Chegamos ao fim de Elite?

22/03/2020 - POSTADO POR EM Séries

Olhando de longe, “Elite” parece um mix de “Gossip Girl” e “Rebelde”. No entanto, basta assistir alguns episódios pra perceber que há muito mais do que isso. Abuso de poder, dinheiro comprando pessoas, tráfico de drogas e, claro, assassinato. A terceira temporada da série foi lançada na Netflix e mais um assassinato abalou a escola de Las Encinas. Confira agora o que achamos do novo ano do seriado.

Recapitulando

Se você não viu nenhuma temporada e caiu nesse texto, eu te explico. “Elite” conta a história de vários adolescentes que estudam na escola Las Encinas, que abriga a elite (tandaam!) da Espanha. Uma pessoa foi assassinada dentro da escola e todos os personagens são suspeitos. Eles tentam provar sua inocência enquanto não se desligam da vida “normal”, ou seja,  bebendo muito, indo a festas e gastando rios de dinheiro. O assassino é revelado ao público, mas a polícia tem dificuldades de fazer qualquer coisa com ele – o poder aquisitivo sempre fala mais alto. 

Agora, de volta à terceira temporada. No trailer já era possível entender que mais alguém havia sido morto. Como no primeira ano, vemos flashes do futuro e do passado, tudo construindo a narrativa da investigação. No entanto, esses episódios foram dedicados em mostrar o desenvolvimento do caráter dos personagens. Até que ponto eles conseguiriam mentir ou se manter unidos? Ao final, é possível saber. 

Foto: Divulgação

Poder feminino e confrontos

Mais do que nunca, a união das mulheres foi algo fantástico nessa série. Lu (Danna Paola), Carla (Ester Expósito), Nadia (Mina El Hammani) e até mesmo Cayetana (Georgina Amoros) foram colocadas à flor da pele e se mostraram incríveis. “Elite” quis mostrar que garotas são muito mais do que seus estereótipos.

Outra parte interessante foi finalmente ver os ex-namorados Polo (Álvaro Rico) e Carla colocados frente à frente, é chegada a hora da garota falar a verdade. Esse momento é bastante doloroso para muitas pessoas, principalmente ela, que tem muito a perder. Dava vontade de pegar ela e colocar num potinho, ô criatura pra sofrer!

Foto: Divulgação

Veredito

Apesar dos pesares, muito perdão é visto neste 3º ano de “Elite”. O roteiro dessa temporada foi escrito para que você conseguisse pensar que aquelas coisas realmente poderiam acontecer em um colégio da elite de Fortaleza, São Paulo ou Belo Horizonte, sabe? Ficamos felizes quando os autores escolhem esse caminho. Também temos personagens bem aproveitados, os cenários são incríveis e as reviravoltas são bem satisfatórias.

E é assim que “Elite” chega ao fim de um ciclo. Como uma das séries de língua não-inglesa que mais tem sido comentada pelo mundo é difícil que a Netflix vá abrir mão desse grande sucesso, porém ainda estamos no aguardo da confirmação de uma quarta temporada, que provavelmente irá contar com uma renovação no elenco e novas histórias. 

Do que sentimos falta: 

  • O que aconteceu com Christian (Miguel Herrán)? 
  • O que acontecerá com Cayetana?
  • Samuel (Itzan Escamilla) ficará junto de sua família? 

Essas e outras perguntas nos deixaram com o pensamento de que haverá uma continuação ou até mesmo um spin-off da série. Só nos resta esperar por um anúncio oficial da Netflix. 

NOTA: 9