Quatro motivos para conhecer o mangá Boku no Hero Academia

26/08/2017 - POSTADO POR EM Animes / Mangás
Post thumbnail

“Boku no Hero Academia” (2014 – atualmente) é um mangá de Kouhei Horikoshi. Na série, Izuku Midoriya é um garoto sem poderes num mundo onde todos possuem alguma “peculiaridade”. Com o sonho de tornar-se um herói, o protagonista estuda o máximo possível para entrar em uma famosa academia de heróis, a Yuuei.

Sem perspectivas de ter êxito em seu sonho, ele é salvo por All Might, seu ídolo e herói número um do mundo. É nesse momento que, vendo potencial no garoto, o herói decide passar seus poderes à frente: Izuku torna-se o portador do “one for all”, um poder de amplificação da força!

Por isso, separamos alguns motivos para vocês acompanharem esta saga que promete ser um shonen memorável! É importante lembrar que mangá é lançado pela Jump! e o anime (2016 – atualmente), atualmente em sua segunda temporada, está sendo realizado pelo estúdio Bones.

Shounen básico

Personagem principal com pouco poder, mas rebelde, tem um grande sonho e, após treinos intensos e uma vontade absurda, Izuku consegue encontrar um caminho para a realização deste sonho. É assim com “Naruto”, “Black Clover” e “Hunter × Hunter” (os três são shounens, mangás voltados para o público infanto-juvenil masculino). Mas em “Boku no Hero Academia”, suas pequenas variantes constroem uma história ainda mais incrível.

Os elementos de romance já estão devidamente instituídos, e, apesar de não termos nada confirmado, seria muito bom ver adolescentes normais se apaixonando e namorando (ninguém precisa ser sequestrado e ir parar na lua para que alguém se apaixone, sério!).

Peculiaridades

Você já se imaginou com poderes? A maioria das pessoas pensa em habilidades comuns, como voar, ter superforça, lançar gelo das mãos e telecinese. Mas e se você pudesse retirar toda a gravidade de um objeto? Ou ter fitas durex saindo dos seus braços? As peculiaridades no universo de “Boku no Hero Academia” são extremamente diversas e nem sempre são voltadas para atividades como lutar.

Na verdade, os heróis são divididos em algumas categorias: há os heróis de resgate, os de combate e o departamento de suporte. Cada poder se encaixa em alguma dessas categorias e nem todos os personagens possuem uma habilidade que de cara nós acharíamos útil (lembra um pouco as habilidades de “One Piece” – que beiram ao absurdo – ou da série britânica “Misfits”).

Um dos personagens, Minoru Mineta, possui a peculiaridade de produzir bolas superadesivas. Inicialmente essa habilidade parece um pouco fraca, mas ao longo do mangá podemos ver como ela pode ser extremamente útil – seja para paralisar um inimigo ou para escalar uma parede.

Foto: Divulgação

Sobre o traço

O mangá possui uma pegada bem ocidental em seu traço. Os heróis parecem mais com personagens como o Homem-Aranha ou Batman. Na realidade, o roteiro também estrutura-se como em HQs ocidentais. Apesar do desconto cultural que podemos dar à obra, “Boku no Hero Academia” possui personagens bem simples em seus visuais. Além disso, o traço é muito engraçado, lembrando o de Eiichiro Oda, autor de “One Piece”.

Foto: Divulgação

Um futuro promissor

A recepção do mangá tem sido cada vez mais positiva. Masashi Kishimoto, autor de “Naruto”, chegou a afirmar que “Boku no Hero Academia” poderia ter bastante sucesso, assim como o seu mangá obteve. O anime baseado na obra já está em sua segunda temporada e vai muito bem. A história, que vem ficando cada vez mais complexa e séria, também segue bastante coerente e já podemos vislumbrar confrontos épicos entre as forças dos heróis e vilões.

Apesar de não ter o número de vendas de gigantes, como “One Piece” ou “Naruto”, o mangá tem sido um sucesso e parece carregar um legado, assim como o personagem principal da obra, importantíssimo: o de ser o Shonen de uma época!