Aniquilação: A beleza do estranho

20/03/2018 - POSTADO POR EM Filmes
Post thumbnail

O que a raça humana tem a fazer quando uma anomalia surge em nosso planeta, sem quaisquer precedentes, explicações ou intenções claras? Eles mandam o máximo de pessoas que conseguirem para investigar e escondem do resto do mundo, é claro. Essa é a premissa de “Aniquilação”, a mais recente estreia da Netflix . O filme, do mesmo diretor do excelente “Ex Machina”(2014), traz uma ficção científica com pitadas de suspense e atores incríveis, como Natalie Portman, Tessa Thompson e Oscar Isaac.

Anomalia

O filme segue a história de uma mulher, Lena (Natalie Portman), que se liga a um caso secreto do governo por conta do desaparecimento do marido, que investigava o mesmo acontecido. O evento ser refere ao surgimento, há pouco mais de três anos, de uma bolha misteriosa conhecida apenas como Cintilação. Partindo inicialmente de um farol e se expandindo com regularidade e rapidez impressionantes, ela desafia qualquer um que a tente entender.

Lena se oferece para a mais nova missão rumo à Cintilação, buscando respostas para o que aconteceu com o marido, ela se junta a quatro outras cientistas que tentarão mais uma vez descobrir os mistérios lá guardados.

Visual

A anomalia não se chama Cintilação à toa. Consiste em uma bolha gigante cuja superfície parece estar em constante movimento, refletindo sempre cores variadas. Isso acaba gerando um visual diferente para as cenas durante o dia, a todo momento temos reflexos coloridos vindos do céu.

Também é um destaque o ambiente no qual as cientistas se encontram. A bolha vem se propagando por uma área florestal não muito habitada anteriormente, assim elas se deslocam mata adentro, deparando-se com cada vez mais aspectos peculiares, principalmente a flora do local, que começou a se desenvolver em padrões estranhos e repletos de cores.

Universo paralelo na literatura

O filme faz parte da trilogia “Comando Sul” (2014 – 2016), escrita por Jeff VanderMeer, que flutua entre o fantástico, o suspense/terror e o puramente esquisito. O grande ponto desse tipo de literatura é o fato de que o autor vai apresentar vários eventos extremamente anormais e nem todos vão ganhar uma explicação completa, cheia de detalhes. Então quando você assistir o filme, não espere entender todos os conceitos expostos e também não busque o livro para tentar achar respostas, busque apenas se quiser sentir um gostinho a mais desse universo.

Divulgação

Cada vez mais curioso

A história é contada praticamente por meio de flashbacks. Isso em si não é uma questão, mas o filme tem alguns problemas de ritmo. A primeira metade da história é bem mais lenta se comparada à segunda. Também vemos uma dificuldade em desenvolver as protagonistas, muita delas só ganham uma pequena história de vida e não são muito aprofundadas, quem ganha mais destaque realmente é a bióloga Lena.

Contudo, o filme consegue criar um bom ambiente de suspense. Você consegue sentir que a área que as cientistas exploram não é segura, apesar de parecer pacífica. Elas vão encontrando cada vez mais anormalidades conforme se aproximam do farol, seu objetivo final. O fim da trama também consegue ser bem competente em apresentar alguns plot twists e ainda manter o ar de mistério a que se propõe.

Divulgação