história passa batida, sendo só mais um filme de vida escolar, onde nossos protagonistas passam por todos os problemas comuns de um adolescente. Um dos pontos fortes é a apresentação de Meiko, uma garota que quer se tornar parte do grupo dos digiescolhidos, e por mais que ela tenha uma personalidade fraca, grande parte do arco gira em torno dela. As animações e batalhas mantêm a mesma qualidade, trazendo grandes cenas de ação com bastante realismo, mas mesmo assim não conseguem perder o título de pior filme da série.

Digimon Tri – Parte III – Kokuhaku (Confissão) – 2º lugar

Esse filme da sequência pode ser considerado um dos mais tristes entre todos. Após grandes batalhas contra uma infecção que ocorreu no digimundo, nossos protagonistas passam por momentos apertados. Mesmo que seu roteiro continue meio fraco, algumas coisas são explicadas e algumas situações são inesperadas.

Koushirou e seu parceiro, Tentomon, são os mais inteligentes dentro da turma de heróis. Com a infecção do mundo digital e possivelmente de seus digimons, os dois passam a sofrer com o fardo de precisar resolver essa situação, trazendo essa tensão para o espectador. Já Takeru e seu parceiro, Patamon, protagonizam a cena mais triste e nostálgica dentro do filme, onde nosso personagem mostra seus sentimentos de quando criança, levando nossa emoção ao máximo. Pode ser um filme com alguns erros, porém a quantidade de cenas épicas acaba apagando essas falhas, trazendo novamente grandes cenas de lutas acompanhadas de outras emocionantes, fazendo deste o segundo melhor longa dentro da franquia.

Digimon Tri – Parte IV – Loss (Perda) – 5º lugar

O quarto filme traz ainda mais dúvidas sobre o futuro do digimundo. Após um grande acontecimento no terceiro filme, foi necessário ser feito um reboot no universo, fazendo com que todas as lembranças dos digimons fossem apagadas. Daí se foca na apresentação dos novos inimigos dos digiescolhidos e como esse novo mundo está se comportando. Sendo o filme um dos mais fracos da série, ele conta com a apresentação ineficaz de “Dark Gennai”, um personagem que de início ajudou as crianças, mas que agora deseja tomar o poder dos dois mundos.

Em contrapartida, neste filme temos o arco do “Amor”, que mostra a relação entre Sora e Biyomon após o reset do digimundo. Na trama nós vemos que Sora não possui o brasão do amor por uma simples coincidência. Ao começar a ajudar Biyomon sem pensar em nada como troca, ela assume um novo caminho junto de sua parceira, fazendo com que tenhamos a melhor cena, onde Biyomon alcança sua mega digievolução. No entanto, sua história sem tanta força deixa o filme em quinto lugar na série.

Digimon Tri – Parte V – Kyosei (Simbiose) – 4º lugar

O quinto e penúltimo filme da série vem com a proposta de melhorar um pouco a relação entre nossos personagens, porém isso é perdido pelo caminho e muitas soluções são apresentadas de maneira clichê. Alguns personagens antes esquecidos são reapresentados de qualquer jeito, assim como Himekawa, uma mulher que antes de tudo já foi uma digiescolhida e que após a morte de seu digimon precisava fazer com que o reboot acontecesse para que ele fosse renascido. Ao concluir esse objetivo, parece que o enredo se esquece completamente da personagem e segue avançando.

O que faz desse filme um pouco melhor é seu final impactante dentro da série, trazendo algo que nunca imaginaríamos em “Digimon”. Com a possível morte de Taichi, líder do grupo de heróis, uma revolução dentro do contexto do anime é posta e nós recebemos um tapa na cara, sem acreditar que isso realmente aconteceu e que agora os digiescolhidos precisam seguir em frente sem seu líder. Mesmo com todos esses fatores, “Digimon Tri Kyosei” alcança quarto lugar em nossa lista.

Digimon Tri – Parte VI –  Bokura no Mirai (Nosso Futuro) – 3º lugar

O sexto filme é a última parte da nossa série, onde todas as dúvidas criadas no decorrer da jornada deveriam ser sanadas, o que realmente acontece. Podemos dizer que essa última parte de “Digimon” fechou a história de maneira razoável, respondendo grandes questões deixadas pelos títulos anteriores. Essa parte da série começa exatamente a partir de quando Meicomon se funde com Black Ophanimon, tornando-se um digimon estupidamente forte chamado Ordinemon.

Sem seu líder, os digiescolhidos precisam combater um vilão muito mais forte e ao mesmo tempo lidar com a provável morte de Taichi. É impressionante como esse capítulo da série possui cenas de lutas grandiosas. Eu (#Tauan) diria que as melhores cenas de lutas de todos os filmes da série se encontram dentro desta sexta parte. Seu desfecho é algo que mesmo já esperado surpreendeu ao mostrar todos os digimons em suas mega evoluções e também ao mostrar a nova evolução de Omnimon, um digimon criado a partir da fusão de WarGraymon e MetalGarurumon, a qual também foi muito bem feita. Por ter conseguido amarrar a trama e fazer com que muitas dúvidas fossem sanadas, diria que esse filme chega a terceiro lugar entre os outros da série.

Após entendermos um pouco mais sobre a franquia e como foi feita essa continuação, podemos dizer que “Digimon Tri” agradou alguns fãs com momentos nostálgicos e com sequências de muita ação e emoção, mas deixou a desejar em alguns aspectos de roteiro. Sabendo que uma continuação ainda será feita, acreditamos que “Digimon” ainda pode nos surpreender e trazer muito mais aventuras para os jovens adultos que acompanham a franquia desde seu início.

Com isso, concluímos nosso ranking baseado nas informações que tiramos sobre cada filme da série:

1º lugar – Digimon Tri Saikai

2º lugar – Digimon Tri Kokuhaku

3º lugar – Digimon Tri Bokura no Mirai

4º lugar – Digimon Tri Kyosei

5º lugar – Digimon Tri Loss

6º lugar – Digimon Tri Ketsui